Top Banner

of 12

E-book EuSade - Obesidade Infanto

Feb 07, 2017

ReportDownload

Healthcare

eusaude

  • Editor mdico Reginaldo Albuquerque - CRM 647/DF

    Responsvel Tcnico Ricardo Cabral - CRM 31594/MG

    Organizao Laura Gris Mota, jornalista - 2573/DF

    Equipe Eu Sade Patrcia Cabral Santiago

    EuSade Obesidade Infantojuvenil parte da cole-o EuSade e est licenciado com Creative Com-mons - Atribuio-No Comercial 4.0 Internacional.

    Estudos mostram que pessoas que tm maior conhecimento sobre sade, tm muito mais sade. Por isso, a Health Insight criou um projeto com o objetivo de engajar pessoas na promoo de sade e bem-estar a partir de um programa de educao, compartilhamento de experincias e adeso a programas de preveno, seguimento de tratamentos para pacientes crnicos e qualidade de vida: O EuSade.

    Comunidades dedicadas a cada assunto, como Gestao, Cncer ou Diabetes, tornam possvel que usurios interajam e compartilhem ex-perincias e expectativas com pessoas que esto passando pelo mesmo momento de vida. Tambm possvel falar com profissionais da sade, que podem tirar dvidas sobre os assuntos relacionados. Como suporte experincia, ser disponibilizada uma biblioteca de contedos mdicos, ebooks e vdeos sobre cada tema.

    O engajamento de pacientes na promoo da sade um conceito amplo, que vem crescendo em todo o mundo, por que j se sabe que s assim poderemos, ao mesmo tempo, enfrentar doenas e aumentar a qualidade de vida e o bem-estar. Estimulamos o conhecimento, a adeso a programas de sade, a convivncia em redes de afinidade e o com-partilhamento de dados e experincias. Esse livro faz parte da coleo EuSade e apoia o aprendizado bsico sobre cada tema. Aprenda com o livro e inscreva-se em nosso programa, pelo site www.eusaude.com.br

    Icones Freepick from Flaticon, licenciados pela Creative Commons BY 3.0 e HelgaMariahShutterstock.

    Projeto grfico: Agncia Conectando Pessoas

  • SumrioPgina 06.

    Pgina 19.

    Contexto

    A atividade fsi-ca mexendo o corpo

    Consideraes Finais

    Como diagnosti-car a obesidade infantojuvenil

    Pgina 08.

    Pgina 21.

    Pgina 11. Pgina 13.

    Perigos da obesidade infantojuvenil

    Como prevenir a obesidade infantil

  • 6 7

    01.Contexto

    Hoje, vivemos uma realidade em que, por falta de tempo dos pais, muitas vezes mais cmodo e prtico optar ou por alimen-tos processados ou redes de fast food como fonte principal da alimentao. Considerando que esses alimentos so ricos em gordura e acares, acaba-se por criar, dentro de casa, uma dieta nutricional que engorda e adoece as crianas.

    Somando-se a esse cenrio, temos o problema da alimentao dentro das escolas, um dos principais ambientes da vida infan-til, e onde as crianas tm maior liberdade para ditar sua prpria alimentao. Muitas cantinas de escolas particulares sobrevivem base de salgados fritos, doces e refrigerantes. Como conse-quncia, normal que as crianas, com pouca maturidade para decises de consumo, acabem por se acostumar a uma dieta com baixo valor nutricional, que se torna comum, tambm, no ambien-te familiar.

    No raro, nos dias de hoje, encontrar sintomas tpicos da fase adulta em crianas, como alta presso sangunea e manifestao de diabetes tipo 2, chegando a casos de adolescentes que j se submetem a cirurgia baritrica, por exemplo.

    No Brasil, hoje, 56,9% da populao com mais de 18 anos con-

    siderada acima do peso. Entre as crianas de cinco a nove anos, esse ndice de 33,5%, ou uma em cada trs crianas est acima do peso. Em regies mais desenvolvidas do pas, esse ndice supe-ra a mdia nacional, chegando a 35,15% no Centro-Oeste e 38,8% no Sudeste. Para indivduos entre dez e dezenove anos, o ndice

    Problema

    1 em 13 adolescentes obeso

    de 22,15% no Centro-Oeste. Projees da Organizao Mun-dial da Sade apontam que, at 2025, o pas ter cerca de 75 milhes de crianas com sobrepeso e obesidade.

    importante citar que no apenas crianas acima do peso ou obesas esto doentes devido alimentao. A falta de uma dieta balanceada e equilibrada de nutrientes afeta a sade in-fantil independente do ganho notvel de peso. Isso se tor-na srio ao entendermos que, muitas vezes, o problema s aceito quando tem resultados visveis como a obesidade, o que mostra a falta de preveno.

    H diversos responsveis por essa epidemia que afeta no s o Brasil, como a prpria indstria alimentcia e suas estra-tgias de marketing e de publicidade. Mas, em se tratando de preveno, importante destacar o papel no s da famlia, mas tambm do governo e das escolas, que, como maiores responsveis pela formao e educao das crianas, so agentes fundamentais na luta contra essa doena.

    A Organizao Mundial da Sade vem alertando, ao longo dos ltimos anos, sobre a importncia da preveno da obesidade de modo a diminuir os riscos das doenas cardiovasculares que atingem os adultos. Vrios pases, inclusive o Brasil, desenvol-veram projetos voltados para as crianas e os adolescentes.

    BGE (2015) pesquisa feita com adolescentes de 13 a 17 anos, em todo o Brasil 7.8% deles esto com excesso de gordura no organismo. A obesidade infantil atinge 1 milho de meninos e meninas em todo o Pas.

    Mais de 3 milhes apresentam algum grau de excesso de peso e correm o risco de ficar obesos.

  • 8 9

    02.Como Diagnosticar a obesidade Infantojuvenil

    Sobrepeso e obesidade parecem a mesma coi-sa, mas no so.

    Quando a relao entre altura e peso maior do que o indicado. Aqui, somam-se os-sos, msculos, gua e gordura.

    Sobrepeso e obesidade

    Sobrepeso

    Obesidade quando a quantidade de gordura no corpo

    maior do que a indicada.

    Sobrepeso e obesidade so resultados do consumo desequilibrado de calorias. Come--se muito e gasta-se pouco.

    Alm da alimentao, fatores genticos, comportamentais e am-bientais contribuem para esse desequilbrio.

    A obesidade infantil definida usando a frmula do ndice de Massa Corporal (IMC) associado s curvas geradas por estudos epidemiol-gicos e validados pela Organizao Mundial da Sade.

    A partir do IMC, da idade e do sexo da criana, o mdico encontra o ponto de interseco no grfico de curvas.

    As crianas so consideradas obesas quando esto acima de um dos indicadores.

    12

    5

    Idade ( meses completos e anos)

    IMC por idade MENINAS

    Dos 5 aos 19 anos (percentis)

    mesesanos

    67 89 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19

    14

    16

    18

    22

    24

    26

    28p97

    p85

    p50

    p15

    p3

    20

    12

    14

    16

    18

    22

    24

    26

    28

    20

  • 1110

    12

    5

    Idade ( meses completos e anos)

    IMC por idade MENINOS

    Dos 5 aos 19 anos (percentis)

    mesesanos

    67 89 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19

    14

    16

    18

    22

    24

    26

    28p97

    p85

    p50

    p15

    p3

    20

    12

    14

    16

    18

    22

    24

    26

    28

    20

    Independente das curvas, qualquer crian-a que tiver o IMC acima de 30, em qualquer idade, deve ser considerada obesa.

    Ao avaliadores do imc nas escolas

    O momento de identificao dos educandos com sobrepeso muito delicado e precisa ser feito de maneira que no oportunize um tipo de violncia bastante especfica na escola, o bullying. Aqui, o trabalho conjunto entre educadores essencial.

    70% das crianas obesas apresentam um fator de risco para doena cardiovascular.

    A obesidade infantil perigosa porque afeta a vida da criana tanto imediatamente como no a longo prazo.

    Doenas cardiovasculares como colesterol alto e hiper-tenso arterial

    Pr-diabetes

    Problemas articulares, sseos

    Apneia de sonoProblemas com autoestimaProblemas psicolgicos (estig-matizao, bullying)

    Problemas imediatos

    03.Perigos daobesidade Infantojuvenil

  • 1312

    A longo prazo, crianas obesas tm maior probabilidade de serem adultos obesos.

    2 Anos 5 Anos 7 Anos 10 Anos

    J sabemos que a obesidade est associada cnceres de mama, colo, endomtrio, esfago, rim, pncreas, colo do tero, esfago, mie-loma mltiplo e linfoma de Hodgkins. Alm do risco de desenvolver diabetes, hipertenso e outras doenas cardiovasculares.

    Diminuio da auto estimaApniaDesvio de coluna leses em articulaes P chato Problemas cardacos Problemas respiratrios Estrias Risco de diabetes e gordura no fgado

    15% 35%50% 80%

    Consequncias da obesidade infantil

    Os Dez passos da alimentao at os 2 anos

    04.Como prevenir a obesidade infantil

    Este caminho foi definido pelo Ministrio da Sade em 2013, quando publicou um Guia sobre a Alimentao at os 2 anos de idade.

    Passo 1 - Dar somente leite materno at os 6 meses, sem ofe-recer gua, chs ou qualquer outro alimento. Lembrar os pais de que, antes dos seis meses da criana, eles no devem fornecer complementos ao leite materno. O leite materno tudo de que a criana precisa.

    Passo 2 - Ao completar 6 meses, introduzir, de forma lenta e gradual, outros alimentos, mantendo o leite materno at os dois anos de idade ou mais. Lembrar os pais de que, para que o beb continue crescendo bem, a partir dos seis meses ele necessita receber outros alimentos alm do leite materno.

    Passo 3 - Ao completar 6 meses, dar alimentos complementares (cereais, tubrculos, carnes, leguminosas, frutas e legumes) trs vezes ao dia, se a criana estiver em aleitamento materno. Re-vendo seus conhecimentos: Os alimentos complementares so constitudos pela maioria dos alimentos bsicos que compem a alimentao do brasileiro.

  • 14 15

    Passo 4 - A alimentao complementar deve ser oferecida de acordo com os horrios de refeio da famlia, em intervalos regu-lares e de forma a respeitar o apetite da criana. Lembrar os pais de que o beb deve receber alimentos quando demonstrar fome. Horrios rgidos para a oferta de alimentos p