Top Banner

Click here to load reader

John locke

Jun 23, 2015

ReportDownload

Documents

  • 1. (1632-1683)Segundo Tratado sobre oGoverno (1690)

2. 1. No h por que supor uma hierarquia naturalentre os homens;2. No h por que afirmar a existncia de umvnculo entre propriedade e direito degovernar;3. No h por que traar a genealogia dosgovernos at uma deciso de Deus. 3. Condio natural => indiferenciao de poder;Estado de natureza => estado de perfeitaigualdade e de perfeita liberdade;Igualdade => comunidade de espcie e ausnciade subordinao;Liberdade => possibilidade de dispor livrementesobre o prprio corpo e os bens dados pelanatureza; 4. Condio natural => no leva necessariamente guerra de todos contra todos; possibilidade desociabilidade entre os homens;Estado de perfeita liberdade e igualdade => podelevar a uma situao de desigualdade entre oshomens;Trabalho => transformao da natureza eapropriao dos produtos gerados. 5. Estado de natureza => homens podem exercerrazo; (reconhecer os direitos dos outroshomens);Homens so naturalmente industriosos;Desigualdades => surgidas atravs do trabalho;no podem levar privao dos demais; noso necessariamente contrrias busca do bemcomum. 6. Contrato social => submete-se a um podercomum; transfere sociedade o direito delegislar, de julgar e de punir transgresses;Igualdade natural => fonte de direito autoresistncia e defesa tirania.Estado => funo: proteo propriedade;condies para o funcionamento da economia. 7. Estado de perfeita liberdade para ordenar suas aes e para dispor desuas pessoas e pessoas como julgar adequado, dentro dos limites dalei da natureza, sem pedir autorizao ou depender da vontade deoutro homem.Estado de perfeita igualdade, no qual so recprocos todo poder e todajurisdio, ningum tendo mais que qualquer outro.Nada mais evidente do que criaturas de uma mesma espcie e damesma ordem, nascidas promiscuamente para as mesmas vantagensda natureza e para o uso das mesmas faculdades, devam tambm seriguais umas s outras, sem subordinao ou sujeio, a menor que osenhor de todos ele uma sobre as outras, por uma declaraomanifesta de sua vontade, e lhe confira, por indicao evidente eclara, uma indubitvel direito ao domnio e soberania. 8. O primeiro fazer o que considere adequadopara preservar-se e aos outros, dentro do quepermite a lei da natureza, pela qual, comum atodos, cada um e todo o resto da Humanidadeso uma comunidade, formam uma sociedadede todas as criaturas. 9. Seja o que for que ele remova do estado em que anatureza o proveu e deixou, mistura-lhe seutrabalho, acrescenta-lhe algo que lhe prprio eassim converte em sua propriedade.