Top Banner

Click here to load reader

Manejo de Bezerros Bubalinos em uma Pecuária de Leite

Jan 02, 2017

ReportDownload

Documents

lamtruc

  • Circular Tcnica 2005 Nmero 1

    MANEJO DE BEZERROS BUBALINOS EM

    UMA PECURIA DE LEITE

    Alberto Couto Fazenda Castanha Grande So Luiz do Quitunde Alagoas-Brasil

  • Circular Tcnica Nmero 1 - 2005 Alberto Couto

    SUMRIO

    Pgina

    Consideraes Iniciais 03

    Introduo 04

    1. ETAPAS DO SISTEMA DE MANEJO 05

    1.1 OS BEZERROS 05

    1.1.1 Bezerros no 1o dia de nascidos 05

    1.1.2 Bezerros at os 3o primeiros dias de nascidos 06

    1.1.3 Bezerros de 4 a 60 dias de idade 06

    1.1.4 Bezerros com mais de 60 a 90 dias de idade 08

    1.1.5 Bezerros com mais de 90 dias de idade 08

    1.2 AS AMAS DE LEITE 08

    1.2.1 Proporo de bezerros por ama de leite 08

    1.2.2 A escolha das amas de leite 09

    1.2.3 A glndula mamria quanto mais solicitada mais produz leite 09

    1.3 CONTATO DAS BFALAS COM SEUS FILHOS 10

    1.3.1 Contato direto das bfalas com os seus filhos 10

    1.3.2 Contato das bfalas com seus bezerros sem que esses tenham acesso aos beres de suas mes. O curral de reconhecimento

    10

    1.4 APARTAO DAS BFALAS SEM ESTRESSE

    11

    2. SINTOMAS DE ENFERMIDADES

    12

    3. VERMINOSES E SEUS CONTROLES

    4. PRINCIPAIS VANTAGENS DO MANEJO DE BEZERROS BUBALINOS EM UMA PECURIA DE LEITE

    14

    4.1 Com relao aos bezerros

    14

    4.2 Com relao s matrizes

    14

    4.3 Com relao ao produtor 14

    2

  • Circular Tcnica Nmero 1 - 2005 Alberto Couto

    Manejo de Bezerros Bubalinos em uma Pecuria de Leite

    Alberto Couto

    Este trabalho a sntese do nosso estudo sobre Manejo de

    Bezerros Bubalinos em uma Pecuria de Leite. Procuramos escrev-lo de

    uma maneira simples, de fcil compreenso, de acordo com nossos

    conhecimentos.

    Como fonte de pesquisa tivemos: observaes no dia a dia, livros,

    internet, pesquisadores e opinies de amigos. Desta forma, nesse

    universo de dados, filtramos o que havia de mais interessante.

    Com 60 bfalas paridas desde a implantao do sistema, fazendo

    duas ordenhas dirias e sem apresentar nenhum bito em bezerros,

    podemos dizer que alcanamos os nossos objetivos mediante os

    resultados: bezerros com plos limpos, lustrosos, a correrem pelas

    campinas numa demonstrao ntida de felicidade...

    Ficamos satisfeito em poder, com esse trabalho, contribuir em prol

    da bubalinocultura.

    Alberto Couto Faz. Castanha Grande

    So Luiz do Quitunde-Alagoas Brasil - Ano de 2005

    3

  • Circular Tcnica Nmero 1 - 2005 Alberto Couto Manejo de Bezerros Bubalinos em uma Pecuria de Leite

    Na pecuria de corte, em que todo o leite das bfalas fica para os

    bezerros, s as desverminaes e vacinaes normais que devero

    preocupar os produtores. Em uma pecuria bubalina de leite, onde so

    realizadas principalmente duas ordenhas dirias, o produtor restringe o

    consumo de leite do bezerro, levando-o muitas vezes morte por

    inanio.

    Caso a apartao das bfalas no seja bem feita, ou ocorra morte

    sbita dos bezerros nos primeiros dias de nascidos, esses fatos entre

    outros, podero causar estresse a essas bfalas, acarretando um corte em

    suas lactaes. Relataremos abaixo um modelo de manejo que ir evitar

    desagradveis ocorrncias.

    Neste trabalho, procuramos equilibrar as partes bezerro gordo x

    produtor bem remunerado. Isso, que antes era incompatvel para ns,

    hoje se tornou possvel atravs de uma parceria entre o produtor e o

    bezerro. Todos sabemos que a mozzarella feita com leite que tem resduo

    de colostro, no fila e, que o leite da bfala, com at 15 dias de parida,

    ainda possui colostro.

    As afirmativas acima constituem a base da parceria: o bezerro

    fica com o leite contendo colostro e o produtor fica com o leite

    sem resduo de colostro. O leitor poder indagar: ...mas todo leite com

    colostro de minhas bfalas vai para o bezerro ???

    - Sim, vai para o bezerro, mas s vezes de uma maneira errada. O

    bezerro que j deveria estar apartado mama o colostro, tirando o leite

    daquele que mais precisa, ou seja, o mais jovem. O leitor ir compreender

    melhor quando explicarmos o manejo de bezerros.

    4

  • Circular Tcnica Nmero 1 - 2005 Alberto Couto 1.0 ETAPAS DO SISTEMA DE MANEJO 1.1 OS BEZERROS 1.1.1 Bezerros no 1o dia de nascidos

    Aps o parto, as bfalas ficam com suas crias entre 24 horas e 36

    horas, sem serem importunadas. Parindo na manh de um dia, viro para

    o curral na manh do outro dia. Parindo tarde ou noite de um dia, s

    viro para o curral na manh do segundo dia. Esse manejo dar

    oportunidade ao recm-nascido de mamar nas primeiras 24 horas, 10%

    do seu peso vivo, em colostro, produzido por sua me.

    de vital importncia que o bezerro mame o colostro entre 6

    a 10 horas de nascidos, quando seu aparelho digestivo estar no pico

    de absorver esse alimento como fonte de anticorpos. A partir desse

    tempo, o leite com colostro ser um excelente alimento, entretanto, o

    poder de conferir imunidade ir diminuindo at findar com 36 horas aps

    o nascimento do bezerro.

    5

  • Circular Tcnica Nmero 1 - 2005 Alberto Couto

    Rico em protenas e imunoglobulinas, o colostro no s aumenta a

    imunidade do bezerro s doenas, como tambm contm uma poderosa

    substncia que acelera seu crescimento, s perdendo para o hormnio

    testosterona na capacidade de estimular a sntese protica. O colostro

    um alimento prprio para recm-nascidos. Por ser laxativo, elimina o

    mecnio, fezes dos neonatos, de difcil eliminao. Quando consumido por

    bezerros maiores, no funciona como imunizador e pode provocar diarria

    se consumido puro.

    Muitas vezes, acontece que matrizes, ao parirem, ficam agitadas ao

    verem aves de rapina (urubus, gavies, etc.) ou cachorros querendo

    comer resto de placenta ou mesmo o umbigo do bezerro. Atoleiros, beres

    com tetos muito grossos, a concorrncia com bezerros mais velhos, entre

    outros, so obstculos que impossibilitam que o bezerro mame nas

    primeiras horas de nascido. No mamando no primeiro dia, no segundo j

    se encontra muito fraco, sem foras para mamar e, no terceiro dia, pode

    morrer. Para justificar sua incompetncia, o vaqueiro diz que a cauda da

    morte foi picada de cobra. Para evitar tais situaes inconvenientes

    importante que o criador esteja atento a esses fatos.

    Como j falamos anteriormente, aps os partos das bfalas e sem

    importun-las, devemos curar os umbigos dos bezerros com uma soluo

    de lcool iodado. Esse procedimento muito importante para a sade das

    crias e das bfalas, no caso de ocorrer reteno de placenta.

    1.1.2 Bezerros at os 3o primeiros dias de nascidos

    Ainda muito fraquinhos, at o 3o dia de nascidos, os bezerros

    devero permanecer com suas mes em um piquete separado. Esse

    manejo evita que bezerros mais velhos mamem todo o colostro, tirando-o

    daqueles que necessitam. Aps a ordenha da manh, e no segundo dia de

    nascidas, as crias com suas mes sero conduzidas para o curral, onde o

    restante de leite dessas bfalas ser fornecido diretamente nas tetas, aos

    bezerros menores ou mais debilitados do rebanho. Caso as bfalas no

    6

  • Circular Tcnica Nmero 1 - 2005 Alberto Couto permitam que outro bezerro mame, deve-se cont-las e amarrar um p.

    Posteriormente, essas bfalas ficaro com suas crias at o outro dia em

    um piquete separado, quando retornaro ao curral para uma nova esgota

    (esgota = retirada de todo leite do bere).

    1.1.3 Bezerros de 4 a 60 dias de idade

    Aps a ordenha da manh, esses bezerros devero vir para o curral,

    onde as amas de leite, contidas e amarradas por um p, tero os seus

    beres esgotados pelos bezerros mais novos e queles mais fracos. Esta

    prtica tem como finalidade equilibrar o estado corporal dos bezerros e

    evitar que venham a morrer de inanio, fato muito comum em um

    rebanho leiteiro. O sucesso do sistema depender da eficincia

    desse manejo.

    Aps a esgota, e em todas as manhs, os bezerros de at 60 dias

    de nascidos vo para o campo com suas amas de leite, que no incio de

    suas vidas, sero suas mes. Estando no campo, no s mamam

    livremente, como tambm exercitam suas mandbulas no capim tenro

    das vrzeas. Concomitantemente, vo adaptando os seus rmens para a a

    futura vida de ruminante (vrios estmagos), j que nesta fase ainda

    comportam-se como animais monogstricos (um s estmago).

    Entre a segunda ordenha e a primeira do outro dia, ou seja, noite,

    s ficaro com as amas de leite os bezerros com menos de 30 dias de

    nascidos. Com isso, evitamos a concorrncia pela diferena de idade. Os

    restantes, entre 30 e 60 dias de nascidos, conseqentemente o

Welcome message from author
This document is posted to help you gain knowledge. Please leave a comment to let me know what you think about it! Share it to your friends and learn new things together.