Top Banner

Click here to load reader

Apresentação John Locke

Dec 07, 2014

ReportDownload

Spiritual

 

  • 1. Nasceu em Wringtown, Inglaterra em 29 deagosto de 1632. Filsofo Ingls, considerado um dos lderesdo empirismo e um dos idelogos doliberalismo e do iluminismo. Estudou Filosofia, Medicina e CinciasNaturais na Universidade de Oxford Foi tambm professor desta Universidade,onde lecionou grego, filosofia e retrica Locke faleceu em 28 de outubro de 1704, nocondado de Essex (Inglaterra). Nunca secasou ou teve filhos.

2. Cartas sobre a tolerncia (1689) Dois Tratados sobre o governo civil (1689) Ensaio acerca do entendimento humano (1690) Pensamentos sobre a educao (1693)"Todos os homens sopassveis de errar; e a maiorparte deles , em muitosaspectos, por paixo ouinteresse tentada a faz- 3. Devemos saber conviver com os homens em seu estado de natureza. Defendia a igualdade natural entre os homens, subordinados apenas a Deus. nenhum deles [homens] deve prejudicar a outrem na vida, na sade, naliberdade ou nas posses, [...] [todos] so propriedades dAquele que osfez, destinados a durar enquanto a ele aprouver e no uns dos outros, e sendotodos providos de faculdades iguais [...] no h a possibilidade de supor-sequalquer subordinao entre os homens. (Loke, 1978, p. 36) Todo o delito deve ser castigado.Sempre considerei as aesdos homens como as melhoresintrpretes dos seuspensamentos. 4. A vtima tem o direito de reparao dos danos sofridos atravs de apropriaodos bens do agressor. Critica o Absolutismo dizendo ser melhor viver no estado de natureza do quesubmeter-se ao um monarca (poder civil), centralizado em si e que manda nosoutros conforme lhe aprouver. todos os homens esto naturalmente naquele estado [de natureza] e nelepermanecem, at que, pelo prprio consentimento, se tornem membros dealguma sociedade poltica. (Locke, 1978, p. 39)No se revolta um povo inteiro ano serque a opresso seja geral.John Locke 5. Deus deu a terra para os homens em comum para que se utilizassem dela paraa subsistncia e convivncia. Embora a terra e todas as criaturas inferiores sejam comuns a todos oshomens, cada homem tem uma propriedade em sua prpria pessoa; a estaningum tem qualquer direito seno ele mesmo. (Locke, 1978, p.45) O espao que um indivduo incorporou a si pelo trabalho no pode sercontestado. (a no ser em caso de escassez). a tomada de qualquer parte do que comum com a remoo para fora doestado em que a natureza o deixou que d incio propriedade.(Locke, 1978, p. 46)Uma infinidade de seresinferiores ao ser humano provauma infinidade de seressuperiores a ele. 6. A extenso de terra que um homem lavra, planta, melhora, cultiva, cujosprodutos usa, constitui sua propriedade. (Locke, 1978, p.47) aquele que em obedincia a esta ordem de Deus, dominou, lavrou e semeouparte da terra, anexou-lhe por este meio algo que lhe pertena... (Idem) Considera impossvel a contestao de escassez de terras, pois Deus deu a cadaum de ns um espao mais que suficiente para usufruto. O trabalho do homem faz valorizar sua propriedade. . . .considere qualquer um a diferena que existe entre um acre de terraplantado [...] e um acre da mesma terra em comum sem qualquer cultura everificar que o melhoramento devido ao trabalho constitui a maior parte dovalor respectivo. (Idem, p.50) A grande arte do governo consiste no aumentode terras e no uso acertado delas. (Idem, p.51)A leitura fornececonhecimento mente.O pensamento incorpora oque lemos. 7. Tece crticas expresso Ptrio Poder pois esta coloca toda a autoridade nasmos do pai, mesmo que se saiba a importncia da autoridade da me. seria prefervel chamar esse direito de poder dos pais, para qualquer obrigaoque a natureza e o direito de gerao impem aos filhos, subordinando-os comtoda certeza por igual a ambas causas nela concorrentes. (LOCKE,1978, p.55) . . .o poder que os pais tm sobre os filhos resulta do dever que lhes incumbe cuidar da prognie durante o estado imperfeito da infncia. (LOCKE, 1978, p.56) Filhos intelectualmente incapazes devem permanecer sob a guarda dos pais. Aps a maioridade os filhos devem continuar honrando seus pais, apesar de noestarem mais sob sua guarda.Os homens so bons oumaus, teis ou inteis, graas asua educaoJohn Locke 8. Deus criou o homem para viver em sociedade, dando-lhe razo e discernimento. A famlia a primeira sociedade. Afirma que a sociedade civil acontece quando o indivduo abre mo de seu direitonatural e passa a conviver em sociedade e ficando sujeito s suas leis. Todo homem, concordando com outros em formar um corpo poltico sendo umgoverno, assume a obrigao para com todos os membros dessa sociedade desubmeter-se reduo da maioria conforme a assuntar. . .(Locke, 1978, p. 71)"Um esprito so em um corposo uma descrio breve,porm completa, de umestado feliz neste mundo"John Locke 9. Para John Locke a monarquia, apesar de no ser algo natural, surgiu pelo fato dese estar acostumados com a autoridade do pai, que exerce seu poder em casa, oque natural. Assim a monarquia pode existir, por dar uma aparncia desegurana ao se submeter um monarca. Todos os homens nascem e so iguais por natureza. Usam a razo, um bemcomum, para construir a sociedade, e dela partilhar os resultados. O Estado vemdo direito natural, como o direito vida, liberdade, propriedade. O Estadodeve promulgar o bem estar geral. O governo no pode ser tirnico, nempatriarcal. O Estado no deve ser baseado na f, nem na religio. Um governante, umprncipe, necessrio para assegurar a validade do pacto social, mas o direitodele vem do povo, no da religio. E ele submisso s leis. No pode tudo, comooutros tericos afirmaram (Maquiavel, por exemplo). Se falhar, o povo temdireito revoluo."Uma coisa mostrar a umhomem que ele est erradoe outra coisa instru-locom a Verdade. 10. Apesar do homem ser livre e ter total liberdade sobre suas posses, corre o risco deperder o que conquistou para terceiros. O objetivo da sociedade a preservao da propriedade o que no parece bemfirme no estado de natureza. O objetivo grande e principal, () a preservao da propriedade. Para esteobjetivo, muitas condies faltam no estado de natureza. (Locke, 1978, p.82) Locke enumera condies inexistentes no estado de natureza:"Ler fornece ao espritomateriais para oconhecimento, mas s opensar faznosso o que lemos. 11. So elas:1 Uma lei firmada e reconhecida por todos, pela qual devem se pautar.2 Um juiz imparcial para a resoluo de conflitos de acordo com a lei.3 Algo que assegure a devida execuo da sentena imposta. Os inconvenientes a que esto expostos, pelo exerccio irregular e incerto dopoder que todo homem tem de castigar as transgresses dos outros, obrigam-nosa se refugiarem sob as leis estabelecidas de governo e nele procurarem apreservao da propriedade. (Locke, 1978, p.82) Visando a proteo de seus bens e propriedades ainda lucrativo para o homemligar-se a uma sociedade, apesar de perder alguns de seus direitosexclusivos, principalmente a autotutela." mais fcil avaliar doesprito de qualquer pessoapelas suas perguntas do quepelas suas respostas. 12. Curso: TeologiaDisciplina: ticaProfessor: Itamar GelainAcadmicos:Ademir Jos PurcinaEdson Roberto ConstantinoGeraldo RabeloPaulo Henrique de Oliveira

Welcome message from author
This document is posted to help you gain knowledge. Please leave a comment to let me know what you think about it! Share it to your friends and learn new things together.