Top Banner

Click here to load reader

Obesidade Infantil e Atividade Física

Jan 22, 2018

ReportDownload

  1. 1. PRTICA DE ATIVIDADE FSICA E OBESIDADE INFANTIL Prof. Me. Luciano Daniel Silva CREF: 0073-G/SC
  2. 2. Prof. Me. Luciano Daniel Silva CREF: 0073-G/SC OBESIDADE UMA DOENA? A obesidade reconhecida como doena pela Organizao Mundial de Sade (OMS) desde 1997 (CID-9/278) e est inserida no grupo das doenas crnicas no transmissveis (DCNT)
  3. 3. Prof. Me. Luciano Daniel Silva CREF: 0073-G/SC Classificao de Doenas (OMS) 1893 criado o CDIGO INTERNACIONAL DE DOENAS (CID) atualizado a cada dcada Atualmente estamos no CID-10 CID-11: previso de lanamento para 2015
  4. 4. Prof. Me. Luciano Daniel Silva CREF: 0073-G/SC OBESIDADE UMA DOENA? CID-10: Classificao Internacional de Doenas (OMS) Captulo Cdigos Ttulo I A00-B99 Algumas doenas infecciosas e parasitrias. II C00-D48 Neoplasmas (tumores). III D50-D89 Doenas do sangue e dos rgos hematopoticos e alguns transtornos imunitrios. IV E00-E90 Doenas endcrinas, nutricionais e metablicas. V F00-F99 Transtornos mentais e comportamentais. Continua ...
  5. 5. Prof. Me. Luciano Daniel Silva CREF: 0073-G/SC OBESIDADE UMA DOENA? CID-10: Classificao Internacional de Doenas (OMS) 2 E40-68 - Doenas nutricionais 2.1 (E40-E46) Desnutrio 2.2 (E50-E64) Outras deficincias nutricionais 2.3 (E65-E68) Obesidade e outras formas de hiperalimentao (E66) Obesidade (E66.0) Obesidade devida a excesso de calorias (E66.1) Obesidade induzida por drogas (E66.2) Obesidade extrema com hipoventilao alveolar Sndrome de Pickwick (E66.8) Outra obesidade Obesidade mrbida (E66.9) Obesidade no especificada
  6. 6. DOENAS LIGADAS OBESIDADE Diabetes tipo 2 Cncer de ovrio Hipertenso arterial Leucemia Dor nas costas Cncer de tireoide Artrose Cncer de pncreas Asma Cncer da vescula biliar Embolia pulmonar Cncer de esfago Doenas isqumicas do corao Cncer do endomtrio (tecido que reveste o tero) Insuficincia cardaca Cncer renal Acidente vascular cerebral (AVC) Cncer de estmago Pancreatite Cncer de coln Inflamao e pedra na vescula Cncer de reto Cncer de pele (melanoma) Linfoma no Hodgkin Cncer de mama Mieloma mltiplo (cncer das clulas plasmticas da medula ssea) Prof. Me. Luciano Daniel Silva CREF: 0073-G/SC
  7. 7. Prof. Me. Luciano Daniel Silva CREF: 0073-G/SC RELAO ENTRE OBESIDADE E AS DOENAS
  8. 8. Prof. Me. Luciano Daniel Silva CREF: 0073-G/SC RELAO ENTRE OBESIDADE E AS DOENAS Obesidade infantil pode estar ligada a maior risco de asma Pesquisa, realizada na Universidade de Bristol, Gr-Bretanha, analisou a relao do IMC de 4.835 crianas de 7 anos, em mdia, com a prevalncia de asma. As concluses, publicadas no peridico Plos Medicine, indicaram que quanto maior o IMC da criana, mais elevado o risco de ela ter asma. Cada ponto a mais no IMC considerado como ideal para crianas, por exemplo, foi associado a uma chance 55% maior da doena.
  9. 9. Prof. Me. Luciano Daniel Silva CREF: 0073-G/SC
  10. 10. Prof. Me. Luciano Daniel Silva CREF: 0073-G/SC Classificaes da Obesidade - IMC m = PESO = 79 ALTURA = 1,68 IMC 28,1 kg kg/m2
  11. 11. CLASSIFICAO IMC - ADULTOS Prof. Me. Luciano Daniel Silva CREF: 0073-G/SC
  12. 12. Prof. Me. Luciano Daniel Silva CREF: 0073-G/SC CLASSIFICAO IMC CRIANAS/ADOLESCENTES
  13. 13. Prof. Me. Luciano Daniel Silva CREF: 0073-G/SC ESTATSTICAS DA OBESIDADE INFANTIL Em 2010, 43 milhes de crianas maiores de 5 cinco anos de idade em todo o mundo encontravam-se com sobrepeso (OMS). Existe aproximadamente 300 milhes de pessoas obesas no mundo (Sanches, 2004) No Brasil foram detectadas cerca de 20% de pessoas com sobrepeso, desse quadro, 6,7% so crianas. A Sociedade Brasileira de Pediatria identifica que o ndice de crianas obesas passou de 3% para 15% nos ltimos 30 anos.
  14. 14. Prof. Me. Luciano Daniel Silva CREF: 0073-G/SC ESTATSTICAS DA OBESIDADE INFANTIL NO BRASIL
  15. 15. Prof. Me. Luciano Daniel Silva CREF: 0073-G/SC ESTATSTICAS DA OBESIDADE INFANTIL NO BRASIL
  16. 16. Prof. Me. Luciano Daniel Silva CREF: 0073-G/SC ESTATSTICAS DA OBESIDADE INFANTIL NO BRASIL
  17. 17. Prof. Me. Luciano Daniel Silva CREF: 0073-G/SC ESTATSTICAS DA OBESIDADE INFANTIL NO BRASIL
  18. 18. Prof. Me. Luciano Daniel Silva CREF: 0073-G/SC ESTATSTICAS DA OBESIDADE INFANTIL NO BRASIL
  19. 19. Prof. Me. Luciano Daniel Silva CREF: 0073-G/SC ESTUDO DA OBESIDADE NO MUNDO
  20. 20. Prof. Me. Luciano Daniel Silva CREF: 0073-G/SC ESTUDO DA OBESIDADE NO BRASIL (Coutinho e Lucatelli, 2006).
  21. 21. Prof. Me. Luciano Daniel Silva CREF: 0073-G/SC CUSTO DA OBESIDADE NO BRASIL (Coutinho e Lucatelli, 2006). Dados de 2011, SUS gastou R$ 488 MILHES em 1 ano com a obesidade! (pesquisa da UnB) Uma portaria do Ministrio da Sade de 2013 foi assinada e reduz a idade mnima para a reduo de estmago, de 18 para 16 anos, em casos em que h risco para o paciente Pesquisa de Oramento Familiar (POF) de 2009, mostrou que 21,7% da populao entre 10 e 19 anos apresentava excesso de peso. Em 1970, esse percentual era de 3,7%.
  22. 22. Prof. Me. Luciano Daniel Silva CREF: 0073-G/SC PASSADO x FUTURO (Coutinho e Lucatelli, 2006). At meados do sculo passado 50% das mortes eram provocadas por doenas infecciosas, hoje elas causam apenas 5% dos bitos. J as doenas crnicas causadas principalmente pelo estilo de vida inadequado foram responsveis por 49% dos 35 milhes de falecimentos de 2005, segundo a OMS. A previso de que, em 2030, as doenas crnicas respondam por 70% do total de mortes.
  23. 23. OMS alerta para o crescente aumento da obesidade infantil "As polticas pblicas de sade devem mudar da cura para a preveno, da gesto de curto prazo para outra de longo prazo ...a histria mundial esteve marcada pela luta contra as doenas infecciosas, que foram diminuindo enquanto crescia a qualidade de vida. "Hoje est ocorrendo o contrrio. O progresso socioeconmico de fato est criando as condies que favorecem as doenas no contagiosas,... isso um desafio enorme para os pases. Prof. Me. Luciano Daniel Silva CREF: 0073-G/SC (Dra. Margaret Chan da OMS em um discurso na Assembleia Geral da ONU)
  24. 24. PRTICA DE ATIVIDADE FSICA E OBESIDADE INFANTIL
  25. 25. Todas as formas de movimentao corporal voluntria, com gasto energtico acima dos nveis de repouso! (Caspersen et al., 1985) Exemplos: afazeres domsticos, jardinagem, lavar carro, etc. Forma de atividade fsica planejada, sistemtica e repetitiva, que tem por objetivo a manuteno, desenvolvimento ou recuperao de um ou mais componentes da aptido fsica! (Nahas, 2001) Exemplos: caminhadas, corridas, musculao, etc. ATIVIDADE FSICA: EXERCCIO FSICO: Prof. Me. Luciano Daniel Silva CREF: 0073-G/SC
  26. 26. Prof. Me. Luciano Daniel Silva CREF: 0073-G/SC PREVENINDO e COMBATENDO O PROBLEMA COM ATIVIDADE FSICA CRIANA/ ADOLESCENTE GOVERNO /RGOS PBLICOS INICIATIVA PRIVADA ESCOLAS PAIS e FAMLIA
  27. 27. Prof. Me. Luciano Daniel Silva CREF: 0073-G/SC PAIS e FAMLIA Diminuir horas em frente TV e Computador Praticar atividades fsicas e exerccios em horas de lazer Ensinar e informar os filhos sobre comportamentos saudveis Levar para assistir eventos esportivos PREVENINDO e COMBATENDO O PROBLEMA COM ATIVIDADE FSICA
  28. 28. Prof. Me. Luciano Daniel Silva CREF: 0073-G/SC MUDAR HBITOS PARA VIVER MAIS
  29. 29. Assistir a mais de trs horas de TV por dia dobra risco de morte prematura Prof. Me. Luciano Daniel Silva CREF: 0073-G/SC *Estudo da Associao Americana de Cardiologia com mais de 13 mil pessoas durante oito anos. No incio da pesquisa, eles foram questionrios sobre a mdia de tempo vendo TV. Durante os oito anos, 97 participantes morreram. No grupo que assistiu a televiso por mais de trs horas por dia a mortalidade foi de 1,35%. No grupo que via menos de uma hora por dia, a mortalidade foi de 0,57%.
  30. 30. 78% dos alunos do 9 ano no Brasil ficam mais de 2h/dia em frente s telas (Roberta Roggia Friedricha et al., 2013) Prof. Me. Luciano Daniel Silva CREF: 0073-G/SC
  31. 31. Prevalncia e fatores associados aos comportamentos sedentrios em adolescentes Rev Sade Pblica 2014;48(2):266-274 Dias, Paula Jaud Pedroso et al. Os adolescentes responderam a duas questes objetivas: 1)Em um dia de semana comum, quantas horas por dia voc assiste TV? 2)Em um dia de semana comum, quantas horas por dia voc fica no computador e/ou vdeo game?. Prof. Me. Luciano Daniel Silva CREF: 0073-G/SC
  32. 32. Prof. Me. Luciano Daniel Silva CREF: 0073-G/SC Prevalncia e fatores associados aos comportamentos sedentrios em adolescentes Rev Sade Pblica 2014;48(2):266-274 Dias, Paula Jaud Pedroso et al.
  33. 33. Prof. Me. Luciano Daniel Silva CREF: 0073-G/SC Prevalncia e fatores associados aos comportamentos sedentrios em adolescentes Rev Sade Pblica 2014;48(2):266-274 Dias, Paula Jaud Pedroso et al.
  34. 34. Prof. Me. Luciano Daniel Silva CREF: 0073-G/SC PAPEL DOS PAIS informar os filhos Os pais devem ensinar os filhos sobre comportamentos para ajudar a baixar as taxas de obesidade infantil e as doenas relacionadas: * Hbitos alimentares incorretos; * As mentiras do fast food; * A grande importncia do exerccio dirio; * A deciso de ter um estilo de vida saudvel; * A necessidade de um permanente compromisso com a sade individual; * A alegria de uma boa sade e uma auto-estima positiva; * Entre outros.
  35. 35. Pais devem levar os filhos para assistir Eventos Esportivos Prof. Me. Luciano Daniel Silva CREF: 0073-G/SC As crianas tm seus dolos, e estar perto deles pode ser motivacional para praticar esportes
  36. 36. Pais devem levar os filhos para assistir Eventos Esportivos As crianas tm seus dolos, e estar perto deles pode ser motivacional para praticar esportes Prof. Me. Luciano Daniel Silva CREF: 0073-G/SC
  37. 37. TAL PAI, TAL FILHO Prof. Me. Luciano Daniel Silva CREF: 0073-G/SC BANKOFF (2002) Pai e me obesos 80% de chance da criana ser tambm Um d
Welcome message from author
This document is posted to help you gain knowledge. Please leave a comment to let me know what you think about it! Share it to your friends and learn new things together.