Top Banner

Click here to load reader

ASPECTOS PSICOLÓGICOS NA OBESIDADE INFANTO · PDF filecausas como, por exemplo, a necessidade por economia e praticidade de consumir alimentos industrializados, contendo conservantes,

Nov 10, 2018

ReportDownload

Documents

vuongliem

  • CENTRO UNIVERSITRIO DE BRASLIA - UNICEUB

    FACULDADE DE CINCIAS DA SADE FACS

    CURSO: PSICOLOGIA

    ASPECTOS PSICOLGICOS NA OBESIDADE INFANTO

    JUVENIL: CAUSA OU CONSEQNCIA?

    RUTE NOGUEIRA DE MORAIS BICALHO

    BRASLIA

    JUNHO/2006

  • RUTE NOGUEIRA DE MORAIS BICALHO

    ASPECTOS PSICOLGICOS NA OBESIDADE

    INFANTO JUVENIL: CAUSA OU CONSEQNCIA?

    Monografia apresentada como requisito para

    concluso do curso de Psicologia do Centro

    Universitrio de Braslia (UniCEUB).

    Orientadora: Professora Doutora Cssia

    Maria Ramalho.

    Braslia/DF, Junho de 2006

  • AGRADECIMENTOS

    Em primeiro lugar agradeo ao meu companheiro que compartilhou e viveu cada

    momento comigo (alegrias, tristezas, desnimos, conquistas...). Demtrius, voc sem dvida

    foi e a minha bssola, sempre com muito carinho e compreenso me apontou uma direo,

    um Norte. Aos meus pais, irmos, sobrinhos, sogros, cunhados e amigos, pelo incentivo a

    cada passo desta minha jornada.

    Aos meus queridos professores que acreditaram no meu potencial. Em especial cito: a

    minha orientadora Cssia Maria que confiou sobremaneira em mim; Adriene, Bizerril,

    Alejandro, Cludio Serre e Virgnia Turra, que foram grandes incentivadores da minha

    pesquisa Obesidade Infantil, a qual base desta monografia; Tnia Inessa que me mostrou

    outros caminhos a serem explorados e que me apoiou em momentos difceis.

    As famlias que participaram e acreditaram na minha pesquisa, bem como as crianas

    obesas, as quais foram fundamentais para o incio, desenvolvimento e concluso de tal

    pesquisa.

    As minhas amigas universitrias: Shirley Magna, tambm grande colaboradora da

    pesquisa Obesidade Infantil; Amanda Campina, Ednair Macedo, Marlene Gomes, Marianna

    Amorim e Mariana Mouro, que souberam me compreender nas minhas crises neurticas

    em relao aos trabalhos da faculdade e por compartilhar momentos inesquecveis comigo. A

    vocs serei eternamente grata pela amizade.

  • RESUMO

    A obesidade hoje considerada uma doena crnica, multifatorial, caracterizada pelo excesso de gordura acumulado nos tecidos adiposos. Pode ser um produto da vulnerabilidade gentica e de condies ambientais. fator de risco para patologias graves, tais como, diabetes, complicaes cardiovasculares e hipertenso. No que se referem as complicaes psicolgicas, a obesidade pode causar sofrimento, depresso, dificuldades na interao social e queda na qualidade de vida. Atualmente ela considerada um problema de sade pblica justificada pelo aparecimento crescente de crianas e adolescentes obesos, o que tem preocupado os profissionais e pesquisadores da rea da sade. Neste sentido, um corpo significativo de pesquisas tem surgido. Muitos destes estudos tm apontado fatores psicolgicos como intrinsecamente relacionados obesidade. Entretanto, estes aspectos psicolgicos mencionados nestes estudos so diversificados, descrevendo desde certa insegurana e baixo nvel de auto-estima de crianas e adolescentes obesos a problemas mais srios como alto nvel de ansiedade e comprometimentos mais severos como a depresso. So tambm apontadas na literatura, dificuldades na aprendizagem e nas interaes sociais. Portanto, a partir destes estudos, no h como negar que a obesidade pode ser considerada uma questo de sade psicolgica. O objetivo deste estudo centrou-se na discusso dos resultados de pesquisas a respeito da obesidade infantil, enfocando principalmente os aspectos psicolgicos inerentes a obesidade infanto juvenil. Procurou-se evidenciar quais os fatores psicolgicos subjacentes a obesidade descritos nestes estudos, buscando estabelecer se existe um consenso entre os pesquisadores a respeito de tais aspectos se constiturem causa da obesidade, ou se eles consistem em conseqncia. Tentou-se verificar os fundamentos que subsidiam a delimitao das afirmaes dos autores sobre o assunto ora discutido. Constatou-se na literatura, que os resultados dos estudos mencionam as questes psicolgicas mais como conseqncias da obesidade do que como causas e poucos estudos afirmam no haver correlao entre os aspectos psicolgicos e a obesidade. Verificou-se tambm que existem muitos dados conflitantes; o difcil entendimento, devido ao emprego de diversas metodologias para o estudo do tema, favorece erros de interpretao quando se faz essa comparao entre o que causa e conseqncia. Conclui-se que estes dados conflitantes demonstram a complexidade da obesidade infanto juvenil. Independentemente dos aspectos psicolgicos ter conotao de causa ou conseqncia, os estudos que tangem a este respeito devem ser intensificados. Ressalta-se, porm no que diz respeito psicologia, que deve-se levar em considerao o sofrimento individual e a partir deste referencial buscar amenizar os danos causados por tal sofrimento.

  • Como da existncia, tenho conscincia do

    corpo mas, ao mesmo tempo, posso v-lo com os

    olhos e toc-lo com as mos. O corpo a nica

    parte do mundo que se sente na superfcie e se

    percebe por dentro...e eu sou este mesmo corpo

    (Karl Jarspers, apud Villanacci, 2005).

    O corpo um terreno de significados

    simblicos. Mudanas no seu formato, tamanho e

    aparncia tem uma importante funo social (Mc

    Namara, 2002, apud Villanacci, 2005).

  • SUMRIO

    I INTRODUO...................................................................................................................7

    II REFERENCIAL TERICO ..........................................................................................10

    1. Obesidade: conceituaes e consideraes.......................................................................10

    2. Critrios de avaliao da obesidade..................................................................................12

    3. Epidemiologia da obesidade .............................................................................................13

    4. Classificao e fatores de risco da obesidade ...................................................................14

    5. Complicaes clnicas ocasionadas pela obesidade..........................................................18

    6. Obesidade e fatores psicolgicos......................................................................................19

    7. Breve histrico da viso social da obesidade....................................................................21

    8. Estudo e autores que consideram a correlao entre aspectos psicolgicos como causa e

    conseqncia da obesidade infantil.......................................................................................22

    9. Estudo e autores que no consideram a correlao entre aspectos psicolgicos como

    causa e conseqncia da obesidade infantil ..........................................................................35

    10. Estudos e autores que consideram os aspectos psicolgicos como causa da obesidade.39

    11. Estudos e autores que consideram os aspectos psicolgicos como conseqncia da

    obesidade ..............................................................................................................................40

    III DISCUSSO...................................................................................................................43

    IV CONCLUSO ................................................................................................................46

    REFERNCIAS BIBLIOGRFICAS .................................................................................48

  • 7

    I INTRODUO

    Atualmente o aparecimento crescente de crianas e adolescentes obesos vem

    preocupando os profissionais e pesquisadores da rea da sade no que diz respeito

    preveno, causas e tratamento da obesidade infantil. A ocorrncia da obesidade infantil na

    populao brasileira de acordo com Luiz, Gorayeb, Liberatore Jnior & Domingos (2005) tem

    merecido enorme ateno na rea da sade, especialmente devido ao impacto que causa na

    vida das crianas, ocasionando conseqncias fsicas, sociais, econmicas e psicolgicas.

    Conforme Burrows (2000), a obesidade infantil tem sido mais evidente nas duas

    ltimas dcadas e hoje considerado um problema de sade pblica nas sociedades

    industrializadas. Segundo Oliveira (2000), apud Cataneo, Carvalho & Galindo (2003), a taxa

    de obesidade nos EUA e no Brasil, na ltima dcada, cresceu em torno de 50%, sendo que

    cerca de desta populao so crianas obesas ou com sobrepeso.

    De acordo com Fisberg (1995), parte da populao obesa desenvolve a obesidade na

    infncia, visto que nesta fase que se adquiri a maior parte das clulas adiposas, (clulas

    responsveis pelo armazenamento de gordura no corpo). Essas clulas so elsticas e, quando

    estimuladas pelo excesso de alimentos, armazenam gorduras em quantidade significativa.

    Quando tais clulas chegam aos seus limites de espessamento, elas se dividem e multiplicam-

    se.

    Parece ser consenso na literatura (Fisberg, 1995; Ballone, 2003) que o excesso de peso

    na infncia ocorre por uma infinidade de causas (multifatorial), ou como alguns autores

    acreditam, por uma combinao de fatores. Os mais comuns indicados na literatura incluem

    entre outros, hbitos alimentares considerados inadequados, propenso gentica, estilo de vida

    familiar e condio scia econmica.

    A prpria vida moderna, segundo Ballone (2003) se encarrega de originar outras

    causas como, por exemplo, a necessidade por economia e praticidade de consumir alimentos

    industrializados, contendo conservantes, que a mdia se encarrega de torn-los essenciais, o

    que favorece substituies errneas ou no r