Top Banner
http://livrosgospel.net http://livrosevangelicos.org Livros gospel e estudos bíblicos grátis, livros de utilidades gerais e produtos diversos A DIVINA REVELAÇÃO DO CÉU MARY K. BAXTER Com o Dr. T. L. LOWERY DANPREWAN Editora Comunicações Evangélicas Ltda.
81

Livro - A Divina Revelacao do Ceu.pdf

Sep 25, 2015

Download

Documents

adailtonmiranda
Welcome message from author
This document is posted to help you gain knowledge. Please leave a comment to let me know what you think about it! Share it to your friends and learn new things together.
Transcript
  • http://livrosgospel.nethttp://livrosevangelicos.org

    Livros gospel e estudos bblicos grtis, livros de utilidades gerais e produtos diversos

    A DIVINA REVELAO DO CUMARY K. BAXTERCom o Dr. T. L. LOWERY

    DANPREWAN Editora Comunicaes Evanglicas Ltda.

  • Traduzido do original em ingls A Divine Revelation of HeavenTraduo: Daniel Severo Frana Pinto

    ISBN 85-85685-15-8

    Digitalizado, revisado e formatado por SusanaCap

    www.portaldetonando.com.br/forumnovo/

    Para dar louvor, honra,e glria a Deus,

    este livro dedicadoAo Pai,Ao Filho,

    eao Esprito Santo.

    Os textos bblicos utilizados neste livro so da verso Almeida, Revista eAtualizada, 2a Edio, da Sociedade Bblica do Brasil, exceto quando outra

    verso indicada: NVI: Nova Verso Internacional, Sociedade BblicaInternacional. SBTB: Edio Corrigida e Revisada, da Sociedade Bblica

    Trinitariana do Brasil.

    PrefcioO que Mary Kathryn Baxter escreveu com tanta ins pirao foi ungido por Deus e

  • tem abenoado cente nas de milhares de pessoas. Acredito que seja de extremaimportncia que esta mensagem, dada a ela por Deus, seja disseminada por toda aparte. Ela tem compartilha do as experincias por que passou com muitas e muitasigrejas nestes ltimos anos, e agora ela resolveu coloc-las em forma de livro.

    Seu livro anterior, A Divina Revelao do Inferno, foi especialmente usado por Deuspara transmitir a mensa gem da salvao eterna para os perdidos. Ele foi ampla menteaceito, e com entusiasmo, em todo o mundo, tendo sido publicado em vrios pases enas mais diversas ln guas. At o presente momento mais de meio milho de exemplaresj foram vendidos. Creio que agora este seu novo livro, A Divina Revelao do Cu, terum desempe nho ainda melhor.

    Por ser pastor de Mary Kathryn Baxter h muitos anos, conheo-a pessoalmente, eendosso integralmente o seu ministrio. Deus aprovou o trabalho dela ungindo o seuministrio e dando a esta mensagem to larga aceita o.

    Este livro o resultado de muitas oraes, de lgri mas, e de um rduo trabalho.Oro para que sua ampla distribuio propicie que muitas almas venham a conhe cer oSenhor, e que muitas pessoas se preparem conveni entemente para passar a eternidadeno cu.

    T.L. Lowery, Ph.D.

    IntroduoEste livro um relato de inmeras e verdadeiras ex perincias que tive com Deus.

    Ele no fruto do tra balho de uma imaginao frtil nem do sonho quimrico dealgum que espera por algo melhor do que esta vida tem para oferecer.

    O cu uma realidade, e as experincias que descre vo neste livro so narradas daforma como aconteceram comigo. Eu no vi tudo o que h no cu a eternidade farisso. No relato tudo o que vi no cu; nem mesmo Paulo relatou (veja 2 Corntios12:1-4). Mas vou expor aqui tudo o que Deus me mandou compartilhar.

    Quero dar especial honra e agradecer ao meu pas tor, Reverendo Dr. T. L. Lowery,e sua bela esposa, Mildred, por seu apoio, incentivo, e valorosas contribui es a estemeu empreendimento. Gostaria tambm de expressar a minha gratido equipe deobreiros da Igre ja Nacional de Deus e ao Reverendo Marcus V. Hand por sua orientaoeditorial neste livro. Adicionalmente, com gratido reconheo todo o trabalho dopessoal da editora Whitaker House em New Kensington, Pennsylvania, que de vriasmaneiras foi o instrumento para a realizao dos dois livros, A Divina Revelao do Cu eA Divina Revelao do Inferno, tornando-os disponveis para o pblico leitor.

    Sou grata a Deus, que me chamou para comparti lhar esta mensagem. Agradeo avocs que me deram for a e que me incentivaram neste ministrio a que Deus mechamou.

    Deus abenoe a todos! Mary K. Baxter

  • De Jesus para Kathryn:

    Foi com este propsito que voc nasceu:para escrever e contar

    o que eu lhe mostrei e lhe disse,pois estas coisas so fiis e verdadeiras.

    O seu chamado para fazer com que o mundosaiba

    que h um cu,que h um inferno,

    e que Eu, Jesus, fui enviado pelo Paipara salvar as pessoas do tormento

    e para preparar-lhes um lugar no cu.

  • Dentro dos PortaisDeus, por sua infinita misericrdia e graa, permitiu-me ir quele belo lugar

    conhecido por ns como cu. A logstica da minha viagem de ida para l onde ele habi tae de volta para a terra no ficou muito clara para mim, mas estou plenamente certaquanto sua realidade.

    Como que as incomparveis maravilhas do cu fo ram reveladas para umasimples mortal como eu? Vou comear pelo incio de tudo.

    Uma noite o Senhor me apareceu e me informou que eu havia sido escolhida parauma tarefa especial. Ele dis se: "Minha filha, eu me manifestarei a voc para tirar pessoasdas trevas para a luz. Eu a escolhi com um prop sito: voc dever escrever e registrar ascoisas que eu lhe mostrar e lhe disser."Submeti-me completamente a Deus, e coisassurpre endentes comearam a acontecer. Fui tomada de onde eu estava ento etransportada para o prprio inferno. Ti nha plena conscincia dos meus cinco sentidos:eu podia ver, sentir, ouvir, cheirar e provar. Contudo, o que me acon tecia era algosobrenatural. Compreendi que o impacto que me atingira tinha um propsito.

    E que, alguns dias depois de ter sido levada pelo Senhor ao inferno, o meucorao ficou muito compungido. Ele estava triste, e ardia por causa dos horrores queeu tinha visto. Eu presenciara o juzo de Deus sobre o pecado e sobre as pessoas quetinham ido para o inferno. Orei ento ardentemente a Deus e busquei o seu conforto.

    Na trigsima primeira noite depois desses eventos terem comeado, o poder doDeus todo-poderoso veio so bre mim. s duas horas da madrugada um poderoso anjoapareceu ao lado da minha cama. Jesus Cristo estava atrs dele. Ao olhar para a face doSenhor ali em p, ele sorriu para mim, mas no disse nada.

    O poderoso mensageiro de Deus disse: Deus me deu uma misso especial. Fui enviado aqui para lev-la ao cu e

    mostrar-lhe alguns de seus lu gares.

    Depois de um momento, ele disse novamente: Venha ver a glria de Deus!Imediatamente fui transportada sobrenaturalmen te de minha casa e vi-me do lado

    de fora de um dos por tais do cu, com aquele anjo celestial.A irresistvel beleza do que eu via em volta de mim era por demais emocionante!

    A vestimenta usada por aquele ser celestial parecia um traje brilhante feito de luz. Oanjo tinha asas de forma triangular que resplande ciam com as cores do arco-ris.Embora eu no estivesse surpresa, estava maravilhada com a indescritvel beleza deDeus, que se evidenciava em todas as coisas ao redor.

    Em seguida o que vi foi o anjo fazer uma exclamao que foi repetida por elevrias vezes:

    Veja, a glria de Deus!O grandioso portal que estava diante de mim era esplendoroso e feito de uma

  • slida prola. Grande admi rao era tudo que eu podia absorver daquela maravilho saviso. Nesse ponto no dava para ver o Senhor em lu gar algum, mas eu estavatotalmente arrebatada pela gl ria celestial.

    ENTRANDO NO CUQuando chegamos l, havia dois anjos enormes pa rados do lado de fora do portal.

    Ambos usavam vestimentas resplandecentes e tinham uma espada numa de suas mos.Seus cabelos eram como fios de ouro e suas faces brilha vam como a luz.

    O anjo que me guiava foi conversar com os dois an jos guardies do portal, e eufiquei ali sozinha. Deslum brada, pensei: "Oh, quo gloriosos so os portais do cu!Como maravilhoso ver isto, pessoalmente!" De repente, percebi que eu estavarealmente prestes a entrar no cu.

    Ao olhar para os anjos do Senhor, deu para ouvir alguma coisa da conversa queeles estavam tendo. Um deles foi para dentro do portal e retornou quase queimediatamente com um pequeno objeto. Era um livro de capa dourada, e dentro dele oque estava escrito era em ouro. Pareceu-me ser um livro sobre a histria da minha vida. Omeu nome estava gravado na capa:

    Mary Kathryn BaxterUm sorriso de aprovao veio ao rosto dos anjos. Eles abriram o livro. Olharam

    um para o outro e ento disse ram com uma voz que pude ouvir: Ela pode atravessar o portal.

    O anjo acompanhou-me atravs do magnfico portal para dentro do cu.Repentinamente, uma msica encheu todo o ambi ente. Ela me envolveu

    completamente. Ela estava sobre mim. Parecia penetrar em todo o meu ser. Ondas apsondas, poderosas e belas, de msicas e canes tomavam toda a paisagem e pareciaenvolver a tudo e a todos.

    Quando entrei na cidade, fiquei mais ainda deslum brada, a ponto de perder oflego. O que eu via naquela incomparvel cidade no d para descrever. Ao meu redorhavia as flores mais belas e coloridas que jamais eu tinha visto. Havia inacreditveisplantas verdes e vegetao por toda a parte. As flores at mesmo pareciam estar sens-veis s msicas e canes.

    A msica continuava a envolver-me completamen te. Era como se eu fosse partedela. Uma coisa tentar descrever as maravilhas dessa cidade; e outra, completa mentediferente, saber que, um dia, voc vai comparti lhar dessa alegria.

    Vi alguns dentre os muitssimos cidados do cu, e observei que usavam mantos.Ento este versculo veio minha mente:

    "Regozijar-me-ei muito no Senhor, a minha alma se alegra no meu Deus; porque me

  • cobriu de ves tes de salvao e me envolveu com o manto de justia, como noivo quese adorna de turbante, como noiva que se enfeita com as suas jias."

    (Isaas 61:10)

    A felicidade e a alegria que irradiavam de suas fa ces era algo alm da compreensohumana.

    O cu um lugar real. No inveno ou imagina o de ningum. Na Bblia est registradoque Jesus dis se o seguinte:

    "No se turbe o vosso corao; crede em Deus, crede tambm em mim. Na casa demeu Pai h muitas moradas. Se assim no fora, eu vo-lo teria dito. Pois voupreparar-vos lugar" (Joo 14:1-2)

    O cu um lugar planejado para pessoas prepara das. J que ns, como filhos deDeus, fomos transforma dos e feitos novos pelo milagre da regenerao, e j que somosagora novas criaturas em Cristo, uma alegria saber que o lugar onde iremos passar aeternidade foi pre parado pelo Senhor que nos salvou.

    O cu um lugar perfeito. Uma vez que o nosso Se nhor perfeito, onipotente, eeterno, o cu tem que ser tambm um lugar perfeito. Por isso ele est preparando parans um lugar para com ele vivermos toda a eternidade, e conseqentemente a nossacasa eterna ser per feita tambm. Nada daquela residncia celestial jamais poder serarruinado, absolutamente. No ser jamais permitido entrar qualquer coisa no cu queo contamine ou que lhe cause qualquer dano.

    "Nela, nunca jamais penetrar coisa alguma contaminada, nem o que praticaabominao e mentira, mas somente os inscritos no Livro da Vida do Cordeiro."(Apocalipse 21:27)

    O cu est fora do alcance do pecado e dos pecadores de todos os tipos e formas.Satans est excludo para sempre daquele lugar celestial:

    "Viu-se, tambm, outro sinal no cu, e eis um drago, grande, vermelho, com setecabeas, dez chifres e, nas cabeas, sete diademas. A sua cau da arrastava a teraparte das estrelas [hostes de anjos] do cu, as quais lanou para a terra; e o dragose deteve em frente da mulher que es tava para dar luz, a fim de lhe devorar o filhoquando nascesse.""Houve peleja no cu. Miguel e os seus anjos pelejaram contra o drago. Tambmpelejaram o drago e seus anjos; todavia, no prevalece ram; nem mais se achou nocu o lugar deles. E foi expulso o grande drago, a antiga serpente, que se chamadiabo e Satans, o sedutor de todo o mundo, sim, foi atirado para a terra, e, comele, os seus anjos. Ento, ouvi grande voz do cu, proclamando: 'Agora, veio asalvao, o poder, o reino do nosso Deus e a autoridade do seu Cristo, pois foiexpulso o acusador de nos sos irmos, o mesmo que os acusa de dia e de noite,diante do nosso Deus. Por isso, festejai, cus, e vs, os que neles habitais. Ai da

  • terra e do mar, pois o diabo desceu at vs, cheio de grande clera, sabendo quepouco tempo lhe resta.'Quando, pois, o drago se viu atirado para a terra, perseguiu a mulher que dera luz o filho varo." (Apocalipse 12:3-4; 7-10; 12-13)

    Aquela serpente, Satans, e suas profanas legies nunca mais vo dar o ar da sua graano clima puro e santo do cu!

    Os demnios no podem mais entrar no cu. Os an jos cados que se rebelaram contra Deus,os anjos "que no guardaram o seu estado original, mas abandonaram o seu prprio domiclio"(Judas 6) no podem retornar ao cu.

    No haver nada faltando no cu. L nenhum deta lhe ser omitido para manter o ambienteperfeito. Aonde quer que se v na terra, no importando o local, ou quo caras sejam as casas, hevidentemente falhas e imper feies que impedem que as casas sejam perfeitas. Em contraste, Deusno cometeu erro algum ao construir o lugar chamado cu. Sua glria, sua beleza e sua maravi lhano d para serem descritas com palavras humanas.

    O indescritvel esplendor daquele lindo lugar algo ma ravilhoso demais para secontemplar.

    O harmonioso brilho da luz do Filho de Deus, a qual se reflete em paredes dejaspe, em portais de prola, em manses sem fim, e a beleza do Rio da Vida criam umcenrio que no h artista algum que consiga pintar ade quadamente.

    LAR DAS ALMAS REMIDASO cu um lugar permanente. Nenhum inimigo con quistar o paraso de Deus.

    L nenhuma construo vai desmoronar, nenhum material se deteriorar e nenhumavegetao secar ou murchar. Nenhuma fumaa ou ir radiao poder poluir suasagrada atmosfera.

    Esse permanente lugar de habitao uma cidade eterna. H um hino de HattieBuell que diz mais ou me nos o seguinte:

    Um barraco ou chal, de que me valer?Um palcio pra mim, l no cu haver! Ainda que no exlio, mesmo assim cantarei:Toda glria pra Deus, que eu sou filho do Rei.

    Naquele incomparvel lugar, os santos vo ter uma agradvel libertao de todasas frustraes, de todos os sofrimentos, de todas as tragdias e desgraas. No have rmais tristeza nem maldio. No haver mais dor. No haver mais choro:

    "E lhes enxugar dos olhos toda lgrima, e a morte j no existir, j no haverluto, nem pranto, nem dor, porque as primeiras cousas passaram"(Apocalipse 21:4)

  • Os alegres cidados que eu vi no cu pareciam ter vindo de muitas pocas e de diferentesnaes. As vrias nacionalidades pareciam bvias para mim. Ento me lem brei de um outroversculo que eu conhecia:

    "E entoavam novo cntico, dizendo: Digno s de tomar o livro e de abrir-lhe os selos,porque foste morto e com o teu sangue compraste para Deus os que procedem de todatribo, lngua, povo e nao."(Apocalipse 5:9)

    O SERVIO DE LOUVAR A DEUSCom muito entusiasmo a minha alma louvou a ma jestade de Deus! As tristezas

    pelas quais passei e o pesar que senti durante a revelao do inferno agora pareciam muitodistantes. Esta agora era a revelao do cu.

    Pude ver famlias inteiras reunidas. Todos estavam felizes, indo a algum lugar, fazendoalguma coisa, sorrin do. Um brilho adornava a face de todos eles.

    Todos os santos no cu pareciam estar ocupados, fa zendo alguma coisa. Tinham umapermanente ocupao. Passavam o tempo louvando e glorificando a Deus.Cnticos estavam emtodos os lbios. A atmosfera musi cal era a que predominava.

    A eternidade no ser usufruda em lazer nem em ociosidade, como muitos erradamentepensam a respeito do nosso destino final. Haver muito mais coisas a fazer do que flutuar numanuvem, ou dedilhar uma harpa, ou agitar os ps no Rio da Vida. Nosso tempo ser tomado peloservio prestado a Deus. Exatamente qual ser a natureza desse servio, no podemos saber, masno h dvida alguma de que o povo de Deus vai servi-lo.

    DIAMANTES PARA OS GANHADORES DE ALMASPude ver diamantes reluzindo, brilhando, diaman tes extraordinrios

    diamantes por toda a parte! Alguns eram grandes como blocos de concreto.Alguns desses diamantes pareciam ser para as man ses daqueles que tinham sido

    ganhadores de almas na terra. Cada vez que algum levava uma alma para Jesus, eraprovi denciado um diamante para aquele fiel cristo. A Bblia diz:

    "O fruto do justo rvore de vida, e o que ganha almas sbio."(Provrbios 11:30)

    "Os que forem sbios, pois, resplandecero como o fulgor do firmamento; e os que amuitos con duzirem justia, como as estrelas, sempre e eternamente."(Daniel 12:3)

  • Quando eu estava absorvendo o esplendor e a gran deza daquele glorioso lugar, vium belo anjo, que era mui to grande, descendo por um caminho. Em suas mos leva vaum rolo, cujas bordas eram de ouro.

    O anjo estendeu-o sobre uma mesa em cima de um pedestal, que eram feitos deum material prateado dife rente de qualquer coisa que eu tinha visto. Era uma mesaretangular e literalmente resplandecia com a luz.

    O rolo tinha um nome escrito. Um dos santos o apa nhou e comeou a ler. Jesus o Mestre Construtor disse-me um santo no cu. ele que determina quem

    merece os diamantes e para onde vo. Este rolo um relatrio da terra sobre uma pessoa que levoualgum para Jesus, que alimentou os pobres, que deu roupas para os necessitados, que fez grandescoisas para Deus.

    "Quando vier o Filho do Homem na sua majes tade e todos os anjos com ele, ento, seassenta r no trono da sua glria; e todas as naes se ro reunidas em sua presena, eele separar uns dos outros, como o pastor separa dos cabri tos as ovelhas; e por asovelhas sua direita, mas os cabritos, esquerda; ento, dir o Rei aos que estiverem sua direita: Vinde, benditos de meu Pai! Entrai na posse do reino que vos est preparadodesde a funda o do mundo. Porque tive fome, e me destes de comer; tive sede, e medestes de beber; era foras teiro, e me hospedastes; estava nu, e me vestistes; enfermo,e me visitastes; preso, e fostes ver-me. Ento, perguntaro os justos: Senhor, quando foi que te vimos com fome e te demos de comer? Ou com sede ete demos de beber? E quando te vimos forasteiro e te hospe damos? Ou nu e tevestimos? E quando te vi mos enfermo ou preso e te fomos visitar?O Rei, respondendo, lhes dir: Em verdade vos afirmo que, sempre que o fizestes a um destes meus pequeninosirmos, a mim o fizestes.Ento, o Rei dir tambm aos que estiverem sua esquerda: Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eter no, preparado para o diabo e seusanjos. E iro estes para o castigo eterno, porm os jus tos, para a vida eterna.(Mateus 25:31-41, 46)

    H LUGAR PARA TODOSO anjo repetiu as palavras com que eu fora recepcionada: Venha ver a glria do seu Deus.

    Conforme a orientao do Senhor, estou registrando to das essas coisas do cu conformeeu vi. Temos que compreen der que o ponto central da nossa esperana e do nosso desejo deve ser ode passar toda a eternidade com o nosso Senhor.

    O cu o lugar onde os nossos sonhos se tornam rea lidade!Um entusiasmo muito grande tomou conta de mim por causa do cu, porque

    depois de terminarmos o nosso trabalho e a nossa tarefa na terra, ns a deixaremos eiremos para l. Deus preparou a cidade, e Jesus est pre parando um lugar para ns que

  • o amamos.

    UMA PERFEITA COMUNHOO relacionamento perfeito entre Deus e o homem ser completamente restaurado no

    cu.

    Quando Ado e Eva estavam no Jardim do den, Deus fazia visitas terra. Quando orelacionamento com ele foi quebrado pelo pecado e pela desobedincia, ainda assim Deuscontinuou a mostrar o seu desejo de ter co munho com a humanidade.

    Sua derradeira expresso de amor para com a raa humana foi dar o seu prprio Filhopara morrer uma morte impiedosa numa cruz to cruel. Atravs da morte e da ressurreio deJesus, o relacionamento entre o homem e Deus tornou-se uma possibilidade.

    Ainda agora, circunstncias desta vida podem im pedir o nosso relacionamento ntimo comDeus. Mas no cu no haver mais barreiras. Conheceremos a perfeita comunho com o Rei dosreis e o Senhor dos senhores. O nosso relacionamento com ele estar completo.

    O cu a moradia do Deus vivo. Encontra-se bem longe, acima do cu da atmosfera e almdos planetas e das galxias. O cu a casa eterna dos "Remidos-Do-S enhor" (Isaas 62:12). odestino eterno de todos os filhos de Deus pela f em Cristo.

    Voc no necessita temer ficar apertado dentro de um minsculo cubculo no cuque tenha sido rotulado de "manso". Quando os remidos de todos os tempos foremreunidos no lar da glria, haver suficientes moradias para todos; so as muitasmanses, os muitos lugares que Je sus disse que prepararia para ns na casa de seu Pai:

    "No se turbe o vosso corao; credes em Deus, crede tambm em mim. Na casa demeu Pai h muitas moradas. Se assim no fora, eu vo-lo te ria dito. Pois voupreparar-vos lugar. E, quando eu for e vos preparar lugar, voltarei e vos recebe reipara mim mesmo, para que, onde eu estiver, estejais vs tambm. E vs sabeis ocaminho para onde eu vou."(Joo 14:1-4)

    Definitivamente no cu haver morada para todos.

    "Depois destas cousas, vi, e eis grande multido que ningum podia enumerar, detodas as na es, tribos, povos e lnguas, em p diante do tro no e diante do Cordeiro,vestidos de vestiduras brancas, com palmas nas mos; e clamavam em grande voz,dizendo: Ao nosso Deus, que se as senta no trono, e ao Cordeiro, pertence a salva-o. Todos os anjos estavam de p rodeando o trono, os ancios e os quatro seresviventes, e ante o trono se prostraram sobre o seu rosto, e adoraram a Deus."(Apocalipse 7:9-11)

  • LGRIMAS NO CUNum determinado momento, fui levada para um cer to lugar onde o anjo parou e

    me disse: Deus quer que eu lhe mostre a sala das lgrimas.

    bem possvel que voc tenha lido muitas vezes em diversas passagens nos Salmos arespeito de nossas l grimas e de como Deus cuida de ns. Os anjos pegam as nossas lgrimas e ascolocam em odres (Salmo 56:8). Mui tas vezes eu me perguntava o significado disso.

    Sei que muitos dos que vierem a ler estas pala vras devem ter derramado muitaslgrimas pelos seus filhos queridos, por sua famlia ou por seu companhei ro ou companheira.Especialmente os que j passaram por um processo de separao ou divrcio devem ter sentidodesaparecer toda a esperana que tinham. No h quem no tenha tido o pesar de ter perdidoalgum querido.

    Quero contar-lhe o que Deus me mostrou na sala das lgrimas. Era um lugar muitolindo. O anjo levou-me a uma grande via de acesso que no tinha porta. Olhando para dentro, eupodia ver que o lugar no era to amplo assim, mas surpreendi-me diante da santidade e do po derque irradiava. Cheia de prateleiras de cristal, as pa redes internas brilhavam com a luz.

    Nas prateleiras havia muitos frascos, alguns reuni dos em grupos de trs e eram taiscomo vidros transpa rentes. Abaixo de cada grupo de frascos transparentes e cintilantes havia umaplaca contendo um determinado nome. Naquela sala havia muitos e muitos frascos.

    Ento vi ali um homem que aparentava ter sido glo rificado. Seu manto era muitolindo parecia ter sido feito com um veludo de cor prpura forte.

    Uma mesa refinada, que parecia ser feita de um rico material, brilhavaintensamente com majestoso esplen dor, e estava logo depois da porta. A exuberantedisposi o de tudo o que vi ali deixou-me maravilhada!

    Havia livros sobre a mesa, e eles pareciam ter sido feitos com um belssimomaterial, como uma seda que eu nunca tinha visto antes. Alguns tinham diamantes,pro las e cordes dourados; outros tinham pedras verdes e roxas. Todos eram cheios dedetalhes.

    Eu pensei comigo mesma: "Oh, Deus, como so lin dos esses livros!" Eu amolivros. Aqueles livros tocaram-me de maneira especial. Eles eram simplesmente mara-vilhosos. Ao firmar neles atentamente o meu olhar, fui tomada por uma fortecuriosidade.

    Nesse ponto o homem daquela sala me disse: Venha ver. Quero mostrar-lhe esta sala, e explicar-lhe sobre as lgrimas. Aqui

    se acha somente uma das muitas salas como esta, e eu sou encarregado dela.Enquanto ele falava, um anjo enorme veio pela en trada. A beleza e a majestade

    daquele ser celestial mara vilharam-me. Reparei que ele usava uma veste brancaesplendorosa, guarnecida de acabamentos de ouro de cima para baixo em sua frente.Tinha cerca de uns trs metros e meio de altura e possua asas enormes.O anjo tinhauma pequena taa em suas mos. Era uma taa dourada, e estava cheia de um lquido

  • (veja Apocalipse 5:8). O homem na sala disse-me: Ele acaba de trazer-me da terra uma taa de lgri mas. Quero que voc veja o

    que fazemos com ela.O anjo lhe deu a taa, junto com um pedao de papel em que estava escrito o

    nome da pessoa a quem pertenci am aquelas lgrimas.O homem leu a anotao e ento foi a um dos luga res onde os frascos estavam

    guardados. Ele leu a etiqueta sob o frasco, e eu sabia que era o nome da pessoa na terracujo nome estava anotado na taa.

    O homem pegou o frasco que estava quase cheio e o levou at a taa. Entodespejou as lgrimas da taa de ouro no frasco.

    Veja o que fazemos aqui o homem disse. Conte s pessoas na terra sobreisto.

    Ento ele colocou o frasco sobre a mesa, pegou um dos livros, abriu-o, e disse:

    Olhe!As pginas do livro estavam completamente em bran co. O responsvel pela sala

    disse-me: Isto aqui so as lgrimas dos santos de Deus na terra, derramadas por eles ao

    clamarem diante de Deus. Veja o que acontece.Ento o homem derramou uma gota do frasco, uma pequena gota, na primeira

    pgina do livro. Quando ele fez isso, palavras comearam a aparecer imediatamente.Lindas palavras, elegantemente escritas, apareceram na pgina. Cada vez que umalgrima caa sobre uma pgina, ela ficava totalmente escrita. Ele ficou fazendo isso,pgina aps pgina, repetidamente.

    Ao fechar o livro, ele falou palavras que pareciam estar sendo destinadas nosomente a mim, mas tambm a toda a humanidade:

    As mais perfeitas oraes so aquelas banhadas por lgrimas que vm docorao e da alma de homens e mulheres da terra.

    Ento o anjo com asas como que de arco-ris me disse: Venha ver a glria de Deus.

    DEUS ABRE O LIVROImediatamente fomos transportados para um imen so lugar com milhares e

    milhares de pessoas e seres celestiais. Oh, que coisa linda!Em pouco tempo as pessoas pareciam desvanecer, e ento uma manifestao ainda

    maior da glria de Deus comeou a aparecer em toda a parte. Os altos louvores a Deustornaram-se tempestuosos.

    O anjo mensageiro levou-me ao trono de Deus.

  • Vi ento uma grande nuvem, uma nvoa, e vi uma imagem do Ser na nuvem. No dava paraver a face de Deus, mas eu vi a sua glria e um arco-ris sobre o trono. Ouvi a voz de Deus, elasoava para mim, como Joo des creveu: "Ouvi uma voz do cu como voz de muitas guas, comovoz de grande trovo" (Apocalipse 14:2). Nessa po derosa arena eu vi muitos cavalos com seuscavaleiros ao lado do trono.

    De repente, vi um livro sobre o grande altar em frente ao trono de Deus. Vi osanjos curvando-se diante dele. Com grande temor, observei aquela cena, e vi quan do oque parecia ser mos humanas saiu das nuvens e abriu o livro.

    De alguma forma eu sabia que eram as mos de Deus, que abriam aquele livro.Deslumbrada, vi como que uma fumaa saindo do livro. Em pouco tempo o mais

    agradvel aroma de perfu me, jamais sentido por mim antes, encheu toda a rea em que eu estava.O anjo disse-me que aquele livro continha as oraes dos santos e que Deus estava enviando osseus anjos para responder as oraes do corao dos santos. Todos estavam louvando eglorificando a Deus.

    Quando Deus abriu o livro, pginas e mais pginas desprenderam-se do livro e voarampara as mos dos an jos nos cavalos. Eu pude ouvir a voz de Deus, "como voz de grande trovo"gritando e dizendo:

    Podem ir! Respondam as oraes! Podem ir! Res pondam as oraes!

    "Contaste os meus passos quando sofri persegui es; recolheste as minhas lgrimasno teu odre; no esto elas inscritas no teu livro? No dia em que eu te invocar,batero em retirada os meus inimigos; bem sei isto: que Deus por mim. Em Deus,cuja palavra eu louvo, no Senhor, cuja pa lavra eu louvo, neste Deus ponho a minhaconfi ana e nada temerei. Que me pode fazer o homem?"(Salmo 56:8-11)

    A Palavra viva de Deus explica-nos o que ele faz com as nossas lgrimas. Como belo poder entender a glria e a maravilha do nosso Deus! Como maravilhoso ser agra ciado pelasua compaixo! Ele se importa at mesmo com as nossas lgrimas!

    Muitas passagens falam de nossas lgrimas, de nossas tristezas, e de como Deus nosconsola. Leia-as e alegre-se:

    "Volta e dize a Ezequias, prncipe do meu povo: Assim diz o Senhor, o Deus de Davi,teu pai: 'Ouvi a tua orao e vi as tuas lgrimas; eis que eu te curarei'."(2 Reis 20:5)

    "Estou cansado de tanto gemer; todas as noi tes fao nadar o meu leito, de minhaslgri mas o alago. Meus olhos, de mgoa, se acham amortecidos, envelhecem porcausa de todos os meus adversrios. Apartai-vos de mim, to dos os que praticais ainiqidade, porque o Senhor ouviu a voz do meu lamento; o Senhor ouviu a minhasplica; o Senhor acolhe a minha orao.(Salmo 6:6-9)

  • "Pois livraste da morte a minha alma, das l grimas, os meus olhos, da queda, osmeus ps."(Salmo 116:8)

    "Os que com lgrimas semeiam com jbilo ceifa ro. Quem sai andando e chorando,enquanto se meia, voltar com jbilo, trazendo os seus feixes."(Salmo 126:5-6)

    "Tragar a morte para sempre, e, assim, enxu gar o Senhor Deus as lgrimas detodos os rostos."(Isaas 25:8)

    "Assim diz o Senhor: Reprime a tua voz de cho ro e as lgrimas de teus olhos;porqueh recom pensa para as tuas obras, diz o Senhor, pois os teus filhos voltaro da terrado inimigo."(Jeremias 31:16)

    "O Cordeiro que se encontra no meio do trono os apascentar e os guiar para asfontes da gua da vida. E Deus lhes enxugar dos olhos toda lgrima."(Apocalipse 7:17)

    "E lhes enxugar dos olhos toda lgrima, e a morte j no existir, j no haverluto, nem pranto, nem dor, porque as primeiras coisas pas saram."(Apocalipse 21:4)

    "Os resgatados do Senhor voltaro e viro a Sio com cnticos de jbilo; alegriaeterna coroar a sua cabea; gozo e alegria alcanaro, e deles fugir a tristeza e ogemido."(Isaas 35:10)

    Glria a Deus, o cu um lugar real! E para l que de fato ns estamos indo.No vamos ser como vapores de fumaa flutuando sobre nuvens, quando formos parao cu.

    Uma coisa maravilhosa sobre o cu que nossas l grimas e tristezas serosubstitudas por alegria eterna, como promete a Palavra de Deus.

    Mas, ainda h muito mais!

    Dois

  • O Trono de DeusO cu um lugar real. literalmente o lugar para onde vamos. No nenhum

    sonho efmero, nem mesmo uma viso imaginria. Deus revelou a todos ns muitasdas realidades do cu atravs das Sagradas Escrituras.

    O PRIMEIRO CUO primeiro cu o formado pela atmosfera. Nele est o ar que envolve a terra. E

    onde os pssaros voam e o vento sopra. o lugar em que as chuvas, as tempestades, asnvoas, as neblinas e as nuvens so formadas. Este cu o lugar a que o anjo se referiuem Atos 1:11, quando ele perguntou aos discpulos por que estavam "olhando para o cu"(SBTB).Jesus, quando falou com o Pai, "levantou os olhos ao cu" (Joo 17:1), ou seja, nadireo do primeiro cu.

    O SEGUNDO CUE o lugar chamado de espao. Esta a regio onde fica o sol, a lua, e as estrelas.

    Ele mencionado em vrios luga res na Bblia; veja algumas dessas citaes, mostradasaqui:

    "... deveras te abenoarei e certamente multi plicarei a tua descendncia como asestrelas dos cus e como a areia na praia do mar; a tua des cendncia possuir acidade dos seus inimigos."(Gnesis 22:17)

    "Guarda-te no levantes os olhos para os cus e, vendo o sol, a lua e as estrelas, asaber, todo o exrcito dos cus, sejas seduzido a inclinar-te perante eles e ds cultoqueles, coisas que o Senhor, teu Deus, repartiu a todos os povos de baixo de todosos cus."(Deuteronmio 4:19)

    "Ou poders tu atar as cadeias do Sete-estrelo ou soltar os laos do rion? Ou fazeraparecer os signos do Zodaco ou guiar a Ursa com seus filhos? Sabes tu asordenanas dos cus, podes estabelecer a sua influncia sobre a terra?"(J 38:31-33)

    "Porque as estrelas e constelaes dos cus no daro a sua luz; o sol, logo aonascer, se escure cer, e a lua no far resplandecer a sua luz."(Isaas 13:10)

  • "Logo em seguida tributao daqueles dias, o sol escurecer, a lua no dar a suaclaridade, as estrelas cairo do firmamento, e os poderes dos cus sero abalados."(Mateus 24:29)

    O TERCEIRO CUO destino dos justos, entretanto, est alm da atmosfera e das estrelas. Esse lugar

    o que o apstolo Paulo mencionou, quando escreveu:

    "Conheo um homem em Cristo que, h catorze anos, foi arrebatado at ao terceirocu"(2 Corntios 12:2).

    O cu, com o conceito que estou empregando neste livro, a regiofreqentemente mencionada como aque la em que h a presena imediata de Deus:

    "Porque Cristo no entrou em santurio feito por mos, figura do verdadeiro, pormno mesmo cu, para comparecer, agora, por ns, diante de Deus."(Hebreus 9:24)

    Cu o lugar onde Deus vive. Quando Jesus nos en sinou a orar, ele nos dissepara orar, com as palavras: "Pai nosso, que ests no cu" (Mateus 6:9). Em 1 Reis 8:30, ocu chamado de lugar da habitao de Deus. Em Sal mos 11:4, ele chamado de santotemplo, onde Deus tem o seu trono. L, no templo da divina majestade de Deus, a suaexcelente glria revelada de vrias maneiras vis veis. um lugar sagrado de luz, dealegria e de glria. No sabemos onde se acha o local preciso da sua localiza o, mas naBblia ele dito, com freqncia, como estan do "em cima". Sabemos que Deustodo-poderoso est nes se cu. L todos os santos, os anjos, e os adoradores diri gem-seessencialmente a Deus Pai e a Jesus Cristo.

    Que glorioso grupo de pessoas h no cu! Os anjos esto l, porque Jesus disse:"os seus anjos nos cus vem incessantemente a face de meu Pai celeste." (Mateus 18:10)

    Os santos esto l porque Jesus nos prometeu: "...para que, onde eu estiver, estejaisvs tambm" (Joo 14:3). Em 1 Pedro 1:4 somos informados de que uma herana foireser vada para ns no cu uma herana incorruptvel, sem mcula, imarcescvel, eque nunca desaparecer. Meu ir mo fico emocionada ao testemunhar sobre amaravilhosa visita que fiz ao cu. Emociono-me ao contar-lhe sobre as coisas e sobre aspessoas que eu vi l.

    OS LOUVORES NO CUDepois que o anjo de Deus me mostrou a sala das lgrimas, ele repetiu aquela

  • frase que tantas vezes eu ouvi em minhas jornadas ao cu: Venha ver a glria de Deus!O brilhante, magnfico e celestial esplendor do cu tomou-me completamente. O

    resplendor da glria que me atingia, provindo de tudo que eu via, encheu-me de temor.A beleza e a alegria daquele lugar to bom no podem ser captadas adequadamente, amenos que a pessoa tenha visto tudo pessoalmente. Nesse momento lembrei-me deuma citao de uma pessoa, que ouvi h algum tempo:

    A luz do cu a face de Jesus. A alegria do cu

    a presena de Jesus. Os sons em harmonia no cu

    o louvor a Jesus. O tema do cu

    a obra de Jesus. A ocupao que se tem no cu

    o servio a Jesus. A plenitude do cu

    o prprio Jesus.

    Enquanto caminhava com o anjo, eu podia sentir ale gria, paz, e felicidade emtodos os lugares. Os meus pen samentos voltaram-se para a minha famlia na terra, e oanjo parecia conhecer todos eles. Ele me disse:

    Voc tem uma misso a executar para Deus. E para voc dizer s pessoas na terra o queh por aqui. Deus est revelando-lhe algumas coisas do cu, mas no tudo. Venha ver a glria doseu Deus.Quando chegamos em nosso destino, eu ouvi muitas e muitas vozes cantandolouvores a Deus. A majestosa msica dos adoradores celestiais excitaram a minha alma. Honrae glria ecoavam repetidamente por toda a exten so do cu com o cntico dos serafins e dos santosentoan do com exuberncia interminvel temas de adorao.

    APROXIMANDO DO TRONOMinha alma estava fortalecida e transbordante de alegria. De alguma forma eu

    sabia que estvamos aproximando-nos do trono de Deus.O anjo que me levava parou a uma grande distn cia, longe ainda do trono de Deus.

    Ali eu podia ter uma viso panormica do que estava acontecendo. Pude ver a mesma cena queJoo viu, em sua viso, da forma que ele descreveu no Apocalipse:

    "Vi e ouvi uma voz de muitos anjos ao redor do trono, dos seres viventes e dosancios, cujo n mero era de milhes de milhes e milhares de milhares."(Apocalipse 5:11)

    Oh, povo da terra, se vocs pudessem ao menos ima ginar o que o nosso Deus tem

  • reservado para aqueles que o amam!Quando eu olhava extasiada aquela cena diante de mim, algo ainda mais

    maravilhoso aconteceu. Nunca ti nha ouvido um louvor com um volume assim toelevado de vozes glorificando a Deus. De repente, a maravilha de todas as maravilhas!O anjo permitiu-me ver o que eu sempre tinha desejado ver, o trono de Deus.

    O GLORIOSO TRONO DE DEUSO trono de Deus era ''alto e sublime" (Isaas 6:1). Sa indo debaixo dele, flua o Rio

    da Vida com toda a sua beleza e pureza. A glria de Deus ofuscava todo o trono. Delesa am como que troves e relmpagos, e havia vozes em volta dele. Joo, na descrioda viso que teve do cu disse:

    "Do trono saem relmpagos, vozes e troves, e, diante do trono, ardem sete tochasde fogo, que so os sete Espritos de Deus."(Apocalipse 4:5)

    Eu vi um arco-ris sobre o trono e em volta do mes mo, "semelhante no aspecto aesmeralda" (Apocalipse 4:3). O brilho e a gloriosa colorao do arco misturavam-se comluz, produzindo uma deslumbrante intensidade de cores.

    Era diferente de tudo o que eu j tinha visto na ter ra. A luz em mltiplas cores,cujos raios provinham do trono, significava poder e glria. Havia um esplendor quebrilhava no trono. Raios gloriosos emanavam dele. Mui tas coisas no cu so como sefossem transparentes, e os raios espetaculares que saem do trono so luzes que serefletem em toda a parte no paraso!

    No sei quanto tempo fiquei naquele cenrio celestial, mas fui tomada pelo temor.Fiquei pensando nos milhares que j estavam l no cu e nos muitos milhares que aindapara l iro. Pensei na santidade de Deus, na pureza da sua majestade e na perfeio dasua palavra. Ento clamei em voz alta:

    Oh, Deus! Quo maravilhoso contemplar a tua glria, a tua majestade e o teupoder!

    Como das vezes anteriores, o anjo do Senhor me disse: Venha comigo, h muitas outras coisas no cu que quero mostrar a voc.

    A SALA DE REGISTROSFiquei deslumbrada ao ver a sala de registros, onde meticulosas anotaes

    estavam sendo feitas. O anjo dis se-me que Deus mantm seus anjos anotando o cultoprestado em cada igreja na terra e registrando o culto domstico de cada lar em que eleesteja sendo exaltado e louvado.

  • Deus tambm mantm registros sobre aqueles que esto fora da sua vontade. Oanjo mostrou-me ainda que os anjos de Deus registram os valores em dinheiro dadosnos cultos das igrejas, e tambm as atitudes das pessoas que contribuem. Ele falouainda de pessoas que tm di nheiro para dar, mas que no do para o trabalho do Se-nhor. Fiquei meditando como foi que Jesus atentamente observou as ofertas sendodadas, quando ele foi ao templo do Senhor:

    "Assentado diante do gazofilcio, observava Je sus como o povo lanava ali odinheiro. Ora,muitos ricos depositavam grandes quantias. Vindo, porm, uma vivapobre, depositou duas pequenas moedas correspondentes a um quadrante. E,chamando os seus discpulos, dis se-lhes: Em verdade vos digo que esta viva po bredepositou no gazofilcio mais do que o fize ram todos os ofertantes. Porque todoseles ofertaram do que lhes sobrava; ela, porm, da sua pobreza deu tudo quantopossua, todo o seu sustento."(Marcos 12:41-44)

    Quando todas essas coisas me estavam sendo reve ladas, inclusive a sala deregistros e onde os livros eram guardados, o anjo lembrou-me de que eu deveria fazertambm o registro de todas essas coisas. Disse-me que muitas delas eram mistrios para mim,uma vez que eu estava vendo apenas obscuramente (1 Corntios 13:12). Mas o anjo enfatizou queeu deveria contar s pessoas da terra as coisas que eu estava vendo.

    No momento em que alcanamos uma outra parte do cu, olhei para baixo e vi umcorredor muito longo. Suas paredes eram altas e pareciam ser feitas de platina. Eu podia ouvir oslouvores a Deus, ressoando continua mente em altas vozes. Fiquei maravilhada com o brilho da luze da glria que era refletido das paredes. Um tanto intrigada, perguntei:

    O que isso?

    As paredes pareciam ter quilmetros de distncia; no dava para ver o fim delas.

    O DEPSITO DE DEUSO anjo que estava me mostrando essas coisas disse: Olhe para a parte superior dessa parede.

    Ali estava gravada a palavra Depsito. Quando per guntei que salas eram aquelas, o anjome disse que aque las salas continham as bnos que estavam armazena das para o povo de Deus!

    O cu um lugar totalmente puro, e Deus quer puri ficar os seus santos que esto na terrapara que eles ve nham a desfrutar da atmosfera celestial. O cu um lu gar cheio de alegria, e Deusdeseja dar alegria ao seu povo aqui na terra. No cu h liberdade eterna, e Deus anseia que o seupovo seja liberto enquanto est neste mundo. No cu no h enfermidade alguma, e Deus quercurar o seu povo aqui na terra. O cu um lugar de total segu rana, e Deus quer que o seu povoesteja sempre seguro e confiante aqui na terra. O cu um lugar de gozo e satis fao, e ele querque o seu povo esteja plenamente satis feito aqui na terra.

    Quando Jesus nos ensinou a orar "Venha o teu reino, faa-se a tua vontade, assim na

  • terra como no cu" (Mateus 6:10), ele revelou-nos que Deus quer que sintamos o gosto do cuaqui na terra!

    Meu irmo, o nosso Senhor tem depsitos e depsi tos de bnos que so para voc. Elasesto esperando no cu que voc se aproprie delas, recebendo-as aqui na ter ra! Deus quer salv-lo.Ele quer libert-lo. Ele quer cur-lo. Ele quer que voc tenha "a paz de Deus, que excede todo oentendimento" (Filipenses 4:7). Ele quer que voc experimente uma duradoura "alegriaindizvel e cheia de glria" (1 Pedro 1:8)

    JESUS, O QUE CURA Veja a glria do seu Deus o anjo declarou. Quando ele desapareceu, Jesus

    ficou ao meu lado. Olhei para Jesus. Ele agora parecia ser maior do que das outrasvezes. O brilhante manto que ele usava vestia-o de forma elegante e com muita graa.Sandlias enfei tavam os seus ps cicatrizados e a sua face e os seus cabe los eram lindose gloriosos. Ao olhar para ele, perguntei:

    Jesus, o que so essas salas?O Senhor no falou nada, mas moveu uma de suas mos em direo parede.

    Naquele momento, uma gran de abertura apareceu. Por toda a volta daquela abertura eupude ver glria, poder e luz. Como tudo o mais, isso tambm parecia dar glrias aDeus.

    Oh, Senhor, o que tudo isso? gritei. Ento ele me disse: Minha filha, so bnos para o meu povo. Elas so para os pecadores na terra,

    se eles to somente cre rem. Eu morri para faz-los totalmente sos.Ele disse tambm: Curas esto espera do meu povo na terra. Vir o dia em que haver uma

    avalanche de milagres e curas na terra.Continuando, ele disse ainda: Filha, at onde d para voc ver, esses so edifcios de suprimento, ou

    depsitos. As bnos contidas aqui esperam pela f dos que se acham na terra. Tudo oque as pessoas precisam fazer crer e receber. Crer que eu sou o Senhor Jesus Cristo eque sou capaz de fazer estas coisas, e ento recebero as minhas ddivas.

    Quando voc voltar para terra, enfatizou ele lembre-se de que no vocquem cura, e sim eu. Apenas fale a minha Palavra e ore, e ento eu farei a cura. Creiaque eu posso fazer isso.

    Glria a Deus! gritei. Aleluia! Obrigada, Jesus! Jesus abaixou a mo eaquela abertura na parede fechou. Ento o anjo e eu viajamos em alta velocidade paraum outro lugar.

    Aqui, tambm, eu podia ouvir a msica e os gritos de glria do povo de Deus. Oanjo disse:

    Filha, fui designado pelo Senhor para mostrar-lhe muitas coisas. Fale s

  • pessoas sobre estas coisas tambm.

    Trs

    Antes, Agora e DepoisE este ponto em minha viso, o anjo do Senhor come ou a revelar-me coisas a

    respeito das quais anteri ormente sempre tive curiosidade de saber. Ele comeou acontar-me um grande mistrio. Ele disse:

    Deus falou, e agora vou comear a mostrar-lhe, o antes, o agora e o depois. O quevoc vai ver vai causar-lhe uma grande excitao. Vou revelar-lhe o que acontecequando algum nasce de novo. Voc vai ver como os peca dos de uma pessoa solavados pelo sangue do Cordeiro, numa das salas de registros.

    Ele disse ainda: Vou mostrar-lhe o que acontece quando algum que nasceu de novo morre na

    terra e a sua alma vai para o cu. Venha ver a glria do seu Deus!Viajamos do cu paraa terra em alta velocidade, e logo estvamos na terra. Eu podia ver tudo como se fosseuma viso, e o anjo me disse:

    Olhe, veja isso.Tendo o anjo permitido que uma viso passasse di ante de mim, vi uma bela

    igrejinha do interior. No sabia onde aquela igreja se localizava geograficamente, massabia que era duma rea rural, da roa.

    Com o auxlio do anjo de Deus, foi-me permitido ver dentro daquele templo.Havia cerca de trinta pessoas sen tadas nos bancos da igreja. O pastor pregava sobre ase guinte passagem:

    "Buscai o Senhor enquanto se pode achar, invocai-o enquanto est perto. Deixe operverso o seu cami nho, o inquo, os seus pensamentos; converta-se ao Senhor, quese compadecer dele, e volte-se para o nosso Deus, porque rico em perdoar"(Isaas 55:6-7)

    Enquanto via aquela cena, vi tambm um poderoso anjo sobre a igreja. O anjo aomeu lado disse:

    H sempre um grande anjo postado sobre cada igreja. Ao seu encargo estotodos demais anjos da mesma.

    ANJOS NA IGREJA

  • Dois anjos com livros ficavam do lado de fora da por ta da igreja. Eu vi pessoasentrando e saindo da igreja. Ento o anjo ao meu lado fez um movimento com uma dasmos, e eu pude ver dentro da igreja; era como se o telha do tivesse sido retirado.

    Havia um anjo de cada lado do pastor, junto ao pl pito. Alm desses havia maisdois anjos. Em volta do pl pito eram quatro no total.

    Havia dois anjos na parte do fundo da igreja, por detrs da congregao. Outrosdois permaneciam a meia distncia na nave, e na plataforma do altar mais dois.Portanto havia vrios anjos na igreja, e muitos deles ti nham rolos e penas em suasmos.

    Quero mostrar-lhe o que vai acontecer agora dis se o anjo que meacompanhava.

    O pastor comeou a falar, e os introdutores comea ram a levantar as ofertas. medida que as ofertas eram recebidas, os anjos anotavam as atitudes das pessoas pordarem. Eles anotavam os propsitos de cada ofertante se eles davam de m vontadepara o trabalho do Senhor, ou se eles ofertavam com alegria, numa atitude de adora o.Os anjos registravam tudo em seus livros.

    Ento os dois anjos grandes, da frente do plpito, acenaram a cabea para osoutros anjos.

    Tudo isso que acontecia com os anjos era completa mente invisvel para as pessoasda igreja, mas eu podia ver tudo claramente. Ento o anjo me disse:

    Vou mostrar-lhe algo mais. Observe mais de perto, e voc ser abenoada.De repente, era como se eu tivesse sido movida para trs do pastor. Quando ele

    estava pregando sobre o versculo 6: "Buscai o Senhor enquanto se pode achais invocai-oenquanto est perto", eu vi um exrcito de seres celestiais dentro da igreja. Durante todoo tempo do cul to, os anjos se regozijavam.

    O ministro estava com muita uno na pregao da quela mensagem. Um dosanjos derramava o que parecia ser fogo sobre a cabea do pastor. A glria de Deus saada boca do pastor.

    No fundo da igreja uma porta abriu-se, e um homem muito embriagado entrou,cambaleando. Indo pelo corre dor da igreja, ele disse:

    Eu sou esse cara para quem est falando, pregador. Eu preciso de Deus, eupreciso ser salvo. Sou um alcolatra.

    O homem ajoelhou-se na frente e comeou a chorar diante de Deus. Dois diconosvieram at onde ele estava para ministrar a ele. Colocando os braos envolta dele,perguntaram:

    Voc est levando a srio o que disse? Voc real mente quer ser salvo? Sim, eu quero ser salvo disse ele. Eu sou um alcolatra. Eu preciso me

    libertar.

  • UMA ALMA SALVADe repente dois anjos a mais apareceram. Eles ti nham rolos nas mos, e

    comearam a escrever o que o homem dizia. Ento os diconos passaram a dirigi-lo noprocesso de salvao.

    Eu vi que aquele homem estava cheio de pecados. Entretanto, enquanto osdiconos oravam com ele, um dos anjos tocou no corao dele, e uma fumaa escuracomo nuvem de chuva foi expelida do seu trax.

    Quando eu vi isso, recordei-me de algumas das Es crituras que falam sobre ospecados abominveis que saem do corao:

    "O homem bom tira do tesouro bom cousas boas; mas o homem mau do mau tesourotira cousas"Mas as coisas que saem da boca vm do cora o, e so essas que tornam o homem'impuro'. Pois do corao saem os maus pensamentos, os homicdios, os adultrios,as imoralidades se xuais, os roubos, os falsos testemunhos e as ca lnias"(Mateus 15:18-19-NVI)

    Conforme o homem comeou a orar a Deus com as mos levantadas, vi enormesfaixas negras que o amarra vam completamente. Ele estava cativo por toda espcie depecado, especialmente pelo vcio do lcool e pela em briaguez. Um dicono disse-lhe:

    Voc tem de confessar os seus pecados a Deus, para que ele o perdoe, e assimvoc seja lavado no sangue do Cordeiro.

    Quando ele comeou a confessar os seus pecados, um anjo tocou nele. Eu pudever que das mos do anjo saa fogo. As faixas comearam a ser desfeitas, e foramrompidas.

    Isso deu ao homem uma tremenda libertao. Ele levantou as mos e adorou aoSenhor. Ele levantou-se, eeu pude ver a glria de Deus cair sobre ele. Sei que o Senhorfez com que ficasse sbrio, porque ele comeou a dar louvores a Deus.

    Ento os dois anjos poderosos olharam um para o outro e fizeram um sinal com acabea. Vieram, atravs do ar, para onde ns estvamos, e me disseram:

    Venha ver a glria de Deus.

    DE VOLTA SALA DE REGISTROSViajamos de volta para o cu, com os outros dois an jos, com muita rapidez. Ao

    entrarmos pelo portal, desce mos por um lindo caminho que parecia ser feito todo deouro puro. Rapidamente fomos levados para uma sala maravilhosa. Ento o anjo medisse:

    Venha ver o que fazemos aqui.

  • O longo corredor onde estvamos dava para muitas outras salas semelhantesquela em que iramos entrar. O anjo disse:

    H muitas salas iguais a esta no cu. Elas cha mam-se salas de registros. Vocvai ver o que acontece nelas.

    O anjo disse tambm: Vamos para a sala que contm o nome daquele que acabou de se converter na

    terra.Naquela sala vi os anjos que tinham vindo da terra irem rapidamente a um outro

    anjo, passando-lhe o rela trio escrito num rolo.Vrias escadas estavam encostadas nas paredes da quela sala retangular. Havia

    prateleiras cobrindo todas as paredes, cheias de muitos e muitos livros. O que eu viafez-me lembrar das bibliotecas que h na terra.

    Outros anjos, cantando e louvando a Deus, permaneci am numa fila em frente auma grande mesa. Ela tinha cerca de dois metros e meio de comprimento e um metro evinte de largura. Uma pea talhada na forma quadrada estava no centro da mesa, a qualera revestida de ouro slido. Era muito linda, toda esculpida de folhas e de frutas.

    Era a mesa mais linda que algum possa imaginar. Eu nunca tinha visto nadaigual nem mesmo um qua dro que se assemelhasse um pouco a ela - na terra. Euestava arrebatada com a glria e a majestade de Deus naquele lugar.

    Os anjos subiam e desciam as escadas. Eles no pa ravam de trazer livros dasprateleiras e de lev-los de volta para os respectivos lugares. Alguns anjos encon-travam-se por perto com relatrios de outras partes da terra.

    Observei que alguns livros nas paredes tinham to nalidades diferentes de cor.Ento vi dois dos anjos da quela igreja na fila, com o livro que eles tinham retirado daprateleira. Este livro continha o registro da vida da quele homem que nascera de novona terra, conforme eu tinha acabado de testemunhar.

    O anjo que estava comigo disse:

    Voc est vendo os dois anjos que estavam no culto daquela igreja?

    Sim. Voc est vendo o livro que est com eles? Sim. Este o livro que contm o relatrio do homem que foi salvo agora h pouco.

    Eles retiraram esse livro da prateleira. Agora eles tm de ir at o anjo encarregado.O anjo explicou-me que em cada sala de registros h um anjo encarregado. Tudo

    o que sai ou que entra naque la sala passa por esse anjo. Tudo feito em ordem, para agloria de Deus.

    Eu estava impressionada de ver todas essas coisas acontecendo. O anjoencarregado tinha um brilhante ador no em sua cabea, que est alm da minhacapacidade de descrever. Ele tinha um reluzente cabelo dourado, e usa va um mantobranco com muito ouro sobre o mesmo. Esse maravilhoso anjo tinha uma envergadurade asas de cer ca de trs metros e meio. Era o anjo mais lindo que eu tinha visto. Ele era

  • o principal responsvel pelos regis tros daquela sala.Ento o anjo encarregado olhou para mim e fez si nal para que eu ficasse a seu

    lado. O poder de Deus mo veu-me, e num instante eu estava direita dele.

    Ele me disse: Foi-lhe permitido estar aqui para que voc possa ver o que acontece quando

    algum na terra nasce de novo. para voc relatar s pessoas da terra.A maravilha daquele momento emocionou-me mui to, muito alm do que posso

    descrever!

    MANTENDO REGISTROSEnquanto eu observava tudo aquilo minha frente, altos louvores subiam a Deus

    de todos os lados. Dava para ouvir claramente sinos tocando, embora no pudessev-los. Anjos encantadores, rindo sem parar, gloriosos, feli zes, com livros em suasmos, aguardavam a sua vez de falar com o anjo responsvel.

    Comecei a louvar e a glorificar a Deus de uma nova maneira pelo seuextraordinrio poder e pelos seus atos gloriosos.

    Voc est vendo os dois anjos que esto na frente da mesa?, o anjoperguntou-me.

    Sim respondi.

    Eles estavam presentes quando aquele homem nasceu de novo.O anjo tirou uma mensagem do rolo; era como um marcador de livro. No dava

    para ver o que estava escrito no papel nem no rolo.

    Olhe e veja o que est escrito aqui disse o anjo, mostrando-me o papel.A mensagem estava escrita de forma bem organi zada, e era muito bonita. Vi o

    nome do pas, o nome do estado, o nome da regio, o nome da cidade e o nome daigreja.

    O anjo ainda mostrou-me que estava escrito o nome do pastor e quantas pessoasestavam na igreja. Vi tam bm a ordem do culto. Tudo devidamente escrito e re gistrado.Havia tambm os nomes das pessoas que ti nham participado do culto e detalhes sobreas ofertas recebidas.

    O nome do homem cuja salvao eu tinha visto na terra estava registrado naquelepapel. A mensagem do Evangelho do Senhor Jesus Cristo que foi pregada para salvaraquela alma e at mesmo a hora, o minuto e o se gundo do momento em que ele aceitouJesus tudo esta va escrito. Ento eu gritei:

    Glria a Deus!Quando o relatrio chegou no ponto em que o ho mem fez a orao do pecador

    arrependido e recebeu Jesus Cristo como Senhor e Salvador, o anjo encarregado olhou

  • para os dois anjos mensageiros e perguntou: Vocs so testemunhas de que este homem nasceu de novo nessa hora e nesse

    momento? Sim, somos testemunhas, disseram eles. Est vamos l. Ele recebeu Jesus

    Cristo como Senhor e Salva dor. Vimos tudo isso acontecer.O rudo da glria, os louvores e os gritos aumenta ram a ponto de atingir um

    clmax de deslumbramento. Todo o cu estava glorificando a Deus.Ento o anjo escreveu algo no livro que ele tinha a seu cuidado e o fechou. O livro

    era muito grosso. Ele me disse:

    Olhe para trs.Olhei e vi muitas pessoas; eram os santos remi dos, que vestiam vestes brancas,

    adornadas com muito esplendor.

    O SANGUE DE JESUSOs santos remidos do Deus Altssimo estavam can tando uma cano que dizia:

    Oh, somente o sangue de Jesus que lava todo o meu pecado.

    somente o sangue de Jesusque de todo mal me tem curado.Oh, somente o sangue de Jesusme lava e me faz purificado.

    Eu fui remido, sim; por inteirosalvo pelo sangue do Cordeiro!

    Como pude observar, o livro daquele homem foi en tregue para um daquelessantos que se regozijavam. To das as pginas, uma a uma, de tudo o que estava escritoiam sendo lavadas. Eles levantavam cada uma das pgi nas, e eu pude ver que cadauma delas tinha sido lavada pelo sangue de Jesus. Nenhum pecado daquela pessoapermaneceu. Ento veio minha lembrana, a seguinte palavra de Isaas:

    "Eu, eu mesmo, sou o que apago as tuas trans gresses por amor de mim e dos teuspecados no me lembro"(Isaas 43:25)

    Pensei ento: "Oh, Deus, como bom saber que a tua Palavra ainda atuante.Aquele homem teve os seus pe cados lavados pelo sangue do Cordeiro."

  • Vi que o livro foi passado para um outro anjo. Esse ser celestial tinha um cabelolongo muito bonito. O livro foi pos to numa bandeja, que o anjo carregava. Os anjos secumpri mentaram uns aos outros e gritos de glria foram dados.

    O anjo que me acompanhava disse: Venha ver a glria do seu Deus.Comecei ento a viajar com ele num passo muito rpido pelas passagens do cu.

    O LIVRO DA VIDA DO CORDEIRONovamente me deparei com o trono de Deus. Meu querido leitor, l havia

    trompas sendo tocadas, e trombe tas soaram, bem forte. Uma nuvem de glria, a glriaShequin, iluminou toda a rea em volta do trono.

    Houve muitos relmpagos e troves. Eu ouvia uma multido de vozes dizendo:"Glria a Deus! Aleluia!"

    Observei essa grandiosa cena, e vi o anjo colocar o livro sobre o altar de Deus edepois reverenci-lo, incli nando-se totalmente. A voz de Deus ressoou alta atravs doar, mas compreendi cada palavra. Deus disse:

    "Mais uma alma foi remida pelo sangue do meu Fi lho. Mais uma pessoa recebeu asalvao eterna por meio do sangue do meu Filho."

    Todos os sinos do cu tocaram naquele momento! Todo o povo do cu gritava!Curvei-me e comecei a louvar a Deus.

    Pude ento ver o Livro da Vida do Cordeiro (Apocalipse 21:27) sobre o altar deDeus, e vi que mos saram da nuvem de glria e abriram o livro que tinha sidodeixado pelo anjo. Ento o nome daquele homem foi escrito no Livro da Vida. Glria aDeus! O nome de cada um de ns, que somos salvos por meio de Jesus, est es crito noLivro da Vida tambm.

    Eu ainda contemplava aquela cena grandiosa quan do o anjo do Senhor me dissenovamente: Venha ver a glria de Deus.

    Imediatamente eu fui retirada do cu com a veloci dade da luz. Naquele momentoem que me movia com o anjo, lembrei-me da seguinte passagem de Isaas:

    "...dar-te-ei os tesouros escondidos e as riquezas encobertas, para que saibas que eusou o Senhor, o Deus de Israel, que te chama pelo teu nome. Por amor do meu servoJac e de Israel, meu escolhido, eu te chamei pelo teu nome e te pus o sobrenome,ainda que no me conheces."(Isaas 45:3-4)

    O RIO DA VIDA

  • Na cena seguinte da minha viso, observei como o Senhor conduz os santos doDeus vivo atravs do Rio da Vida. Oh, o Rio da vida flui do trono do Cordeiro de Deus(Apocalipse 22:1). Quando os santos passavam pelo Rio da Vida, eu ouvi os seus gritosde "Glria a Deus!"

    Ento vi uma enorme multido de santos, os quais estavam sendo vestidos comvestes to brancas e to ma ravilhosas, jamais vistas por algum na terra. Lembrei-me doque Joo escreveu:

    "Um dos ancios tomou a palavra, dizendo: Estes, que se vestem de vestiduras brancas, quem so e donde vieram?Respondi-lhe: Meu Senhor, tu o sabes. Ele, ento, me disse: So estes os que vm da grandetributao, lavaram suas vestiduras e as alvejaram no san gue do Cordeiro"(Apocalipse 7:13-14)

    DIANTE DO TRONOFoi-me dada a permisso de novamente ir diante do trono de Deus e testemunhar

    uma cena excitante e inspiradora. Ouvi o som das trombetas quando me achei diante dotrono de Deus. No tenho palavras para descre ver adequadamente a emoo e o temorque senti.

    Doze anjos estavam ministrando diante do trono, com vestes adornadas demaneira tal que no d para descre ver. O melhor que posso fazer dizer-lhe que haviajias encravadas no peitoral de suas vestes. Na parte superior da cabea eles tinham umcerto material celestial de co res gloriosas. A orla de seus longos mantos era feita toda deouro.

    O ressoar das trombetas anunciou a chegada dos san tos, que vinham, um a um,at a presena de Deus. Um incalculvel nmero de santos, de anjos, e de serescelestiais compunha a imensa multido. Todos eles glorificavam a Deus.

    OS REMIDOSOs remidos de todas as pocas eram gloriosos e be los. Eles eram pessoas reais no

    formaes de fumaa ou nuvens flutuando no espao.Para onde quer que eu olhasse, eu via osanjos lou vando a majestade de Deus, sem parar.

    Estando eu postada diante do trono, ouvi uma gran de voz, que dizia:

    "O tabernculo de Deus est com os homens, com os quais ele viver. Eles sero osseus po vos; o prprio Deus estar com eles e ser o seu Deus."(Apocalipse 21:3-NVI)

  • Ento vi uma nuvem de glria cheia de relmpagos, troves e vozes. Quandocontemplava tudo aquilo, vi a mo de Deus sair para fora da nuvem, passando aenxugar as lgrimas dos olhos dos santos. A Palavra diz que Deus "lhes enxugardos olhos toda lgrima" (Apocalipse 21:4).

    Ouvi Deus dizer:

    "A morte j no existir, j no haver luto, nem pranto, nem dor, porque asprimeiras coisas pas saram... Eis que fao novas todas as coisas "(Apocalipse 21:4-5)

    Deus disse assemblia dos santos reunidos: "Os seus nomes esto escritos noLivro da Vida do Cordeiro. Sejam bem-vindos ao gozo do Senhor."

    Mais uma vez, um outro versculo das Escrituras veio minha mente:

    "Muito bem, servo bom e fiel; foste fiel no pouco, sobre o muito te colocarei; entrano gozo do teu senhor."(Mateus 25:21)

    Depois disso o Senhor colocou uma magnfica coroa de ouro na cabea de todosos que tinham sido feitos santos.

    Pude ver que as bnos de Deus continuariam a fluir para todos os remidos. Eisso no teria fim!

    Quatro

    Depsitos do CuCreio que Jesus Cristo revelou o cu para mim, como o fez, a fim de dar-me uma

    compensao. Ele sabia que eu tinha passado pela experincia de muitas visitas aoinferno, e o que vivenciei l tinha sido to horrvel que ele me deu a bno de ver ocu.

    Uma das minhas visitas ao cu foi para me serem mostrados os depsitos deDeus. O anjo do Senhor me disse:

    Venha ver a glria do seu Deus.O anjo era alto e muito belo. Suas asas triangulares tinham as cores do arco-ris.

    Ele me disse que Deus lhe havia dado instrues, e que ele tinha sido designado para

  • mostrar-me partes do cu.Comeamos a subir cada vez mais alto atravs da atmosfera e passamos de novo

    por uma das entradas do cu. Vi rvores frutferas carregadas de belos frutos. Vifamlias vestidas com belos mantos, subindo e descendo por encostas de colinas,louvando a Deus.

    O meio ambiente estava saturado das mais belas msicas que a gente gostaria deestar sempre ouvindo. As msicas celestiais so uma manifestao de alegria. aevidncia clara de que h felicidade, a prova de que h alegria.

    J ouvi magnficos corais e grandes conjuntos que cri aram e que executaram belasmsicas aqui na terra. Mas, meu irmo, nada h aqui na terra que se compare com oesplendor e com a beleza da msica e das canes de l.

    O cu era como uma sinfonia de msica. Imagine, se puder, milhares de vozesperfeitamente afinadas, harmo niosamente entoando melodias celestiais! Sem nenhumadissonncia! Tudo na mais perfeita harmonia!

    Instrumentos de cordas proporcionavam um belo acompanhamento, juntamentecom trombetas e outros instrumentos musicais. Todos em perfeita harmonia com asvozes dos santos remidos, os quais louvavam a Deus com uma alegria arrebatadora. Ossons dos instrumen tos, assim como as vozes, tinham sido purificados e aper feioadospelo poder do Deus todo-poderoso.

    Oh, como foi glorioso ouvir os maravilhosos louvores dados a Deus. Vozes queso desafinadas ou sem qualida de de timbre na terra cantaro belas harmonias no cu.Todos seremos felizes l. Mesmo um coral com dez mil vozes aqui na terra ficariaapagado se comparado com a grande e eloqente msica executada na cidade celestialde Deus!

    Hinos de louvor incrveis ressoavam pelas campinas celestiais e pelas ruas do cu.De tal forma fui tomada pela msica que por algum tempo no consegui ouvir nempensar nada mais.

    Finalmente, o anjo me disse: Venha ver a glria de Deus.Lembro-me de ir com ele por uma regio de um gra mado com uma relva to

    verde que no d para se imagi nar na terra. Por l havia enormes concentraes de flo-res em certas partes daquele gramado. As flores eram maravilhosas e assemelhavam-seum pouco com rosas. Cada planta tinha pelo menos uma flor composta de lin dasptalas. Querido irmo, a sensao era de que as flo res estavam cantando!

    CAVALOS DO CUViajando com o anjo, passamos por um lugar em que havia belos cavalos brancos.

    Lembrei-me de ter lido no Apocalipse sobre cavalos e que Jesus vir um dia monta do numcavalo branco, liderando os exrcitos do cus, que tambm estaro cavalgando cavalos brancos:

  • "Vi o cu aberto, e eis um cavalo branco. O seu cavaleiro se chama Fiel eVerdadeiro e julga e peleja com justia. Os seus olhos so chama de fogo; na suacabea, h muitos diademas; tem um nome escrito que ningum conhece, seno elemesmo. Est vestido com um manto tinto de sangue, e o seu nome se chama o Verbode Deus;e seguiam-no os exrcitos que h no cu, mon tando cavalos brancos, comvestiduras de linho finssimo, branco e puro."(Apocalipse 19:11-14)

    Esses cavalos pareciam ser to nobres quanto peas de xadrez de mrmore. Elesassemelhavam-se a enormes esttuas como que esculpidas de grandes pedras, maseram reais e estavam vivos. Seus cascos eram gigantes cos. Eles eram totalmente brancose tinham uma nobre postura.

    Uma mulher vestida com um bonito manto estava sorrindo e falava com oscavalos, ensinando-os a dobrar os joelhos em adorao a Deus. Ao seu comando, todosao mesmo tempo curvavam a pata direita e louvavam a Deus!

    Pensei comigo mesma: "Oh, que lindo!" E lembrei-me de ter lido na Bblia quetoda criatura no cu e na terra dar honras e louvor a Deus:

    "Por mim mesmo tenho jurado; da minha boca saiu o que justo, e a minha palavrano torna r atrs. Diante de mim se dobrar todo joelho, e jurar toda lngua"(Isaas 45:23)

    "Porque est escrito: 'To certo como eu vivo, diz o Senhor, todo joelho se dobrardiante de mim, e toda lngua confessar a Deus'"(Romanos 14:11-NVI)

    "Pelo que tambm Deus o exaltou sobremaneira e lhe deu o nome que est acima detodo nome, para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho, nos cus, na terra edebaixo da terra, e toda ln gua confesse que Jesus Cristo Senhor, para glria deDeus Pai."(Filipenses 2:9-11)

    "Ento, ouvi que toda criatura que h no cu e sobre a terra, debaixo da terra esobre o mar, e tudo o que neles h, estava dizendo: 'quele que est sentado notrono e ao Cordeiro, seja o louvor, e a honra, e a glria, e o domnio pelos sculosdos sculos'."(Apocalipse 5:13)

    Paz, alegria e felicidade estavam por toda a parte. Eu podia ouvir as pessoaslouvando a Deus.

    De repente, o anjo que estava comigo desapareceu, mas ali estava Jesus. Ele mepareceu ter uma grande estatura, e usava um manto bem diferente das vestes dosdemais.

    Seus olhos eram penetrantes e belos. Ele aparentava ter uma barba muito bem

  • feita e cabelos abundantes. Lem bro-me de ter olhado para ele e de ter pensado que aternu ra do seu olhar era algo muito alm da possibilidade de ser descrita. O encanto do nossoabenoado Salvador era ma ravilhoso e ao mesmo tempo impunha um grande temor.

    Tudo dentro de mim queria louv-lo, ador-lo e cur var-se diante dele, o Rei dos reis eSenhor dos senhores, Jesus Cristo. Ondas de glria e poder ecoavam fortemen te em volta dele.

    DEPSITOS DE CURASObservei que o olhar de Jesus tornou-se um tanto sofrido. Perguntei-lhe: Jesus o que que h?

    Filha, olhe!

    Ele acenou com a mo apontando para um edifcio em que havia uma grande abertura.Dela glria e poder ondas e mais ondas de poder saam em massa para fora. Voltei aperguntar-lhe:

    O que isso, Jesus?

    Filha, d para voc ver as curas que h nesses de psitos?

    Sim, Senhor.

    Todas essas bnos esto espera do povo de Deus. Os sofrimentos desta vida so defato trgicos.

    Quantas no so as enfermidades, as angstias, as defor midades fsicas e as doenas detodo tipo que fazem as pessoas sofrerem muito aqui na terra!

    Voc v isso em toda a parte. Basta percorrer os cor redores de um hospital ou de umambulatrio mdico. Visite a enfermaria de doenas infecciosas, a ala de doen tes mentais, as salasde atendimento de emergncia, a unidade de terapia intensiva e qualquer outro lugar que datendimento a pessoas com fortes dores e sofrendo de terrveis aflies fsicas e mentais.

    As doenas decorrem da queda de Ado e Eva no Jardim do den. So uma dasconseqncias do pecado. Alguns vem as doenas como um transtorno, como uma tragdia dacondio humana, ou como algo que faz parte da vida normal. Na realidade as doenas somaldies de satans.

    CURAS NO CUA necessidade de cura assustadora.A doena uma deturpao da vontade de Deus. Ela um elemento estranho na economia

    de Deus. No se origina de Deus e no provm do cu. O pecado origina-se de uma fonte maligna eno de uma fonte boa.

    Quando chegarmos no cu, todas as doenas, enfer midades e sofrimentos tero terminadopara sempre. Pau lo escreveu sobre a redeno final do nosso corpo:

  • "Porque para mim tenho por certo que os sofri mentos do tempo presente no podemser com parados com a glria a ser revelada em ns. A ardente expectativa dacriao aguarda a reve lao dos filhos de Deus"(Romanos 8:18-19)

    O pior sofrimento fsico possvel nesta vida no d para se comparar com amaravilhosa e extraordinria glria que ser a vida futura. No cu, com um corpo per-feito, ns descansaremos em Cristo sem nenhuma dor f sica ou aflio. Ainda, Deustambm quer que sejamos curados agora.

    Um dos nomes de Deus na Bblia Jehovah Rapha, que significa "o Senhor o quecura." Ele fez uma aliana de cura com o seu povo. Ele prometeu a Israel:

    "Se ouvires atento a voz do Senhor, teu Deus, e fizeres o que reto diante dos seusolhos, e deres ouvido aos seus mandamentos, e guardares to dos os seus estatutos,nenhuma enfermidade vir sobre ti, das que enviei sobre os egpcios; pois eu sou oSenhor, que te sara."(xodo 15:26)

    Embora as doenas sejam parte da maldio do pe cado, Jesus levou dos crentestoda maldio, por meio da sua expiao pelo pecado. As feridas e pisaduras que Cristosofreu pagaram o preo do pecado. Ele tornou-se nosso Salvador. Contudo, o seusofrimento foi mais abrangente do que apenas pagar o preo pelo pecado; a sua dor ocredenciou e o autenticou como sendo aquele que nos cura!

    "Mas ele foi traspassado pelas nossas transgres ses e modo pelas nossasiniqidades; o casti go que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisadurasfomos sarados."(Isaas 53:5)

    "Cristo sofreu em nosso lugar... carregando ele mesmo em seu corpo, sobre omadeiro, os nossos pecados, para que ns, mortos para os pecados, vivamos para ajustia; por suas chagas, fostes sarados."(1 Pedro 2:21, 24)

    A CURA PARA HOJEO ministrio de cura de Cristo no cessou quando ele foi elevado ao cu diante

    dos discpulos. O livro de Atos dos Apstolos a continuao de "todas as cousas queJesus comeou a fazer e a ensinar" (Atos 1:1).

    Jesus serviu de modelo ao exercer um ministrio de cura quando esteve na terra, eensinou que a cura parte dos benefcios do Reino de Deus. Antes de retornar para oPai, Jesus instruiu os discpulos a ir e curar os enfermos. Ele disse:

  • "Estes sinais ho de acompanhar aqueles que crem: em meu nome, expelirodemnios; fala ro novas lnguas; pegaro em serpentes; e, se alguma coisamortfera beberem, no lhes far mal; se impuserem as mos sobre enfermos, elesficaro curados"(Marcos 16:17-18)

    Jesus tambm nos disse:

    "E tudo quanto pedirdes em meu nome, isso farei, a fim de que o Pai seja glorificadono Filho. Se me pedirdes alguma coisa em meu nome, eu o farei. Se me amais,guardareis os meus mandamentos."(Joo 14:13-15)

    Jesus ento desapareceu, e vi-me caminhando com o anjo pelos depsitos. Pensei:"So tantos depsitos, Senhor."Senti Jesus falar ao meu esprito:

    Filha, quando voc orar por algum na terra, ore por eles em meu nome.Lembre-se de que no voc quem faz a cura, e sim eu. Pea-me para curar os olhos, ouas pernas, e eu o farei. Pea para eu endireitar pernas tor tas, ou para curar corposdoentes, e eu os curarei. Tudo quanto voc me pedir para fazer, pea em meu nome, eento eu o farei. As respostas a essas oraes esto espe rando nesses depsitos de cura.

    Jesus enfatizou que as bnos nesses lugares so para o seu povo e para ospecadores da terra. Lembro-me de que ele disse que em breve vir sobre o mundo umaavalanche de curas.

    Considerei as curas que j esto acontecendo na ter ra, e ento pensei: "Senhor,que maravilha! O senhor vai reparar o nosso corpo!"

    A medida que envelhecemos, o nosso corpo comea a desgastar ou deteriorar.Isso o efeito natural do pecado, e nunca estaremos inteiramente livres dessas conseq-ncias. Mas Deus no deseja que passemos nossos lti mos anos acamados e inteis. Eledeseja manter-nos ati vos e produtivos. Jesus morreu para tornar-nos inteira mente sos.

    Jesus Cristo, o Filho de Deus, derramou o seu san gue para que pudssemos sersalvos do inferno. Se cre mos que Jesus o Filho de Deus, temos esperana. A es peranada nossa alma est em Jesus.

    Jesus Cristo sofreu para curar o nosso corpo. O nosso privilgio, a nossa bno ea nossa esperana para uma perfeita sade e para o bem estar acham-se em Jesus.Meuirmo, h depsitos e mais depsitos no cu com bnos ainda no requisitadas. Elasesto aguardando serem requisitadas pelo povo de Deus pela orao com f, e no nomede Jesus!

    Quando ele estava na terra, o Senhor certa vez disse:

    "Vou preparar-vos lugar." (Joo 14:2)

  • O lugar que ele est preparando est no cu. um lindo lugar de muitas coisasbelas.

    Enquanto dou o meu testemunho neste livro, falan do sobre o cu, s de pensar aminha alma fica toda emo cionada.

    "Damos-te graas, Senhor, pela linda Palavra que deste a ns, seus filhos!"

    Cinco

    Ordem no CuO cu um lugar em que todos tm o que fazer. Ele est cheio de atividades e de

    emoes. Os anjos es to sempre fazendo coisas, eles esto sempre envolvidos emproveitosos e laboriosos empreendimentos.

    Um dos propsitos deste livro contar a voc que eu vi os anjos trabalhando nocu. Eles esto sempre felizes e alegres nunca se cansam, nunca ficam tristes. Elesesto sempre louvando a Deus.

    Os santos remidos esto tambm ocupados no cu. Eles sempre tm alguma coisapara fazer. Exatamente qual o trabalho que os santos tm para fazer, eu no sei. Masposso assegurar que ningum fica ocioso naquele belo lugar.

    Os santos ocupam-se com trabalhos que nunca reali zaram na terra. Tm tarefasestimulantes, divertidas, todas com um propsito. Esto continuamente glorificando aDeus e fazendo o que Deus lhes ordenou que fizessem.

    Quando vi os anjos voando para o cu de volta da terra levando os seus relatrios,eles provinham de toda parte do mundo. Eles tinham estado no culto de muitas igrejase em muitas reunies de orao.

    Quando observavam o que se passava na terra, eles sempre tinham mo papisbrancos que pareciam ser rolos, com margens douradas. Depois eles retornavam acertas partes do cu e compartilhavam os seus relatrios com outros anjos.

    A POPULAO CELESTIALNuma determinada localidade do cu eu vi homens santos que vestiam um belo e

    glorioso manto branco. Ime diatamente lembrei-me da seguinte passagem de Isaas:

    "Regozijar-me-ei muito no Senhor, a minha alma se alegra no meu Deus; porque mecobriu de vestes de salvao e me envolveu com o man to de justia, como noivo quese adorna de tur bante, como noiva que se enfeita com as suas jias"(Isaas 61:10)

  • As pessoas que eu vi no cu tinham diferentes as pectos e eram de todas as naesdaqui da terra. As Sa gradas Escrituras dizem:

    "Depois destas coisas, vi, e eis grande multido que ningum podia enumerar, detodas as na es, tribos, povos e lnguas, em p diante do tro no e diante do Cordeiro,vestidos de vestiduras brancas, com palmas nas mo."(Apocalipse 7:9)

    Uma outra coisa que me deixou uma forte impres so foi o fato do cu ser umlugar to organizado. Tudo que vi ser feito era sempre feito de forma completa, ade-quada e com o mais elevado grau de excelncia. Nenhum trabalho era de segundaclasse; nenhum produto era de qualidade inferior; nenhuma atividade era medocre.

    Quando vi famlias andando pelas santas colinas do cu louvando a Deus, comoera lindo o que eu via! A ale gria e a felicidade que tinham no eram reprimidas e eramsem restrio. As pessoas pareciam estar sempre fazendo maravilhosos feitos napresena do Senhor.

    Tudo o que era realizado, tanto individualmente como em grupos, era feito namais perfeita ordem. O cu completamente livre de impurezas e imperfeies. Tudo literalmente perfeito. Todas as alteraes e mudanas a que nos acostumamos aqui naterra so inexistentes no paraso de Deus. Alegria perfeita e paz perfeita tomam ocorao, a alma e o corpo de todos os que l esto.

    A PERFEITA ORDEMTudo o que acontece no cu divino, em perfeita or dem e tem um

    propsito.Tanto os anjos como os santos ocupam-se permanen temente com um servioexcelente e alegre. Ningum ocioso. Ningum se aborrece com nada. Os filhos deDeus, assim como os anjos e todas as criaturas celestiais o ser vem de dia e de noite,eternamente.

    Quando recebermos novos corpos celestiais aps a ressurreio dos santos, nuncamais nos cansaremos, nem nos enfraqueceremos. No mais saberemos o que cansa o.O nosso corpo glorificado e sobrenatural jamais perde r o vigor. Na eternidade, otempo est interrompido e as circunstncias no podero mais afetar a nossa mente, anossa vontade ou mesmo o nosso corpo.

    Para nos dedicarmos ao servio e aos prazeres do cu, precisamos ter umanatureza celestial. E isso que aconte ce quando nascemos de novo tornamo-nos"co-participan tes da natureza divina" (2 Pedro 1:4), como explica Pedro:

    "Visto como, pelo seu divino poder, nos tm sido doadas todas as coisas queconduzem vida e piedade, pelo conhecimento completo daquele que nos chamoupara a sua prpria glria e vir tude, pelas quais nos tm sido doadas as suaspreciosas e mui grandes promessas, para que por elas vos torneis co-participantesda nature za divina, livrando-vos da corrupo das pai xes que h no mundo?

  • (2 Pedro 1:3-4)

    A arquitetura do cu foi projetada e construda na eternidade passada pelo Deuseterno. Num certo local eu vi o que parecia ser um quarteiro inteiro da cidade do cu.As construes eram muito grandes, e na parte supe rior de cada uma havia umaenorme coroa feita de muitas jias, o que era impressionante.

    No sei quantas pessoas moravam naqueles espln didos edifcios, porque noentrei em nenhum deles. Mas eles so todos espaosos e majestosos, muito alm detudo o que voc possa ter visto na terra.

    O pensamento que me veio mente foi que as Escri turas falam que, quandotrabalhamos para Jesus aqui na terra, armazenamos tesouros no cu (Lucas 18:22). Lem-brei-me dos seguintes versculos:

    "E os vinte e quatro ancios que se encontram sen tados no seu trono, diante deDeus, prostraram-se sobre o seu rosto e adoraram a Deus, dizendo: 'Graas tedamos, Senhor Deus, Todo-Poderoso, que s e que eras, porque assumiste o teugrande poder e passaste a reinar. Na verdade, as na es se enfureceram; chegou,porm, a tua ira, e o tempo determinado para serem julgados os mortos, para se daro galardo aos teus servos, os profetas, aos santos e aos que temem o teu nome,tanto aos pequenos como aos grandes, e para destrures os que destroem a terra'."(Apocalipse 11:16-18)

    "...porque grande o vosso galardo no cu."(Lucas 6:23)

    "E eis que [eu, Jesus,] venho sem demora, e co migo est o galardo que tenho pararetribuir a cada um segundo as suas obras."(Apocalipse 22:12)

    CARRUAGENS DE DEUSQuando estvamos indo para uma outra regio do cu, o anjo do Senhor me

    disse:

    Venha ver a glria do seu Deus.O anjo mostrou-me ento as carruagens de Deus. Suas rodas eram to grandes

    que at difcil descrev-las. So salpicadas de diamantes, de preciosos rubis e deesmeraldas.

    As carruagens tinham pelo menos duas rodas em cada lado. A parte frontal delasera baixa e aberta, como num tren. Elas eram como que de fogo, mas nunca eramconsumidas.

  • CORPOS DE QUALIDADEA aparncia de todas as pessoas que eu vi no cu era linda e glorificada. Ningum

    apresentava cicatriz algu ma, e todos eram sorridentes e elegantes.J ouvi algumas pessoas dizerem: "Bem, ns vamos ser apenas como nuvens de

    fumaa." No, voc no vai ser como uma nuvem. Voc vai ter um corpo e caracters-ticas prprias,

    A Bblia nos fala que h ancios em volta do trono:

    "Ao redor do trono, h tambm vinte e quatro tronos, e assentados neles, vinte equatro ancios vestidos de branco, em cujas cabeas esto coro as de ouro."(Apocalipse 4:4)

    Os patriarcas no cu so belos santos de Deus que morreram e que foram antes dens. Deus lhes deu vida eterna. Eu os vi como eles sero ao receberem o seu novo eglorificado corpo depois da ressurreio.

    Meu irmo, a sua felicidade no cu ser to grande que hoje no d para vocnem mesmo imaginar. Enquan to eu estava no cu, lembranas deste mundo ficaramdis tantes. L no havia tristeza, sofrimentos e aflies. L eu me deleitava na alegria doSenhor e maravilhava-me com a sua beleza.

    No havia trevas no cu. Havia apenas glria, fora e poder por toda a parte,especialmente mais perto do tro no. O Rio da Vida flua saindo do trono; era lindo easse melhava-se a um mar de vidro:

    "Ento, me mostrou o rio da gua da vida, bri lhante como cristal, que sai do tronode Deus e do Cordeiro."(Apocalipse 22:1)

    Enquanto eu estava indo, o anjo me disse: Venha ver a glria de Deus.Fui levada pelo anjo, num passo muito rpido, para um lugar onde os altos louvores a

    Deus e a msica pareciam ir aumentando em intensidade e em volume. Era a mais belamsica que voc possa desejar ouvir. Sons de alegria e gritos tomavam aquele lugar. O anjo medisse:

    Estamos aproximando-nos do trono.

    E eu pensei: "Oh, Deus, como tudo glorioso, como tudo belo!"

    QUANDO DEUS FALAQuando Deus fala, doze anjos altos, cada um com mais ou menos quatro metros

  • de altura, ficam em frente do trono. Como tocam as suas trombetas!Belas jias adornam a parte frontal de suas vestes. Com a msica e com todas as coisas que

    eles falam e fa zem, eles influenciam todo aquele ambiente. Eles pare cem dar condies para oSenhor falar.

    Vi uma espessa nuvem que cercava o grande trono, enquanto Deus falava ouproclamava alguma mensagem.

    "Do trono saem relmpagos, vozes e troves, e, diante do trono, ardem sete tochasde fogo, que so os sete Espritos de Deus.77

    (Apocalipse 4:5)

    Ondas de poder irradiavam-se da parte frontal do trono. No meio do trono, Deustodo-poderoso habita numa nuvem de glria.

    Quando Deus falava, sua voz soava "como de muitas guas" (Apocalipse 14:2), maseu podia entender cada pa lavra que ele dizia. Num dado momento Deus falou sobre o sangue doseu Filho. Ele falou que o sangue do seu Filho tinha sido vertido por todas as pessoasda terra. Ele disse que o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, pode purificar-nos de todopecado (1 Joo 1:7), e ele fez o seguinte convite:

    "Quem tiver sede, venha; e quem quiser, beba de graa da gua da vida."(Apocalipse 22:17 - NVI)

    Deus disse que o sangue do seu Filho foi derramado para redimir os homens e asmulheres de seus pecados. Disse que valeu a pena o seu Filho ter sido crucificado paranos dar a vida eterna, e que o sangue do seu Filho pagou o preo para nos redimir.

    "...no qual temos a redeno, pelo seu sangue, a remisso dos pecados, segundo ariqueza da sua graa"(Efsios 1:7)

    "...em quem temos a redeno pelo seu sangue, a remisso dos pecados."(Colossenses 1:14-SBTB)

    "..Jesus Cristo... que nos ama, e, pelo seu san gue, nos libertou dos nossos pecados."(Apocalipse 1:5)

    Quando eu estava no cu, era por demais excitante e emocionante ouvir a voz deDeus. Embora fosse poderosa-mente estrondosa, ela era agradvel. Dava para entendertudo o que ele dizia.

    Eu no parava de pensar: "Oh, Deus, como tu s belo! Tu preparaste todas ascoisas. Tu fizeste todas as coisas para ns, Senhor! Ns no podemos nem mesmo

  • imagi nar as coisas que tens preparado para aqueles que o amam" (1 Corntios 2:9).

    O CU, UM LUGAR REALLembro-me de ter pensado: "O cu um lugar real. Estas pessoas so reais. Os

    anjos so reais. Tudo muito lindo e real, e um dia vou herdar tudo isto, se continuar aservir ao Senhor."

    Falar do cu e do esplendor de Deus uma alegria muito grande para mim.Agradeo a Deus de todo o cora o por poder servi-lo. Dou graas a Deus porque JesusCristo salvou a minha alma de um inferno maldito: "Obri gada, Senhor, por ter nascidode novo e ter sido lavada no sangue do Rei, de quem sou filha, e por Jesus Cristo ser omeu Senhor!"

    Se voc ainda no nasceu de novo, voc precisa ser salvo de seus pecados. Vocprecisa pedir para Jesus Cris to entrar em seu corao e salvar a sua alma.

    Acredite que ele o Filho de Deus. Creia que Deus Pai o enviou para este mundo;que ele nasceu de Maria, que era virgem; e que ele o santo Filho de Deus, enviadopara nos remir do inferno. Acima de tudo, voc precisa crer que Jesus pagou o nicosacrifcio vlido pelos seus pecados, ao morrer na cruz.

    Seis

    O que Acontece com as CrianasQuando neste mundo, Jesus falou sobre as criancinhas. Ele disse:

    "Deixai os pequeninos, no os embaraceis de vir a mim, porque dos tais o reinodos cus"(Mateus 19:14).

    Jesus tambm disse o seguinte:

    "Em verdade vos digo que, se no vos converterdes e no vos tornardes comocrianas, de modo algum entrareis no reino dos cus. Portanto, aquele que sehumilhar como esta crian a, esse o maior no reino dos cus!"(Mateus 18:3-4)

    "Em verdade vos digo: Quem no receber o rei no de Deus como uma criana demaneira ne nhuma entrar nele."(Marcos 10:15)

  • "Qualquer que receber uma criana, tal como esta, em meu nome, a mim me recebe;e qual quer que a mim me receber, no recebe a mim, mas ao que me enviou"(Marcos 9:37)

    Tambm, no Antigo testamento, se diz:"Narrai isto a vossos filhos, e vossos filhos o faam a seus filhos, e os filhos destes, outra gerao"(Joel 1:3)

    Essa regio do cu a que vou me referir agora vai real mente emocionar muitagente. Muitas pessoas no aprovam o que vou dizer, mas eu sei que isso me foimostrado por Deus. Foi durante uma das minhas viagens ao cu.

    Eu estava com aquele anjo grandioso, que tinha asas triangulares das cores doarco-ris. Ele usava vestes bran cas, brilhantes, e seus cabelos eram como fios de ouro.Sua aparncia era muito linda e gloriosa. Luz e poder es tavam sobre ele.Ento ele medisse:

    Venha ver a glria de Deus. Deus ordenou-me que lhe mostrasse o lugar paraonde vo as crianas e o que lhes acontece quando morrem.

    Quero esclarecer algumas coisas agora mesmo, an tes de continuar. Quando oSenhor Jesus me mostrou o inferno, no vi nenhuma criana l. Pelo que posso lem-brar-me, no havia crianas ou bebs no inferno.

    Isso pode no concordar com o pensamento de algu mas pessoas, mas voucontar-lhe o que o anjo do Senhor me mostrou do cu e do inferno quanto ao lugar paraonde as crianas vo.

    Eu estava louvando a Deus enquanto ia com o anjo. Estvamos numa parte bemalta da atmosfera quando paramos e o anjo disse:

    H coisas que tenho de lhe mostrar.

    LEMBRANDO-MEQuando eu estava com o anjo do Senhor, muitas coi sas aconteceram, das quais

    no me recordo agora. No me foi permitido guardar certas coisas. Houve muitasexperincias por que passei nas minhas viagens ao cu -coisas que me foram mostradas de que eu no consigo mais me lembrar. Entretanto, o que me foi permitido guar darna memria suficiente para motivar-me a contar-lhe mais sobre o cu!

    Daniel compreendeu tudo o que viu em suas vises e sonhos. Porm, quando oSenhor me levou ao cus Oh... Havia tanta glria e poder! Muitas das coisas queaconteceram no me foram explicadas, e somente fui levada para algumas regies docu. Para mim o lugar mais maravi lhoso foi, sem dvida, onde ficam os bebs e ascriancinhas.

  • BEBS QUE NO NASCERAMQuando o anjo de Deus disse: "Venha ver", ele mo veu uma das mos no ar, e a

    viso de um hospital apare ceu. Vi uma mulher tendo um beb numa sala de parto. Oanjo do Senhor me disse:

    Ela est tendo um aborto. O feto s tem trs meses. Quando me dei conta doque via, dois belos anjos apareceram ao lado da cama da mulher. Em suas mos havia oque parecia ser um cesto feito de mrmore branco e prolas. Foi uma das coisas maisbelas que j vi. O cesto era aberto no centro e fechado pelos lados.

    Os anjos estavam louvando a Deus. Dava para ouvi-los muito bem. Quando amulher teve o aborto, o esprito daquele beb, como um vapor, saiu daquele pequeninoser. Os anjos de Deus o pegaram e colocaram-no no cesto, fe charam a tampa, elevantaram as mos em direo do cu.

    Os anjos comearam a glorificar ao Senhor. Eles acla maram e exaltaram o Reis doreis e Senhor dos senhores, o Criador de todas as coisas do cu e da terra. Eles grita ram:"A Deus seja a glria!"

    Quando eles passaram por ns, eles me disseram mais uma vez:

    Venha ver.Ento retornamos ao cu, entrando por um dos por tais. Oh! Acho que era a regio

    mais bela do cu! Eu no tinha ainda estado deste lado do cu, nem passado por aquelaentrada.

    Lembro-me de ter ido com os anjos a um certo lugar. O anjo q