Top Banner
Orkut? O Orkut é uma rede social virtual filiada à empresa Google que foi criada no dia 24 de fevereiro de 2004 por Orkut Buyukkokten, engenheiro turco do Google, com o objetivo de ajudar seus membros a criar novas amizades e manter relacionamentos. O endereço corresponde deste site na rede é www.orkut.com . O Orkut tem sido o site de relacionamento que cresce mais rapidamente segundo dados oferecidos em sua página de estatística, com pouco mais de dois meses no ar, o número de usuários cadastrados girava em torno de 190.000. Somente no dia 5 de abril de 2005 o Orkut ganhou versão brasileira. Segundo os últimos dados, em 20 de agosto de 2007, contava com mais de sessenta e oito milhões (68.182.265) de usuários cadastrados. Destes a maioria (51,02%) de nacionalidade brasileira. O usuário cadastrado nessa rede de relacionamentos tem uma página pessoal – definida no site como profile (perfil) – assim, o internauta pode disponibilizar diversas informações como: nome, idade, preferências musicais e gastronômicas, opiniões políticas e opção sexual. Além de disponibilizar álbuns de fotos, um scrapbook (livro de recados), e enviar e receber mensagens; fazer parte e/ou criar comunidades temáticas, onde são (ou não) promovidos debates, levantadas questões, trocadas informações e interações entre pessoas com interesses equivalentes. A cerca das conseqüências dessa multiplicidade de ações possíveis no Orkut, Meyrilane Gosmeu aborda no artigo Orkut, a identidade virtual: um estudo do fenômeno comunicacional no cotidiano”: “O sujeito passa a ser criador de si mesmo; demiurgo que produz não apenas novos mundos e seres, mas que também pode recriar-se indefinidamente.” Entretanto, a quantidade, a qualidade e veracidade dessas informações ou criações, dependem daquele que se cadastra. Os dados demográficos apresentados pelo Orkut mostram que internautas entre 18 e 25 anos são os que mais acessam
22

ARTIGO CONCLUIDO

Jun 18, 2015

Download

Documents

brunaautarquia
Welcome message from author
This document is posted to help you gain knowledge. Please leave a comment to let me know what you think about it! Share it to your friends and learn new things together.
Transcript
Page 1: ARTIGO CONCLUIDO

Orkut?

O Orkut é uma rede social virtual filiada à empresa Google que foi criada no dia 24 de fevereiro de 2004 por Orkut Buyukkokten, engenheiro turco do Google, com o objetivo de ajudar seus membros a criar novas amizades e manter relacionamentos. O endereço corresponde deste site na rede é www.orkut.com .

O Orkut tem sido o site de relacionamento que cresce mais rapidamente segundo dados oferecidos em sua página de estatística, com pouco mais de dois meses no ar, o número de usuários cadastrados girava em torno de 190.000. Somente no dia 5 de abril de 2005 o Orkut ganhou versão brasileira. Segundo os últimos dados, em 20 de agosto de 2007, contava com mais de sessenta e oito milhões (68.182.265) de usuários cadastrados. Destes a maioria (51,02%) de nacionalidade brasileira.

O usuário cadastrado nessa rede de relacionamentos tem uma página pessoal – definida no site como profile (perfil) – assim, o internauta pode disponibilizar diversas informações como: nome, idade, preferências musicais e gastronômicas, opiniões políticas e opção sexual. Além de disponibilizar álbuns de fotos, um scrapbook (livro de recados), e enviar e receber mensagens; fazer parte e/ou criar comunidades temáticas, onde são (ou não) promovidos debates, levantadas questões, trocadas informações e interações entre pessoas com interesses equivalentes. A cerca das conseqüências dessa multiplicidade de ações possíveis no Orkut, Meyrilane Gosmeu aborda no artigo “Orkut, a identidade virtual: um estudo do fenômeno comunicacional no cotidiano”:

“O sujeito passa a ser criador de si mesmo; demiurgo que produz não apenas novos mundos e seres, mas que também pode recriar-se indefinidamente.”

Entretanto, a quantidade, a qualidade e veracidade dessas informações ou criações, dependem daquele que se cadastra.

Os dados demográficos apresentados pelo Orkut mostram que internautas entre 18 e 25 anos são os que mais acessam (representam 53,75% do total), a maioria interessados em fazer novas amizades (46,19%), seguidos de interessados em companheiros de trabalho, interessados em contatos profissionais e interessados em namoro. Quanto ao relacionamento, a maioria dos usuários coloca ‘sem resposta’ (57,85%), seguidos dos que colocam solteiro (a), casado (a) e namorando. Os três países que mais possuem integrantes no site são: Brasil, com 51,08% do total (O Brasil é líder, mesmo o site tendo ganhado a versão brasileira somente pouco mais de um ano depois de sua criação), Índia, com 20,02% e Estados Unidos, com 17,43%).

O Orkut hoje é quase uma cidade digital. Conta com milhões de usuários, milhões de perfis, sendo as identidades nele formadas sendo variadas, levando à reflexão de como, cada vez mais, a sociabilidade virtual se torna parecida com o que se dá nas relações corporais – com a possibilidade de reunir pessoas diversas com interesses comuns ou conflitantes, em um lugar comum, onde todos têm de lidar, para o bem ou para o mal, com todos.

Os motivos que levam as pessoas a criarem uma conta no Orkut variam de acordo com cada indivíduo, mas a maioria desses motivos gira em torno da crescente popularidade do site.

Entender o porquê de tamanha popularidade é possível ao perceber a conotação própria de compreensão e análise que o mundo virtual adquiriu, ou seja, individualmente, este mundo é reconhecido como uma realidade legítima e embora tenha características singulares, não está isolado da “realidade real”. A popularidade do

Page 2: ARTIGO CONCLUIDO

Orkut se dá, principalmente, por necessidades de ‘fuga’ ou complemento da realidade do indivíduo. As pulsões de sociabilidade que estimulam as ações humanas são definitivas na criação da vontade de sentir-se importante, único e invejáveis no mundo, e nesse sentido, o Orkut serve como ferramenta de alcance.

A facilidade de aumento da rede de amigos é um fator atraente do Orkut: o usuário pode selecionar amigos usando alguns critérios de aceitação (contato com amigos de amigos, estética e organização do perfil, etc.). Foi especificado nas respostas dadas através de questionários realizados nesta pesquisa o caráter social inquestionável das razões pelas quais se usa o Orkut: inicialmente, o primeiro contato com o site é impulsionados por convenção, pela própria curiosidade e posteriormente, por ser novidade (para aqueles que já tem acesso a mais tempo ou que ainda estão iniciando seu processo de inserção virtual) e por ser um meio de contato com amigos ou para construção de novas amizades.

Ao entrarem nesse site de relacionamento, as pessoas partem do pressuposto de que estas redes de relações virtuais são meios para satisfazer certas vontades e necessidade, por sugerirem liberdade total pelo anonimato. Assim, o site passa a ser visto como uma disponibilidade ilimitada para o usuário, tanto é que este dissimula e inventa o que bem entende dentro dos recursos que o site oferece para conseguir transmitir o que deseja; ainda que tenha limites de conduta virtual (baseadas em leis), o Orkut, pela liberdade que sugere, desperta nas pessoas o significado de ‘meios justificáveis pelos fins’.

Relações virtuais no Orkut

Ao longo dos anos, a comunicação virtual ultrapassou a fronteira do simples e único contato para o desenvolvimento de relações virtuais; esta transformação ocorreu de acordo com a crescente influência da Internet na vida das pessoas e ainda está em curso, do contexto da existência dessas relações para a credibilidade das mesmas na vida cotidiana, caracterizando assim uma nova forma de interação social,pois a internet serve como ponto de partida e elo para as relações sociais.

O contato não deixou de existir, pois é a fonte primária e essencial da relação virtual, afinal, não há interação alguma sem tal contato. A partir do contato cria-se a primeira impressão e começa-se a determinar que tipo de relação de desenvolverá ou se não haverá relação. Tal contato é possibilitado através das redes de amigos, que se torna uma ‘teia’, pois partem do amigo para ‘amigos de amigo’ e assim por diante. Contemporânea ao contato é a avaliação do perfil de quem está se conhecendo, uma análise da veracidade de informações e interpretação da pessoa através dos dados encontrados em seu perfil. Havendo compatibilidade de afinidades e interesses, a relação virtual desenvolve-se tendo como base algum valor ou idéia em comum referente ao primeiro contato e isso define os tipos de relação, ou seja, os interesses específicos e a primeira impressão serão pressupostos para o decorrer de toda a relação.

As relações virtuais podem ser instáveis ou não, isso dependerá da construção de uma confiança no site e em seus usuários. No caso das relações virtuais instáveis, não há muita aproximação da realidade, ficando a relação e os sentimentos ou opiniões envolvidos restritos ao momento em que se acessa. No caso das relações virtuais estáveis, há uma aproximação do mundo real, necessidade da comprovação das

Page 3: ARTIGO CONCLUIDO

informações que uma pessoa dá de si mesma, pois o maior grau de envolvimento requer maior conhecimento a cerca de com quem se envolve. A aproximação entre a “realidade real” e a “realidade virtual” e a necessidade de comprovação de informações promove uma coexistência entre essas duas realidades para permanência da relação iniciada e desenvolvida virtualmente.

Uma vez consolidadas, as relações virtuais denotam novas características aos relacionamentos, dentre elas a desterritorialidade, ou seja, a falta de um espaço físico, sendo as relações desenvolvidas à custa de uma lógica específica, como cita o artigo “O amor pode ser virtual? O relacionamento amoroso pela Internet”:

“Para Castro (1999), os relacionamentos através da Internet produzem uma inversão das relações sociais vistas pela sociologia clássica. Enquanto esta última afirmava que a relação necessitava de materialidade, o cyberespaço, ao contrário, não condiciona a relação social ao contato face a face, mas a um sentimento coletivo, á lógica do estar-junto, mesmo num espaço desterritorializado. Há um redimensionamento do processo da relação interpessoal e social.”

Outra característica singular é a necessidade constante de esforços para conservação da relação, pois em um ambiente tão dinâmico como a Internet, os relacionamentos podem perder-se rapidamente, com a mesma velocidade em que ocorreram. Assim, é notável uma instabilidade nessas relações, pois não trazem consigo os recursos corporais que possibilitam e reforçam o conhecimento mútuo de forma complexa. De acordo com entrevistado nesta pesquisa:

“Relações virtuais são complicadas. Não tem como afirmar se podem ser sinceras ou não. Você tem sempre que tirar suas próprias conclusões; não há como saber o tom de voz, o olhar, a expressão ou qualquer outro aspecto para julgar o que o outro está falando”.

Neste contexto de instabilidade, que implanta dúvidas e dissimulações nas relações virtuais, há pessoas que optam por fazer perfis falsos, os fakes, com diversas intenções. De acordo com o artigo “Internet e Identidade: um estudo sobre o website Orkut”, os fakes são divisíveis em quatro categorias: primeira, os obviamente falsos;segunda, os que buscam copiar personagens ou alguma pessoa real; terceira, os espiões, que investigam outros perfis sem serem percebidos e quarta, aqueles que se propõem como pessoas verdadeiras. Através desse “recurso”, os usuários podem representar vários personagens, dando-lhes assim, liberdade para praticar ações que não praticariam com seus perfis verdadeiros.

Instabilidade e dissimulação virtual geram conseqüências negativas

Page 4: ARTIGO CONCLUIDO

O uso irresponsável do Orkut acarreta algumas modalidades de conseqüências negativas para alguns usuários, sendo que as ações são feitas somente virtualmente, mas as conseqüências para a vida das vítimas refletem em sua vida social como um todo. Os golpes iniciados por relacionamentos virtuais (amorosos) são a principal representação dessas conseqüências negativas. A vulnerabilidade das pessoas a estes golpes é citada no artigo “O amor pode ser virtual? O relacionamento amoroso pela Internet”:

“A ilusão de proximidade, de conhecimento e intimidade a despeito das – às vezes, enormes – distâncias geográficas é um dos aspectos negativos da virtualidade”.

Indivíduos se utilizam desse meio de comunicação para tirar proveito, na maioria das vezes por dinheiro, enganando pessoas a partir da premissa de serem tudo de quem o outro precisa. Estes indivíduos são sedutores, aparentemente profissionais bem sucedidos, que na verdade não passam de estelionatários. Exemplo disso é o caso, exibido pelo programa Fantástico da TV Globo no dia 21 de março de 2004, que mostrou o drama de três mulheres enganadas pelo mesmo homem. Nos três envolvimentos, este homem se apresentou de várias formas (fazendeiro, médico, corretor de valores, cientista político e ainda empresário) dependendo da vítima. Seu pseudônimo era Fernando José da Sousa e seu nome verdadeiro era Paulo Roberto Tinoco Bonafina. Apresentava-se ainda como um sedutor sublime, mandando poemas de amor para as vítimas e aproveitando o melhor momento para roubar as senhas das ‘amadas’, não mantendo mais nenhum contato depois disso.

Outro fator negativo é exatamente a quantidade de crimes de ódio como o racismo e a xenofobia cometidos através do Orkut. Muitas das pessoas que participam desse site utilizam-no como meio para propagar doutrinas que sugerem aversão, exclusão e até mesmo agressões a algumas etnias ou religiões. Para tal, fazem comunidades com teor discriminatório, sugerindo, por exemplo, eliminação de raças, aproximando-se do neonazismo, que encontra em seus simpatizantes a força de expressão e lugar garantido nesse meio. A propagação da pedofilia também é significativa em algumas comunidades do Orkut, onde há divulgação de fotos de abusos sexuais praticados contra crianças. Em 2006, o programa Fantástico da TV Globo exibiu uma matéria que mostrou a primeira vez em que houve quebra de sigilo de comunidades no Orkut pela Polícia Federal para combater racismo, pedofilia e nazismo – embora esse mecanismo da Polícia ajude, não é suficiente para eliminar os atos ilícitos que algumas pessoas praticam no meio virtual.

O roubo de identidade virtual e a criação de comunidades que denigrem a imagem das pessoas são outros pontos negativos, pois o meio (Orkut) serve para utilização para divulgar aspectos da vida pessoal de outra pessoa de maneira que possa demonstrar hostilização, prejudicando a vida da vítima em todos os aspectos com finalidades difamatórias. Exemplo disso, é a divulgação indevida de fotos e vídeos de pessoas em momentos íntimos ou o envio de mensagens em seu nome, tratando-se de usuários que pretendem causar algum dano moral á vítima.

Novos caminhos para sociabilidade geram conseqüências positivas

Page 5: ARTIGO CONCLUIDO

O Orkut possibilita caminhos positivos que refletem à perspectiva de interação social conhecendo novas pessoas, ampliando assim os contatos, as influências. A participação em comunidades que mantém fortes estes laços interativos abre espaço ao compartilhamento de afinidades, interesses em comum, aproximando as pessoas de forma amigável.

A criação de comunidades para propagar ideologias, opiniões, campanhas, etc. é um aspecto positivo possível no uso do Orkut. Exemplos disso são as comunidades destinadas à informações sobre doenças raras, que servem de esclarecimento e prevenção para aqueles que não conheçam ou que tenham a doença, sendo assim, fontes de conhecimento a cerca do assunto. Ainda nessa vertente informacional, existem as comunidades que abrangem a formação, expansão e divulgação de projetos cultuais, facilitando o acesso dos usuários a manifestações culturais que são ou não de sua região/localidade e que possibilitam uma maior interação e respeito mútuo entre culturas.

No âmbito profissional, os usuários podem usar o Orkut como auto-divulgação, pois entre os campos de preenchimento do perfil, existem alguns destinados à informações profissionais, como profissão, escolaridade, atividades, interesses e habilidades profissionais,etc. Atualmente, algumas empresas consultam o perfil dos candidatos no Orkut para avaliar se as informações profissionais contidas no currículo coincidem com as divulgadas no site. Esse artifício possibilita a essas empresas um recrutamento consciente de deus funcionários, pois para elas, quanto mais informações sobre quem contratam, mais segura será a decisão.

É inquestionável a positividade da quebra de fronteiras físicas que o Orkut torna possível: a relação com amigos próximos, cotidianos e com amigos com os quais não se tem a mesma freqüência de contato, além da recuperação de velhos contatos que são retomados somente virtualmente.

O Agir Virtual: caráter singular das relações desenvolvidas através do Orkut

Coesão e coerção virtual

Ao determinar o mundo virtual legítimo enquanto realidade e enquanto prolongação de aspectos sociais existentes, a teoria de Émile Durkheim a cerca da existência de coesão e coerção social pode ser aplicada comparativamente aos relacionamentos virtuais.

Considerando a realidade virtual uma “sociedade particular dentro da sociedade”, ela tem seus recursos próprios de garantia de existência. A ‘coesão social’ está presente nas maneiras de agir (‘fatos virtuais’) e nos padrões de condutas virtuais existentes no Orkut. Assim, os padrões de perfis, os critérios para avaliação de um perfil, a conduta ao participar de uma discursão em uma comunidade e até mesmo a linguagem escrita utilizada são fatos singulares de continuação desse meio, isto é, garantia da permanência de certas regularidades para a existência das relações virtuais.

Page 6: ARTIGO CONCLUIDO

Da mesma forma que seguem padrões de comportamentos virtuais, os usuários do Orkut também têm maneiras de reprimir o não cumprimento desses padrões, caracterizando assim, uma ‘coerção virtual’. Apesar de não ser facilmente notada, pelo fato de o site denotar entretenimento, opção de acesso, essa coerção é essencial para que haja possibilidade de desenvolvimento de relações. Assim, não ter um perfil esteticamente bem elaborado e admirável, participar de comunidade sem conteúdo significativo, não usar a linguagem própria da Internet ou quaisquer outros sinais de não-adaptação ao meio virtual como um todo e aos conceitos de aceitabilidade são fatores que acarretam repressão, limitação ou ainda exclusão do ambiente. De acordo com Tânia Quintaneiro:

“Como demonstração de que os fatos sociais exercem sobre todos uma autoridade específica, Durkheim refere-se aos obstáculos que deverá enfrentar quem se aventura a não atender a uma convenção mundana, a resistir a uma lei, a violar uma regra moral, a não usar o idioma”

No caso do meio virtual, esses obstáculos são muitos, a começar pela quantidade de amigos diminuída, a exclusão da lista de amigos (recurso do site pelo qual o usuário retira alguma pessoa de sua rede de contatos) por parte de algumas pessoas. Nas comunidades, através da conduta nos fóruns discursão, a não apropriação do usuário ao tema proposto é reprimida pela figura representativa do poder da coerção, o moderador, que é o usuário que controla a comunidade.

Substituição das relações

Ao longo dos anos, a realidade virtual tem demonstrado eficiência de sua influência na vida das pessoas, influência esta que modifica o modo como as pessoas se relacionam e cria novos caminhos para os relacionamentos. Assim, da mesma forma que os usuários do Orkut têm uma criação e uma alteração em sua vida virtual de acordo com o uso deste site, eles agem de modo que esse meio interfere na sua “realidade real”. Em conseqüência dessa conduta, há uma substituição de relações, ou seja, as pessoas trocam as relações presenciais pelas relações virtuais., ou dissimulam estas em função da imagem que querem passar de si.

No caso da troca de relações, vale salientar que elas não ocorrem integralmente na vida do indivíduo, uma vez que este, querendo ou não, sempre terá o contato presencial com outras pessoas. Ainda que seja parcial na vida do usuário, esta troca é um reflexo do domínio que a Internet exerce sobre o internauta e de fatores da própria vida cotidiana. No mundo real, desapontamentos com pessoas conhecidas, necessidades de auto-afirmação diante de um grupo, desinteresse por companhias do dia-a-dia e o próprio fascínio pelo site são fatores que podem acarretar a troca de relações. Além desses fatores, existem outros fatores externos á vontade individual, como o nível de violência na sociedade e o conseqüente aumento do medo da população, que passa a optar por relações a distância para evitar sair de casa. Portanto, há uma substituição nas formas de relacionamentos, pois os usuários estão optando pela comunicação virtual com seus contatos.

No caso da dissimulação das relações virtuais, notam-se comportamentos dos usuários que servem de meios para formar ou reforçar sua “imagem” para os que o conhecem pessoalmente. Assim, o controle de informações exibidas no Orkut torna-se

Page 7: ARTIGO CONCLUIDO

essencial para mostrar no perfil exatamente o que vai atender às expectativas de quem se deseja atingir. A opinião do ‘expectador’ é que ditará as definições do usuário sobre si, como explica o artigo “Internet e Identidade: um estudo sobre o website Orkut” baseando-se no artigo “A criação de identidades virtuais através das linguagens digitais”:

“Meucci e Matuck (2005) indicam a importância da alteridade e da definição dada pelos outros na Internet. Segundo eles,’a definição, direta ou indireta, dado pelo outro é tão importante quanto o processo de auto-definição. É o relato do outro que legitima, deslegitima, ou acrescenta qualidades ao perfil do sujeito.’ No Orkut encontramos essa definição dada pelos outros se manifestando através da rede de amigos do usuário, dos recados enviados e dos depoimentos”.

Em decorrência dessa dissimulação das relações virtuais, surge uma divergência notável entre o contato pessoal e o contato virtual, sendo este agente modificador daquele de acordo com a importância que lhe é dada pelo usuário. Percebe-se então, intensificação, desvalorização ou outros tipos de modificações das relações presenciais, de acordo com o que é “ditado” pelo contato virtual e isso as encaixa no dizer ‘parece, mas não é’, pois elas passam a se apresentar de forma distinta ao que costumam ser quando inseridas no meio virtual.

Identificação dos tipos puros de ação social nas condutas virtuais

Ao considerar a realidade virtual legítima enquanto realidade, a teoria de Max Weber sobre a existência de quatro tipos puros de ação social – ação racional com relação a fins, ação racional com relação a valores, ação tradicional, ação afetiva – pode ser identificada nas formas de ação dos indivíduos no meio virtual, especificamente, no Orkut. Assim, de acordo com a definição de cada tipo de ação social dada pelo livro “Um toque de clássicos”, serão citados exemplos aplicáveis ao Orkut.

“A ação de um indivíduo será classificada como racional com relação a fins se, para atingir um objetivo previamente definido, ele lança mão dos meios necessários ou adequados, ambos avaliados e combinados tão claramente quanto possível de seu próprio ponto de vista”.

Neste caso, aplicando à realidade virtual, este tipo de ação é identificável no próprio ato de criação de uma conta no Orkut com fins determinados, seja conhecer novas pessoas, retomar contatos com antigos conhecidos ou reforçar relações do dia-a-dia. Os meios presentes para alcançar esses fins são as ferramentas do Orkut e a construção do perfil.

“A conduta será racional em relação a valores quando o agente orientar-se por fins últimos, por princípios, agindo de acordo com ou a serviço de suas próprias convicções e levando em conta somente sua fidelidade a tais valores, estes, sim,

Page 8: ARTIGO CONCLUIDO

inspiradores de sua conduta, ou na medida em que crê na legitimidade intrínseca de um comportamento, válido por si mesmo”.

O uso do espaço virtual para propagação de campanhas e dogmas é exemplo desse tipo de ação, pois ao agir dessa forma, o usuário é orientado por seus princípios que tornam a idéia válida. Na própria escolha das comunidades em que participa, o usuário age racionalmente com relação a valores, uma vez que os assuntos tratados pelas comunidades são de seu interesse e legitimados pelo código moral.

“A conduta pode não ter qualquer motivação racional(...). Diz-se que o sujeito age de modo afetivo quando sua ação é inspirada em suas emoções imediatas sem consideração de meios ou fins a atingir”.

A ação afetiva encontra-se, no meio virtual, como prolongação da realidade; assim, os sentimentos de uma pessoa relacionados a outra pessoa ou a um fato são expressados emotivamente em vários “ambientes” do Orkut: em comunidades, no próprio perfil ou em recados enviados. Estas ações são determinantes para a importância que se dá ao site e às relações que nele se desenvolvem, pois os usuários têm no Orkut mais um meio de expressão do que sentem e do que pensam.

“Quando hábitos e costumes arraigados levam a que se haja em função deles, ou como sempre se fez, em relação a estímulos habituais, estamos diante da ação tradicional”.

Neste caso, a ação tradicional adquire uma nova conotação, sendo considerada do ponto de vista da convenção, ou seja, a tradicionalidade já presente no Orkut, apesar de ser um site relativamente novo para o nível de popularidade que possui. Considerando a interferência da Internet no cotidiano e a popularidade do Orkut, este pode ser entendido como um costume na realidade virtual. Desta forma, quem tem ou pensa em criar uma conta em algum site de relacionamento, verá o Orkut como a primeira ou uma das primeiras opções, pois este tem como marca principal a grande popularidade.

O orkut em sala de aula. Será que pode dar certo?

Considerando o Orkut como um dos mais populares sites de relacionamentos, é inquestionável, como o website é freqüentado pelos jovens do Brasil. Apesar de ser limitado para menores de 18 anos, muitas crianças fazem uso desta ferramenta, para encontrar novas amizades e até mesmo para encontrar seus amigos. Com isso ao questionar-se quanto à presença do Orkut em sala de aula deve-se considerar que é sim possível, entretanto faz-se necessário sua atuação de forma moderada e conscientizada.

A atuação pedagógica no site de relacionamento deve começar na educação de uso, pois pode-se perceber a diversidade de interesses na sua utilização, em que muitas pessoas criam comunidades ou contas de difamação, coerção, atos pedófilos e muitas

Page 9: ARTIGO CONCLUIDO

outras coisas de extremo perigo. A partir dessa prévia conscientização a utilização do site torna-se mais eficiente.

Para a psicóloga Andréa Jotta, ensinar as crianças sobre o uso seguro da internet faz parte do “pacote” que envolve outras questões relacionadas a educação. “Os pais devem está cientes que o universo virtual não é o terror do mundo contemporâneo e que seus filhos precisam de orientação para navegar”. O Orkut oferece muitas formas de interação com diversas pessoas, estimulando assim o contato com a diversidade social, sendo as pessoas que utilizam, das mais variadas culturas e personalidades.

Assim sua atuação em sala de aula deve está voltada na criação (ou participação) de comunidades contendo conteúdos a serem discutido pelos discentes em sala de aula, envolvendo temas transversais como: sexualidade, drogas e muitos outros assuntos que sejam causadores de dúvidas ou críticas dos próprios alunos. Discussões essas medidas e esclarecidas pelo professor. E ainda debates sobre a diversidade de pessoas que utilizam o Orkut, analisando os perfis aos quais os jovens e adolescentes se identificam.

Uma possível limitação no uso desse site em ambientes pedagógicos é que o mesmo não oferece assuntos de cunho científico e é apenas um ambiente virtual, sendo que a escola precisa ter um ambiente informatizado e professores capacitados para o corrente uso deste em sala de aula.

As oportunidades encontradas em usar o Orkut são voltadas ao estímulo dos alunos em fazer uma rede de amigos e manterem-se informados pelos assuntos de seu interesse. A utilidade pedagógica é aliar conteúdo X interação, fazendo com que os alunos conheçam os diferentes ambientes/comunidades que são discutidos tais temas. A prática também se alia a informação a ser medida e transformada em conhecimento.

Dessa forma, o Orkut é mais uma proposta possível para a educação que pode tornar o processo ensino/aprendizagem mais significativo e contribuir para a inclusão digital, sendo esta uma maneira de integrar tecnologia e educação, isto é, tornar os métodos de ensino contemporâneos à realidade do aluno.

Page 10: ARTIGO CONCLUIDO

CONCLUSÃO

Diante do estudo realizado, entende-se o Orkut e o fascínio exercido por ele como potencial de sociabilização, pois esse site passou de uma simples ferramenta de comunicação para um meio importantíssimo de representação individual e coletiva de seus usuários. Dessa forma, o Orkut atrai cada vez mais usuários, que lhe dão credibilidade, confiam na hipótese de algum relacionamento virtual e isso dá ao site a ‘responsabilidade’ de inovar-se constantemente para continuar sendo popular.

Vale destacar que os estudos sobre esses ambientes virtuais como forma de comunicação e relação social estão em ascensão, por que cada vez mais se reforça esse papel sociabilizador desses ambientes. Esse papel explica o fenômeno que é o Orkut, pois este proporciona a cada usuário a oportunidade de se expressar livremente; essa liberdade e a utilização dos recursos desse site (preenchimento de dados no perfil, comunidade, página de recados, etc.) para exercê-la evidencia a capacidade humana de criar e desenvolver novas formas de relacionamentos, ainda que não contem com o contato corporal, comprovando, portanto, que o homem é, sem dúvida, um ser social.

Page 11: ARTIGO CONCLUIDO

INTRODUÇÃO

Desde o surgimento da Internet (rede mundial de computadores), nos anos 60, muitas transformações ocorreram no mundo, e a informação passou a ser uma variável de grande valor. Assim, sendo a Internet acessível a várias pessoas e com conteúdos diversificados, ela não é superada por nenhuma outra mídia no que diz respeito à variedade e democratização de informação. Tratando-se de informação, os sites – locais da Internet com endereços específicos – foram sendo criados de acordo com interesses dos usuários e nesse contexto, surgiram os sites de relacionamentos, ambientes virtuais dedicados ao contato entre pessoas conhecidas ou não. São sites de relacionamentos bastante populares: Facebook, Twitter, Hi-5, Orkut, etc. Neste artigo será analisado especificamente o Orkut, quanto às relações virtuais que nele ocorrem, considerando-o por sua capacidade de estimular a sociabilidade das pessoas.

Por tratar-se de uma realidade nova de inserção social, há estudos sobre o Orkut, sendo esses estudos, em sua maioria, feitos por acadêmicos interessados em abordar com clareza este novo meio de relação interpessoal. Ainda assim, é possível aplicar conceitos clássicos da Sociologia aos estudos sobre os relacionamentos virtuais através do Orkut, embora isso seja delicado, pois estas relações são diferentes das tratadas por tais conceitos, ou seja, não são relações tradicionais quanto à parte física.

Partindo da pergunta “como as relações virtuais se desenvolvem no Orkut”, o objetivo deste trabalho é compreender a ocorrência e desenvolvimento das relações virtuais que acontecem através do Orkut, analisando as possíveis conseqüências positivas e negativas dessas relações na vida dos usuários do site, assim como o caráter singular das mesmas.

Page 12: ARTIGO CONCLUIDO

ORKUT: UM ESTUDO SOBRE O DESENVOLVIMENTO DAS RELAÇÕES VIRTUAIS.

Bruna Muniz da SilvaGiza Karolyne Santiago Rocha

Katury Rayane Rodrigues RamosRafaela Lopes de Lima

Resumo: Desde que foi inventada, Internet desenvolve em linha crescente sua influência sobre as pessoas e nesse contexto, foram criados os sites de relacionamentos, que são dedicados os contato e relação entre pessoas através da rede mundial de computadores. No presente artigo, será tratado especificamente, o site de relacionamento Orkut, analisando as relações virtuais que nele ocorrem. A influência do Orkut no cotidiano e na sociabilidade de seus usuários leva à reflexão do potencial de envolvimento dos sites de relacionamentos e da Internet em si; tal reflexão se torna essencial se forem consideradas as conseqüências desses relacionamentos virtuais. As idéias apresentadas neste artigo são baseadas em idéias e análises feitas por acadêmicos em Artigos Científicos a cerca do assunto. Serão tratados, também, aspectos do mundo virtual sob a ótica de Émile Durkheim – quanto à ‘coesão virtual’ e à ‘coerção virtual’ – e de Max Weber – quanto aos tipos puros de ação social. Dessa forma, serão analisadas as relações virtuais como forma de sociabilização no mundo globalizado.Palavras-chave: sites de relacionamentos, Orkut, relações virtuais.

Page 13: ARTIGO CONCLUIDO

BRUNA MUNIZ DA SILVAGIZA KAROLYNE SANTIAGO ROCHA

KATURY RAYANE RODRIGUES RAMOSRAFAELA LOPES DE LIMA

INTRODUÇÃO À SOCIOLOGIA I

PROFESSORA BELISA VELOSO

ARTIGO CIENTÍFICO

Março de 2010.Fortaleza.

Page 14: ARTIGO CONCLUIDO

Referências

GUIMARÃES, José Luiz et al. O amor pode ser virtual? o relacionamento amoroso pela internet. Psicologia em Estudo: Maringá, v.3, n.2, p. 277-285, abr./jun. 2008. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1413-73722008000200010&script=sci_arttext&tlng=e>. Acesso em: 23 jan 2010.

FONTANELLA, Fernando Israel; PRYSTHON, Ângela. Trocando figurinhas: sobre Orkut, frivolidades, neotribalismo e flânerie. Intercom: Porto Alegre, 2004. Disponível em:<http://www.ppgcomufpe.com.br/detalhe_publicacao.asp?cod_pub=5&pub_disc=1>. Acesso em: 23 jan 2010.

GOMES, Meyrilane de Silva. Orkut, a identidade virtual: um estudo do fenômeno comunicacional no cotidiano. Revista Eletrônica Temática: Paraíba, ano 4, n.11, nov. 2007. Disponível em: <http://www.insite.pro.br/2008.html>. Acesso em: 07 fev 2010.

ROCHA, Luiz Antônio. Formas de interação entre humanos e dados digitais em ambientes virtuais. Horizontes Antropológicos: Porto Alegre, ano 10, n.21, p. 155-179, jan./jun. 2004. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0104-71832004000100007&script=sci_arttext&tlng=en>. Acesso em: 23 jan 2010.

MOCELLIM, Alan. Internet e identidade: um estudo sobre o website Orkut. Em tese: revista eletrônica dos pós-graduandos em Sociologia Política – UFSC, Santa Catarina, v.3, n.2 (2), p. 100-121, jan./jul. 2007. Disponível em: <http://www.emtese.ufsc.br/>. Acesso em: 7 fev 2010.

CASTRO, Jéferson Martins de; HUHTALA, Felipe Rocha Lima. Espetáculos e fantasias na era das simulações: reflexões sobre redes sociais virtuais no caso do Orkut. Revista Habitus: revista eletrônica dos alunos de graduação em Ciências Sociais – IFCS/UFRJ, Rio de Janeiro, v.6, n.1, p. 101-112, dez. 2008. Disponível em: <http://www.habitus.ifcs.ufrj.br/6espetaculosorkut.htm>. Acesso em: 7 fev. 2010.

REDAÇÃO, da. Fim do amor. Fantástico, Rio de Janeiro, 21 mar. 2004. Disponível em:< http://fantastico.globo.com/Jornalismo/FANT/0,,MUL692921-15605,00.html>. Acesso em:12 fev. 2010. 

REDAÇÃO, da. Quebra de sigilo do orkut. Fantástico, Rio de Janeiro,16 abr. 2006.Disponível em< http://fantastico.globo.com/Jornalismo/FANT/0,,MUL695578-15605,00.html>. Acesso em:12 fev. 2010. 

QUINTANEIRO,Tânia; BARBOSA, Maria Ligia de Oliveira. Um toque de clássicos: Marx, Durkheim e Weber. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2002.

PADILHA, Auxiliadora. O Orkut nas escolas.Blog Dora Padilha: Pernambuco, 28 jan. 2009. Disponível em:< http://dorapadilha.blogspot.com/2009/01/o-orkut-nas-escolas.html>. Acesso em 12 mar. 2010.

Page 15: ARTIGO CONCLUIDO