Top Banner

Click here to load reader

Utilização das tecnologias de sensoriamento remoto e ...marte.sid.inpe.br/col/dpi.inpe.br/[email protected]/2008/11.17.01.39/doc/... · PDF fileA escassez da água é a...

Feb 11, 2019

ReportDownload

Documents

doantuong

Utilizao das tecnologias de sensoriamento remoto e geoprocessamento na construo de materiais didticos para a sensibilizao e educao ambiental na bacia hidrogrfica

do Rio Tijucas e levantamento de potencialidade e problemticas da bacia.

Janaina SantAna Maia Santos 1,2 Catarina Cristina Brbara de Siqueira Meurer 2

Zenir Dionei Atanzio 2

1 GTHidro. Departamento de Engenharia Sanitria e Ambiental. Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Campus da Trindade, Florianpolis Santa Catarina.

CEP: 88040-970 Cx Postal 476 - Brasil - Tel: +55 (48) 3721-7736 Fax: +55 (48) 3721- 6459. E-mail: [email protected]

2 Comit da Bacia Hidrogrfica do Rio Tijucas

Rua Jos Manoel Reis, n100 - Tijucas - SC, Brasil. CEP: 88200-000 Tel/Fax: +55 (48) 3263-6563.

Abstract. Brazilian hydrographic basin management began with the law 9.433/97, wich instituted basin management and committee of basin, wich is the responsible organism for manage hydrographic resources. In this context, the main goal for this paper object was to identify the potential problems of the hydrographic basin of Tijucas river to get to know the reality of basin in order to subsidizer the process of management by the basins committee. Characterization of the area was analyzed with satellite photos; cartographic data and field activities wich consisted of photographing reference points. Information was gathered at city hall about the political administrative structure, as well as social-economical, environment projects, problems and the potential of each town. As a result maps were produced which analyzed the area of potential and problematic towns. Some of the problems identified werer prioritized by the more important ones. First of all, concerning the sanitation system, the use of agrotoxins, mineral extraction, deforestation and the exchange of native forest for pines/eucalyptol, and the rejection of industry, dumping garbage illegary, on unorganized growth of tourism, lack of sensibility, the lack of knowledge and conscience of the government and population. The good news is the quality of the existing environment. With significant forest tourist and small family farms, different types of exploring ecotourism, summer tourism, country tourism, religious tourism and river activities. As a conclusion the management of water resources and basins is predetermined by identifying the problems, educational material through those with could be solved by local management. Palavras-chave: Comit de Bacias; Gesto de Recursos Hdricos, Governana da gua; Poltica Nacional de Recursos Hdricos. 1. Introduo

A escassez da gua a principal causadora de vrios problemas contemporneos, como as guerras, as doenas e a fome. Atualmente 2,3 bilhes de pessoas sofrem de doenas disseminadas pela gua; 2 bilhes no possuem acesso ao saneamento bsico e isso causa a morte de 200 pessoas por hora; a cada 3,6 segundos uma pessoa morre de fome no mundo (Clarke e King, 2005).

Na Conferncia Internacional de Organismos de Bacias foi amplamente discutido o aumento dos problemas relacionados com a gua, alm da insero desse tema nas agendas polticas dos pases. Os casos de conflito aumentaram em nmeros e em complexidade, dessa forma, a gesto integrada dos recursos hdricos deve considerar todas as dimenses que envolvem o assunto, como econmicos, sociais, ambientais, culturais, etc. (CIOC, 2002).

Durante o II Frum Mundial da gua (2000) foram definidas algumas metas que dimensionam o desafio da gesto da gua no mundo, entre elas temos a garantia da disponibilidade de gua para as necessidades bsicas das pessoas; a produo de alimentos para todos; a preservao da integridade ambiental; a distribuio dos recursos hdricos para as regies e/ou perodos de escassez; o gerenciamento das situaes de risco; a valorao da

2475

gua; o levantamento de dados e a produo de conhecimentos bsicos e por fim, a realizao da gesto integral.

Em escala regional, a gesto da gua dever acontecer por bacia hidrogrfica, considerando os aspectos peculiares, geogrficos, geolgicos e ecolgicos que determinam o ciclo hidrolgico e definem uma realidade nica de disponibilidades para cada bacia. Essas caractersticas iro uniformizar os problemas e conflitos, pois as questes ambientais, scio-econmicas e culturais so semelhantes.

No Brasil a gesto de Bacias Hidrogrfica iniciou com a regulamentao da lei 9.433/97 que instituiu em seus fundamentos a bacia como unidade territorial para a implementao da Poltica Nacional de Recursos Hdricos e para a atuao do Sistema Nacional de Gerenciamento de Recursos Hdricos. Essa mesma lei criou o Comit de Bacias, rgo colegiado capaz de realizar a gesto dos recursos hdricos de forma descentralizada e participativa (Santa Catarina, 2001; Silva, 2005).

Para Jacobi (2005) a lgica de colegiado possibilita a participao dos diversos atores envolvidos com os conflitos em questo, os quais partem de um referencial a ser trabalhado e possuem responsabilidades e atribuies voltadas para o controle e minimizao das prticas predatrias ao meio ambiente. Outra questo levantada pelo mesmo autor sobre a implantao de um rgo colegiado responsvel pela gesto o fato de limitar os abusos de poder que ocorriam na gesto centralizada.

O objetivo do presente trabalho foi a utilizao de tecnologias de Sensoriamento Remoto e Geoprocessamento para construir materiais didticos para a sensibilizao e educao ambiental e identificao das potencialidades e dos problemas da Bacia hidrogrfica do Rio Tijucas. 2. Metodologia

A caracterizao da rea da Bacia hidrogrfica do Rio Tijucas foi realizada atravs da analise de imagens de satlite, de dados cartogrficos da bacia e de atividades de campo com registro fotogrfico georreferenciado. Foram percorridas as principais vias de acesso no interior da bacia, bem como os interiores onde residem as comunidades mais afastadas dos centros urbanos.

Realizou-se um levantamento de dados junto s prefeituras e secretarias municipais atravs de um formulrio para identificao de cada prefeitura contendo questes sobre a estrutura poltico-administrativa, dados scio-econmicos e projetos ambientais desenvolvidos, alm dos principais problemas e potencialidades de cada municpio segundo a viso das secretarias de Educao, Agricultura e Meio Ambiente ou na ausncia desta, a secretaria responsvel pelas questes ambientais e educacionais do municpio.

Para a realizao dos processamentos de imagem e dados cartogrficos do presente trabalho foi necessrio a utilizao dos seguintes materiais:

1) Imagem Landsat TM rbita-ponto 220/79 TM3, TM4 e TM5, adquirida na data de 04/10/2002 e 10/07/1985;

2) Curvas de nvel e rede hidrogrfica referentes s cartas topogrficas Aguti, Bigua, Cambori, Rancho Queimado, Alfredo Wagner, Botuver, Florianpolis, Santo Amaro da Imperatriz, Vidal Ramos, Anitpolis, Brusque e So Joo Batista, digitalizadas e disponibilizadas pelo CIRAM EPAGRI (CIRAM, 2006) e;

3) Aplicativo SPRING verso 4.3 para WINDOWS (INPE, 2006).

2476

3. Caracterizao da Bacia Hidrogrfica do Rio Tijucas A Bacia Hidrogrfica do Rio Tijucas possui trs realidades scio-antropolgicas e

ambientais facilmente identificadas devido s caractersticas ambientais, culturais e sociais dessas regies, sendo classificadas como Baixo, Mdio e Alto Vale do Rio Tijucas (Figura 1).

Figura 1 Mapa dos municpios que compem a Bacia Hidrogrfica do Rio Tijucas com a diviso dos municpios e trs regies distintas, Baixo, Mdio e Alto Vale do Rio Tijucas.

A Regio do Baixo Vale do Rio Tijucas, que abrange os municpios de Itapema, Porto

Belo, Bombinhas, Tijucas, Governador Celso Ramos e Bigua, est localizada na regio litornea da Bacia e possui caractersticas predominantemente urbanas, com fortes oscilaes no nmero de habitantes devido alta temporada dos meses de vero, destacando-se dessa forma pela economia voltada para o turismo e para a pesca, embora pouco investimento do setor pblico tenha sido destinado para a implantao de Estaes de Tratamento de Efluentes e para o desenvolvimento sustentvel. (Figura 2).

A regio ocupa importante posio no roteiro turstico estadual e destaca-se mais a cada ano. Notadamente a Pesca tem sua origem na colonizao Aoriana caracterstica do Litoral Catarinense, sendo que a pesca artesanal representa importante patrimnio cultural das comunidades litorneas. Porm, verificou-se que a expanso urbana ocorre em ritmo acelerado, implicando supresso clandestina da vegetao ciliar e ocupao irregular de reas de Proteo Permanentes (APPs), bem como acarretando diminuio da qualidade da gua e possibilidade de contaminao dos peixes, utilizados na pesca artesanal e como alimento por comunidades carentes.

A regio do Mdio Vale do Rio Tijucas, composta pelos municpios centrais da bacia, Canelinha, So Joo Batista e Nova Trento, caracterizada pela forte expanso industrial das ltimas dcadas, porm os traos agrcolas ainda permanecem e, no caso de Nova Trento, na cultura Italiana, a fabricao de produtos coloniais e o turismo religioso com a canonizao da Santa Paulina, contribuem fortemente para uma caracterizao nica da regio. Embora haja crescente presso antrpica, ainda possvel encontrar remanescentes florestais significativos para a preservao dos principais afluentes do Rio Tijucas (Figura 2).

Na regio do Alto Vale do Rio Tijucas, nos municpios de Angelina, Leoberto Leal, Major Gercino e Rancho Queimado, cujas altitudes atingem 1.200 metros acima do nvel do mar, a caracterstica predominante o ambiente rural e o ar da serra. Os municpios so rurais, as famlias possuem pequenas e mdias propriedades e vivem basicamente da agricultura e do

2477

turismo rural. Nessa regio tambm encontra-se fragmentos florestais, inclusive remanescentes de Floretas de Araucrias (Figura 2).

Welcome message from author
This document is posted to help you gain knowledge. Please leave a comment to let me know what you think about it! Share it to your friends and learn new things together.