Top Banner

Click here to load reader

OBESIDADE INFANTIL NA ESCOLA - REEDUCA

Jul 03, 2018

ReportDownload

Documents

dangdang

  • UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANA

    OBESIDADE INFANTIL NA ESCOLA - REEDUCA

  • ANDRESSA MAGALHAES GOMES CORR~A

    OBESIDADE INFANTIL NA ESCOLA - REEDUCA

  • J;rf ~!;~':~~~~,~~,~,~!~!~.?:?oo ~~~~~VIIP

    CNIVI~RSIDAOE TUJlITI 00 !'ARANAF,\ClILOAOE OF,ClENCIAS HLJMANAS. tETRAS E ARTES

    CLJRSO I)E !'IWAGOGIA

    TERMO DE APROY A

  • AGRADECIMENTOS

    Agrade90 primeiramente aos meus pais,

    que apesar das dificuldades ocorridas em nossos caminhos me incentivaram e mederam forc;as para alcan9ar meu objetivo.

    A minha Orientadora Elizabeth Cristina Suzin,

    pela credibilidade para a realiza

  • As pessoas precisam comer para viver e n~oviver para comer.

    (Ivane Ikeda Morimoto)

  • RESUMO

    A obesidade constitui-se em importante desvio nutricional que deve merecer aatenc;ao dos profissionais de saude e da area educacional. Na infancia e naadolescencia, 0 excesso de peso pode determinar ern dificuldades de socializafYc30no futuro, alem de problemas artapedicas e dermatal6gicas. 0 adulta au javemobeso tern maio res dificuldades que os nao abesos para conseguir emprego econstituir familia. Na maturidade, sao expressivamente maiores as riscos deincapacita~o e morte entre as abesos, quando comparados com nao abesos. Estenumero de compacta~o apresenta-se de forma condensada, principal mente serelacianadas a epidemialagia, fisiapatalagia, diagnostica, prevenyaa e tratamenta daobesidade entre criany8s e adolescentes. Pretende-se, com este estudo, contribuirpara a cantrale da abesidade a partir da ayaa cotidiana principalmente entre asescolares atraves da pratica assistencial realizada pelos profissionais, seja da areamedica, pSicologica, pedag6gica ou nutricional.

    Palavra - chave: Educayaa em Saude, Reeducagaa, Tratamenta, Prevenyaa.

  • SUMARIO

    RESUMO ..

    INTRODUc;:Ao ..

    FUNDAMENTA

  • ANEXOS ...

    ANEXO I - OBESIDADE lNFANTIL .

    ANEXO 2 - OS PERIGOS DA OBESIDADE

    ANEXO 3 - MODELO DE PROJETO DE EDUCA

  • LlSTA DE FIGURAS

    FIGURA 1 - CAMUNDONGOS .. . 27

    LlSTA DE TABELAS

    TABELA 2 - CARACTERisTICAS DA IDADE 30

  • INTRODUvAo

    A obesidade infantil esta associada ao desequilibrio entre as calorias que sao

    ingeridas e as que sao gastas, havendo urn acumulo de tecido gorduroso, localizadoentre certas partes do corpo, causado por disturbios geneticos, metab61icos

    (hormonais), emocionais ou per alterayOes nutricionais.

    A condiyao responsavel por praticamente todos os casos de obesidade e 0

    excesso de consumo de alimentos ricas em gorduras e calorias, associado a uma

    reduyao acentuada da atividade lisica.

    Crianyas abesas sofrem uma serie de alterac;Oes fisicas e psicol6gicas,

    alguns fatores sao determinantes para 0 estabelecimento da obesidade: desmameprecoce e introduc;ao inadequada de alimentos de desmame, emprego de formulasI,kteas inadequadamente preparados, disturbios do comportamento alimentar e

    inadequada relayao familiar.

    Nos ultimos anos a obesidade tomou-se um problema de saude publica. Alem

    do estigma psicossocial acarretado pela obesidade, as complicayOes clinicas e

    metab61icas geram urn grande numera de atendimentas nos serviyos de saude.

    Pademas citar as repercussOes da obesidade como hipertensaa arterial, diabetes

    tipo II, doenyas cardiovasculares, apneia do sono, neoplasia de mama, c610ne reto.

    ~ importante ressaltar a complexidade do assunto, pois a obesidade tem uma

    etiologia mista, na qual contribuem varios latores que nao t~m a

  • 9

    Dentre os estilos de vida definidos pelos habitos e costumes das crian""s e

    adolescentes em que se con solid a primeiramente no modo dos pais educarem seus

    filhos. Urn reverse da situayao pode ser estipulado por meio da fixayao de horarios

    para comer; quantidade de comida preparada por refeiyljo; qualidade da comida em

    relayao aos carboidratos, gorduras e proteinas; numera de refeies consumidas

    diariamente; quantidade de alimentos consumidos em cada refeic;ao relacionada aDs

    horarios das mesmas; habito de comer entre as refeiyOes e a qualidade e

    quantidade dos alimentos ingeridos nestes intervalos.

    A mae desempenha um papel fundamental no aprendizado nutricional do

    filho. Esse aprendizado se desenvolve de fanna ativa, quando se realiza 0 controle

    da dieta da casa e de forma passiva, atraves da observayao da crianya quanta aoshabitos nutricionais da mae ou da familia.

    a aconselhamento e orientayao das maes no preparo e manuseio dosalimentos poderia determinar a efetividade de uma medida simples, como par

    exemplo, orienta~o nutricional.

    Ampliar conhecimentos direcionados ao papel da escola no ensino

    fundamental das series iniciais, relacionadas propnamente a obesidade infantil,bem como prevenir e orientar para uma educa~o em salide atraves de uma

    interven~o multidisciplinar na familia e na escola.

    Demonstrar como ocorre a obesidade infantil, tratamentos combatentes e

    doenc;as derivadas;

    Destacar as causas que provocam a obesidade;

    Ressaltar motiva90es que possibilitem ao aluno melhor entendimento em

    rela,aD a abordagem da nutri,80 na infAncia em idade escolar, promovendo a

    salide na crian,a de 7 a 10 anos de idade.

  • 10

    A industria alimenticia investe em propagandas subliminares, utilizando-se de

    alimentos baratos e altarnente cal6ricos, como bolachas e biscoitos, na tentativa de

    induzir a mente da criany8 a necessidade de consumir determinado tipo de alimento.

    Desla forma estaria denlro do quadro social padrao aceito, influenciado pela

    midia, veiculado nos hortuios nob res da televisao, em anuncios que vern com

    brinquedos como pr~mios, com a finalidade de instigar a venda dos produtos

    industrializados.

    Para Marcia Mancini, presidente da ABESO (Associayao Brasileira para 0

    Estudo da Obesidade) em se tratando do publico infantil, as anuncios tornam-se

    uma grande armadilha quando se apresentam recheados de prl!mios. As

    crianC;8s sao facilmente convencidas a foryar as pais a comprarem 0 que viram,

    mediante as pffimios que v~m, de forma subliminar, apenas para poder ganhar a

    presente e par conta disso acabam comendo alem do que necessitam.

    Segundo ele, a assacia~a esta se organizando para lanyar uma campanha

    de prevenc;;ao e tratamento contra a obesidade no Pais. "Ja participamos de uma

    audi~ncla com a ex-ministro Jose Serra, on de expusemos a necessidade de

    regulamentar a quantidade de comerciais de alimentos na televisao, principalmente

    durante a programa~o infantil", adianta. IrTambem estamos unindo forc;;as para

    conseguir a proibiC;;aodos brindes vendidos junto aos alimentos, a exemplo do que

    ja ocorre na Inglaterra".

    Obesidade Infantil nao e urn problema de saude auto-regulavel, havendo a

    nece-ssidade de intervenc;;ao de urna equipe multidisciplinar, motivo pelo qual a

    prevenC;;ao e controle da obesidade infantil deve ser preocupa9aO de toda a

    socledade em que 0 conhecimento de informa~oes simples que deveriam fazer parte

    do ensino basico, pois tais disfunes resultam em disturbios na aprendizagem

    escolar, dentre elas: problemas organicos ou neurol6gicos (ANDRADE, 1995).

    Entao, qual a importancia e a necessidade da orientayM sabre os habitos

    alimentares aos alunos e as familias a tim de prom over uma interac;;ao entre ambas?

  • 11

    A importancia esta basicamente ligada a habitos alimentares infantis, as

    tenta

  • 12

    1 0 QUE Eo OBESIDADE

    A obesidade e urn dos maiores problemas de saude deste millmio, e tratando-S9 de urn fen6meno multifatorial, envolvendo componentes geneticos, metab6licos,

    comportamentais, psicol6gicos e socia is.

    Podendo ser conceituada, de maneira simplificada, como urna condi9aO de

    acumulo anormal ou excessive de gordura no organismo levando a urn

    comprometimento da saude. E importante identifica-Ia, urna vez as portadores dessacondi9Ao apresentam risco aumentado de rnorbidade e mortalidade explica 0

    Consenso Latino Americano em Obesidade.

    Existe urna clara tend en cia entre as membros de urna mesma familiapossuirem urn Indice de massa corporal (IMe) similar. Tanto as genes como urn

    ambiente familiar compartilhado, contribuem ao desenvolvimento da obesidade. Este

    indice de massa corporal (IMC) pode ser obtido dividindo-se 0 peso corporal pelo

    quadrado da altura.

    Por exemplo: uma pessoa que pese 58 Kg e me,a 1,70 m, tem um IMC de

    20,0 Kg/m' (58 dividido pelo quadrado de 1,70).

    Resultados: de 20 Kg/m' a 25 Kg/m' a pessoa esta com peso ideal.

    De 25 Kg/m' a 30 Kg/m' a pessoa est" acima do peso.

    De 30 Kg/m' a 35 Kg/m' a pessoa est" com obesidade leve.

    De 35 Kg/m' a 40 Kg/m' a pessoa est" com obesidade moderada

    Acima de 40 Kg/m' a pessoa est" com obesidade m6rbida.

    1.2 CAUSAS DA OBESIDADE

    o modelo alimentar do homem e que foi seguido durante mil hares de anospossibilitando a sobreviv~ncia e a evolugao da esptkie humana, foi completamente

    modificado nos ultimos anos. Na antigOidade, a maio ria da populac;ao vivia no

    campo onde era necessario a ingestao de grandes quantidade de alimentos

  • 13

    altarnente cal6ricos, para que pudessem ter energia suficiente para poderem

    plantar, cal her, etc .. Hoje em dia, vivemos em centros urbanos, trabalhamos em

    escrit6rios, onde a nossa 9a5to energetico e bern inferior, mas a alimentat;aocontinua a mesma em calorias.

    Os habitos alimentares modemos com grandes quantidades de fast-foods,

    pizzas, alimentos pre-cozidos, enlatado

Welcome message from author
This document is posted to help you gain knowledge. Please leave a comment to let me know what you think about it! Share it to your friends and learn new things together.