Top Banner

Click here to load reader

Abordagem à pandemia da obesidade: as mais recentes ...img. · PDF fileAcredita-se que a alimentação hedonista é controlada por circuitos corticolímbicos (p......

Jan 01, 2019

ReportDownload

Documents

vokhanh

http://medscape.org/clinicalupdate/obesity-pandemic

Abordagem pandemia da obesidade: as mais recentes perspectivas cientficas e novas estratgias clnicas

Esta atividade educativa patrocinada por um subsdio educativo independente concedido pela

Pg.2

Abordagem pandemia da obesidade: as mais recentes perspectivas cientficas e novas estratgias clnicas

http://medscape.org/clinicalupdate/obesity-pandemic

Esta atividade educativa destinada a um pblico internacional de profissionais de cuidados de sade de fora dos EUA, especificamente endocrinologistas, diabetologistas, especialistas em obesidade, cardiologistas, mdicos de famlia e outros profissionais de cuidados de sade envolvidos na assistncia a indivduos com excesso de peso e obesos.

O objetivo desta atividade examinar o desafio mundial da obesidade, novas perspectivas na fisiologia da regulao do peso e novas opes de tratamento.

Aps a concluso desta atividade os participantes estaro aptos a:

Discutir a epidemiologia mundial e o nus da doena associado com a obesidade. Delinear os mecanismos fisiolgicos do consumo de alimentos e saciedade e identificar os meios pelos quais os

medicamentos antiobesidade esto direcionados a estas vias. Examinar a eficcia e a segurana de terapias farmacolgicas novas e emergentes para o tratamento da obesidade.

Informaes sobre o corpo docente e declaraesA WebMD Global exige que cada indivduo que tenha controle sobre o teor de uma das suas atividades educativas declare quaisquer relaes financeiras relevantes ocorridas nos ltimos 12 meses que possam criar um conflito de interesses.

Corpo docenteHans J. Hauner, MD, Diretor do Centro de Medicina Nutricional Else Krner Fresenius (Else Krner Fresenius Center for Nutritional Medicine); Presidente do Setor de Medicina Nutricional do Departamento de Medicina da Universidade Tcnica de Munique (Technische Universitat Mnchen), Munique, Alemanha

Hans J. Hauner, MD, declarou as seguintes relaes financeiras relevantes: Atuou como conselheiro ou consultor para: Boehringer Ingelheim Pharmaceuticals, Inc.; Danone; Janssen-Cilag; Eli Lilly and Company

Atuou como palestrante ou integrante do painel de palestrantes para: Nestl; Riemer; Unilever

Recebeu subsdios para pesquisa clnica de: Certmedica Pharma; Riemer

Editores: Anne M. Sendaydiego, PharmD Diretora Cientfica, WebMD Global, LLC Declarao: Anne M. Sendaydiego, PharmD, declarou ausncia de relaes financeiras relevantes.

Stephen G. Taylor, PhD Escritor mdico, WebMD Global, LLC

Declarao: Stephen G. Taylor, PhD, declarou as seguintes relaes financeiras relevantes:

Possui aes, opes de aes, ou ttulos de: GlaxoSmithKline

Revisor de contedo: Nafeez Zawahir, MD

Diretor Clnico de CME [formao mdica contnua] Declarao: Nafeez Zawahir, MD, declarou ausncia de relaes financeiras relevantes.

Pg.3

http://medscape.org/clinicalupdate/obesity-pandemic

Epidemiologia da obesidade e nus da doenaA obesidade pode ser prevenida; contudo, estima-se que em 2014, mais de 600 milhes de adultos em todo o mundo sero obesos e outros 1,9 mil milhes tero excesso de peso, ou seja, aproximadamente 30% da populao mundial.[1-3] O excesso de peso e obesidade so um resultado de um desequilbrio entre o consumo de calorias e o gasto de calorias, em que o excesso de calorias armazenado na forma de peso corporal. Fatores genticos e fisiolgicos so importantes, mas fatores ambientais, incluindo rendimento para despesas suprfluas, localizao, trabalho, viagens e recreao, tambm exercem uma funo essencial no aumento das taxas de obesidade. A obesidade uma condio crnica caracterizada pelo excesso de gordura corporal com efeitos adversos sobre a sade, a esperana de vida e a qualidade de vida.[4] Estatsticas por pas quanto porcentagem de residentes obesos, com excesso de peso e a combinao de residentes obesos e com excesso de peso so mostradas na Tabela1.[4] H mais indivduos no mundo com excesso de peso do que com baixo peso e a maioria dos indivduos vive em pases em que o excesso de peso causa mais mortes que o baixo peso.[1]

Tabela 1. Taxas de excesso de peso e obesidade em diferentes pases

Pas* Adulto obeso (%) Adulto com excesso de peso (%)

Combinao de indivduos obesos e com excesso de peso (%)

Brasil 17,4 33,6 51,0

Bulgria 23,7 34,5 58,2

Canad 18,4 34,1 52,5

Dinamarca 14,1 33,3 47,4

Inglaterra 24,8 37,1 61,9

Frana 15,0 32,6 47,6

Alemanha 23,6 36,5 60,1

Itlia 10,3 36,5 46,8

Mxico 32,2 39,1 71,3

Espanha 22,9 39,4 62,3

Estados Unidos 35,7 33,1 68,8

*Os dados sobre o ndice de massa corporal so oriundos de diversas fontes e no podem ser comparados diretamente. Alguns so relatados pelos prprios indivduos, que tendem a subestimar o IMC; alguns so objetivamente medidos por um profissional de cuidados de sade.

Adaptado da Associao Europeia para o Estudo da Obesidade (European Association for the Study of Obesity).[4]

As classes de peso so definidas de acordo com o ndice de massa corporal (IMC). No geral, um peso saudvel definido como tendo um IMC entre 18,5 a 24,9 kg/m2.[2,4] Excesso de peso definido como tendo um IMC entre 25,0 a 29,9 kg/m2 e obesidade definida como tendo um IMC de 30,0 kg/m2 ou maior.[1,2,4] A obesidade pode ser adicionalmente definida em trs categorias: obesidade de classe 1 (IMC 30,0 a 34,9 kg/m2), obesidade de classe 2 (IMC 35,0 a 39,9 kg/m2) e obesidade de classe 3 (IMC 40,0 kg/m2 ou maior).[2,4] Uma vez que certas populaes tm uma maior porcentagem de gordura corporal e/ou acumulao de gordura visceral preferencial, so recomendados limiares de IMC mais baixos em indivduos negros africanos, afro-caribenhos e asiticos (IMC 23,0 a 27,4 kg/m2 para indivduos com excesso de peso e acima de 27,5 kg/m2 para obesos).

O IMC utilizado para estimar a adiposidade (tecido adiposo em excesso), mas no uma medida direta da adiposidade.[2,5] Outra maneira de identificar os indivduos com excesso de peso medir a circunferncia abdominal (CA).[4] sabido que a obesidade abdominal aumenta o risco de desenvolver diabetes mellitus tipo 2 (DM2), doena cardiovascular (DCV) e morte.[4] Recomenda-se medir a CA em pacientes com excesso de peso cujo IMC menor que 35,0 kg/m2.[2] A sndrome metablica um termo utilizado para descrever uma variedade de fatores de risco cardiovascular que incluem a CA como caracterstica central, que uma medida indireta da massa de gordura visceral.[5] A adiposopatia o aumento e/ou disfuno das clulas adiposas e do tecido adiposo, resultando em consequncias adversas, incluindo as doenas cardiometablicas comuns como DM2, hipertenso arterial e dislipidemia.[5] Indivduos asiticos tm suscetibilidade gentica de apresentar sndrome metablica, mesmo quando no apresentem particularmente excesso de peso. Eles frequentemente tm uma quantidade menor de adipcitos, mas de tamanho maior, o que est associado com o aumento da adiposidade visceral, aumento na concentrao de cidos gordos livres, aumento na concentrao de leptina e aumento na concentrao de protena C reativa, resultando em resistncia insulina e risco cardiovascular, o que justifica a recomendao de limiares de IMC mais baixos para esta populao.[5]

Pg.4

Abordagem pandemia da obesidade: as mais recentes perspectivas cientficas e novas estratgias clnicas

A obesidade aumenta o risco de morbidade oriunda de hipertenso, dislipidemia, DM2, doena arterial coronariana, acidente cerebrovascular, doena da vescula biliar, osteoartrite, apneia do sono e problemas respiratrios e diversos tipos de doena oncolgica, incluindo da mama, endometrial, do clon/reto, do endomtrio, renal, esofgica, heptica e pancretica. A obesidade tambm est associada com um aumento no risco de mortalidade por todas as causas e associada a DCV, bem como morbidezes psicolgicas e psiquitricas.[2,4,6] H uma queda na esperana de vida conforme o IMC ultrapassa o peso corporal saudvel.[4] A esperana de vida tem uma reduo de dois a quatro anos para uma pessoa com obesidade de classe 1 e uma reduo de oito a dez anos para uma pessoa com obesidade de classe 3, comparvel aos efeitos adversos sobre a esperana de vida resultantes do tabagismo.[4] A qualidade de vida do indivduo tambm tem uma reduo significativa, com aproximadamente trs anos de incapacidade associada a um IMC de 30 a 35 kg/m2 e um aumento nas taxas de depresso e ansiedade.[4]

difcil calcular o custo geral com a obesidade; contudo, foi recentemente estimado que o custo mundial com a obesidade de aproximadamente dois milhes de milhes de dlares, ou 2,8% do produto interno bruto mundial. Estima-se que o custo direto para os sistemas de sade nas economias ocidentais fique entre 2% e 7% de todos os gastos com sade, chegando a 20% dependendo da abordagem de levar em considerao as comorbidades associadas.[3]

Etiologia e patofisiologia da obesidade: desregulao multifatorialA ingesto calrica regulada tanto por sinais neuronais e humorais oriundos do intestino, pncreas e tecido adiposo, que transmitem informaes ao sistema nervoso central (SNC), resultando em estmulo do apetite ou supresso do apetite.[7-9] Os hormnios intestinais que se sabe estarem envolvidos na regulao de alimentos incluem a grelina, que aumenta o consumo de alimentos, e a colecistocinina, o peptdeo YY, a oxintomodulina e o peptdeo-1 semelhante ao glucagon (glucagon-like peptide 1, GLP-1), que agem de maneira sinergstica para suprimir o apetite.[7,8] Interaes complexas ocorrem entre os alimentos no estmago e no intestino delgado e a liberao de hormnios e ativao neuronal, resultando na ativao de diversas reas cerebrais, particularmente o hipotlamo e tronco enceflico (Figura 1).[8] rgos perifricos transmitem informaes tanto sobre a energia armazenada (p. ex., a secreo de lept

Welcome message from author
This document is posted to help you gain knowledge. Please leave a comment to let me know what you think about it! Share it to your friends and learn new things together.